Confira nossa versão impressa

Igrejas em São Paulo podem acolher até 60% da capacidade de fiéis nas celebrações

Medida aprovada pela Prefeitura de São Paulo reitera a obrigatoriedade do cumprimento dos protocolos preventivos durante as liturgias e atividades

Igrejas em São Paulo podem acolher até 60% da capacidade de fiéis nas celebrações
Fiéis participam de missa na Catedral da Sé, seguindo medidas de distanciamento e prevenção (Foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

Desde o avanço para “fase verde” do Plano São Paulo de contingência da COVID-19, no último dia 9, a capacidade de público nas igrejas da capital paulista passou de 40% para 60%.

Um comunicado da Secretaria Municipal da Casa Civil à Câmara Municipal confirma que “ficam autorizados a funcionar, sem limitação de horário e com limitação de 60% da capacidade, todos os setores econômicos cujo funcionamento seja permitido na Fase 4 – Verde do Plano São Paulo”. Nesses setores, incluem-se as igrejas e locais de culto.

O mesmo comunicado reitera, ainda, que continuam mantidos os demais critérios e protocolos definidos pelo Termo de Cooperação para o funcionamento de igrejas, templos religiosos e afins, firmado em 28 de abril entre a Prefeitura de São Paulo e um grupo de vereadores da capital que representam as entidades religiosas.

RETOMADA GRADUAL

A retomada gradual das atividades religiosas, pastorais e administrativas da Arquidiocese de São Paulo com a presença de público começou no dia 24 de junho.

Para isso, foi criada uma comissão integrada pelos representantes das dioceses que abrangem a área do Município de São Paulo – Arquidiocese de São Paulo, dioceses de Santo Amaro, Campo Limpo, São Miguel Paulista e Osasco – e as circunscrições eclesiásticas católicas de rito oriental com sede na cidade – Eparquia Maronita do Brasil, Eparquia Católica Greco-Melquita Nossa Senhora do Paraíso e Exarcado Apostólico Armênio para a América Latina. Essa comissão elaborou uma proposta de protocolo para a retomada das atividades, que foi aprovado pela Prefeitura.

Na ocasião, o Arcebispo de São Paulo, Cardeal Odilo Pedro Scherer, ressaltou a necessidade de prudência e cuidado, uma vez que ainda não se alcançou a estabilização da pandemia.

Dom Odilo reforçou que sejam levados em conta todas as recomendações preventivas das autoridades sanitárias, como o respeito ao distanciamento entre as pessoas, o uso de máscaras, a higienização das mãos e dos locais de culto, entre outras. Para isso, indicou as orientações da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) publicadas em maio.

Prudência e responsabilidade devem marcar as missas presenciais durante a pandemia
No intervalo entre as celebrações, os bancos da igreja devem ser higienizados
(Foto: Luciney Marins/O SÃO PAULO)

PRUDÊNCIA E CUIDADO

O Cardeal também recomendou que idosos e pessoas consideradas do grupo de risco para desenvolverem complicações graves da COVID-19 permaneçam em casa, acompanhando as liturgias pelos meios de comunicação.

As mesmas recomendações e cuidados se aplicam para os demais sacramentos, como confissões, batizados, casamentos, crismas e unção dos enfermos.

Durante o anúncio da retomada das atividades, o Arcebispo de São Paulo reiterou que em nenhum momento houve proibições de celebrações ou atividades pastorais, mas, sim, a recomendação para fossem evitadas aglomerações que aumentem o risco de contágio.

“Tudo é possível dentro das limitações e da prudência que este tempo nos impõe”, afirmou Dom Odilo, sublinhando que a Arquidiocese continuará acompanhando as orientações das autoridades públicas sanitárias, consciente da responsabilidade com a proteção da saúde não apenas de seus ministros e colaboradores, como também de todo o povo.

Os documentos eclesiásticos e civis referentes à retomada das atividades religiosas estão disponíveis no Portal da Arquidiocese de São Paulo.

LEIA TAMBÉM:

Prudência e responsabilidade devem marcar as missas presenciais durante a pandemia

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Dom Odilo: Papa não mudou a doutrina da Igreja sobre o Matrimônio e a família

Durante o programa “Diálogos de Fé”, transmitido pela rádio 9 de Julho (AM 1600 kHz) e pelo...

Por que rezamos pelos falecidos?

Na comemoração dos falecidos (Dia de Finados) deste ano, recordaremos de maneira especial todos os que perderam a vida por causa da...

As mulheres não devem ter voz na Igreja?

Hoje respondo a essa dúvida do Reginaldo de Assis, de São Roque (SP): “Gostaria de entender melhor um trecho da Bíblia que...

Sobre o terrorismo que destruiu templos católicos no Chile

Acordei com as cenas de uma igreja chilena ardendo em chamas. Em nome de ideologias, jovens terroristas...

Solenidade de Todos os Santos

Celebrando Todos os Santos e os Fiéis Defuntos, respectivamente, pedimos a intercessão da Igreja que já triunfa no Céu e oferecemos sufrágios...

Newsletter