‘Antônio Carlos Malheiros consagrou a sua vida pela verdade’

Padre Gianpietro preside missa de 7º dia de falecimento de Antônio Carlos Malheiros (reprodução da internet)

Uma missa celebrada na noite desta quarta-feira, 24, na Casa Guadalupe, da Missão Belém, na zona Leste da capital, recordou o sétimo dia de falecimento do desembargador Antônio Carlos Malheiros. 

A Eucaristia foi presidida pelo fundador da Missão Belém, Padre Gianpietro Carraro, e transmitida pelas mídias digitais.

Desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), Malheiros também foi pró-reitor de Cultura e Relações Comunitárias e professor da PUC-SP e era reconhecido por seus diversos trabalhos voluntários, tendo uma grande contribuição na Arquidiocese de São Paulo, chegando a ser presidente da Comissão Justiça e Paz.

LEIA TAMBÉM:
Morre o desembargador Antônio Carlos Malheiros

Cardeal Scherer manifesta pesar pela morte de Antônio Carlos Malheiros

Antônio Carlos Malheiros: Sempre há tempo para a compaixão

Verdade e justiça

No início da missa, Padre Gianpietro destacou que o desembargador era próximo à Missão Belém, no trabalho às pessoas em situação de rua, prestou muito auxílio à organização da comunidade. “Nós o conhecemos nos momentos difíceis em que os órgãos públicos não queriam reconhecer a legitimidade da Missão Belém”,  acrescentou.

Na homilia, o Sacerdote partiu das palavras de Jesus no Evangelho dia – “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” – para ressaltar que Malheiros sempre procurou viver e defender a verdade a serviço da justiça e da dignidade dos mais pobres, especialmente das crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade.

Padre Gianpietro e Malheiros (Foto: Missão Belém)

“Este nosso irmão consagrou a sua vida pela verdade. Quem o conheceu sabe o quando ele tinha isso no coração”, afirmou Padre Gianpietro, recordando uma frase dita pelo próprio Malheiros, em uma entrevista concedida ao O SÃO PAULO, que mostra qual era a fonte de sua missão:  

“Percebo que minha vida é permeada por esse sentimento de compaixão, de misericórdia. Faz parte da minha vida. É evidente que isso é a graça de Deus. Não há dúvida nenhuma. Nem sempre faço bem feito. Há momentos em que fico cansado. Aí eu respiro fundo, rezo e volto a ter forças novamente para continuar”.

Vocação

O Sacerdote assinalou, ainda, que Malheiros era “um juiz que humanizava a justiça” e tinha seu trabalho como uma verdadeira vocação. Padre Gianpietro recordou, ainda, que o desembargador dizia que não era possível conhecer e entender a tristeza e o sofrimento da sua sem conhecer o “livro da vida” e acrescentava: “Talvez você se torne perito em Direito, mas não em justiça”.

Dirigindo-se aos familiares e amigos de Malheiros, o Padre os convidou a permanecerem firme na fé na vida eterna e na certeza de que seu ente querido está perto de Deus a quem ele tanto amou e serviu.

3 comentários em “‘Antônio Carlos Malheiros consagrou a sua vida pela verdade’”

  1. I from Bambui in Tubah sub division mezam in the NW REGION of CAMEROON. My Christian name is Romanus Bekweniwe from baptism as a child to marriage at st.Peters main church in Bambui village Tubah sub division had signed my marriage certificate at Tubah council as Bicheh Romanus Bekweniwe my marriage is legal

    Responder

Deixe um comentário