Dom Odilo participa de solenidade pelos 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente

Dom Odilo participa de solenidade pelos 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realizou na terça-feira, 14, uma solenidade transmitida pelas plataformas digitais, na qual foram homenageadas diversas pessoas que se dedicaram à elaboração do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que este mês completa 30 anos. Entre os homenageados estavam duas mulheres ligadas à Igreja Católica: Irmã Maria do Rosário Leite Cintra e Ruth Pistori, ambas já falecidas.

O evento aconteceu no encerramento do “Congresso Digital 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente: os novos desafios para a família, a sociedade e o Estado”, realizado nos dias 13 e 14, pelo CNJ, em parceria com ministérios, organismos públicos e organizações sociais de proteção à criança e ao adolescente.

PROTETORAS DOS MENORES

Uma das idealizadoras do ECA e fundadora da Pastoral do Menor, Irmã Maria do Rosário pertencia à Congregação das Filhas de Maria Auxiliadora (Salesianas). Ao longo de sua atuação na Pastoral, foi incansável na luta em defesa dos direitos à criança e ao adolescente em situação de vulnerabilidade social.

A religiosa salesiana criou e presidiu o Instituto para o Desenvolvimento Integral da Criança e do Adolescente (Indica) e, na década de 1970, motivada pelo desejo de afastar meninos e meninas moradores de periferias em São Paulo das situações de violência, iniciou atividades para acolhê-los em centros educacionais comunitários.

Assistente social e também uma das fundadoras da Pastoral do Menor, Ruth Pistori era conhecida por seu trabalho em prol dos direitos da criança e do adolescente. Junto com a Irmã Maria do Rosário, compôs o grupo que elaborou uma das versões de regulamentação dos artigos 227 e 228 da Constituição Federal, que deram origem ao ECA. Elas também compuseram a comissão de redação do Estatuto.

JUSTA HOMENAGEM

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, participou da homenagem. Ele destacou que a construção do ECA é fruto de um grande esforço coletivo do qual participaram muitos atores da sociedade civil, dentre os quais a Igreja Católica. “Esta é uma justa homenagem a duas mulheres que dedicaram boa parte de suas vidas à luta pela dignidade, segurança e respeito aos direitos das crianças e adolescentes”, ressaltou Dom Odilo.

O Arcebispo também recordou o importante papel de Dom Luciano Mendes de Almeida, então Bispo Auxiliar de São Paulo e, depois, Arcebispo de Mariana (MG), na promoção dos direitos da criança e do adolescente e que trabalhou muito com a Irmã Maria do Rosário.

“A elaboração do ECA levou às crianças e adolescentes mais vulneráveis um alívio, uma proteção. Sabemos que hoje ainda existem problemas, mas muito menores do que naquela época, quando se batalhou por esse Estatuto”, completou Dom Odilo.

LEIA TAMBÉM:

ECA: 30 anos de um novo olhar para as crianças e os adolescentes

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter