Após restauro, os sinos voltam a soar na matriz da Paróquia São João Batista do Brás

Restauração foi feita em parceria com o Grupo Comolatti; templo demarca a presença católica no bairro

Após restauro, os sinos voltam a soar na matriz da Paróquia São João Batista do Brás, Jornal O São Paulo
Fotos: Luciney Martins/O SÃO PAULO

Os três sinos da igreja matriz da Paróquia São João Batista do Brás, Região Episcopal Belém, voltaram a soar, na noite da terça-feira, 20, após três meses de restauração.

A bênção e reinauguração do campanário foi realizada pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, durante missa concelebrada pelo Padre Valdeir dos Santos Goulart, Pároco. 

O restauro foi patrocinado pelo Grupo Comolatti. Os trabalhos de manutenção, limpeza e modernização do sistema de automação foram executados pela empresa Sinos Angeli. 

NOVOS SINOS

Em São Paulo, o Grupo Comolatti mantém a tradição de patrocinar o restauro de sinos de igrejas. Em 15 anos, já colaborou para que isso fosse feito em 16 igrejas.

“Várias paróquias, entre as quais, São Vito, Bom Jesus do Brás, Nossa Senhora do Brasil, Nossa Senhora da Paz, São Cristóvão, Igreja Nossa Senhora da Boa Morte, o Mosteiro de São Bento, no centro, tiveram os sinos restaurados. E, em 2010, restauramos o carrilhão de 61 sinos da Catedral da Sé, o maior da América Latina. É uma satisfação contribuir para que seus sinos continuem a soar com qualidade, anunciando a presença da Igreja Católica na cidade”, destacou Sergio Comolatti, presidente do grupo empresarial.

Sérgio recordou que a iniciativa busca manter viva a tradição de “com o toque dos sinos chamar as pessoas para a Igreja, pois, o soar dos sinos é uma forma de comunicação que atravessa gerações e representa para a família Comolatti um legado de fé”.

Após restauro, os sinos voltam a soar na matriz da Paróquia São João Batista do Brás, Jornal O São Paulo
Cardeal Scherer, Padre Valdeir dos Santos Gourlart e representantes do Grupo Comolatti

SINAL DE FÉ

Padre Valdeir contou que a Paróquia está localizada em uma região comercial, permeada por barracões, galpões e fábricas, e conta com poucos moradores nas proximidades, mas, diariamente, passam em frente à igreja aproximadamente 3 mil ônibus e uma média de 300 mil pessoas.

“Estamos permeados por essa realidade que nos desafia e impulsiona a propagar a fé e evangelizar nesse contexto a qual o Senhor nos envia”, disse, mencionando histórias de pessoas que foram até o templo questionar por que os sinos não estavam tocando nos últimos meses.

“O soar do sino, mesmo em meio à agitação da cidade, é, ainda, para muitos um sinal de fé e sintonia com Deus”, mencionou, recordando que a Igreja Católica preserva a tradição dos sinos para anunciar as comemorações, missas, morte e as horas do dia.

Reinaugurados, os sinos voltam a soar anunciando as horas cheias do dia e antes das celebrações, tocando no intervalo de 30 e 15 minutos, e no início das missas.

“Na megalópole, em meio a tanto barulho, os sinos das paróquias tocando evidenciam a presença da Igreja e sinalizam uma experiência de fé, reúnem o povo para realizar as celebrações e anunciam a presença católica – nós estamos aqui”, disse o Sacerdote, reforçando que a comunidade tem a missão de ser um sinal visível e sensível da presença de Deus no bairro.

Após restauro, os sinos voltam a soar na matriz da Paróquia São João Batista do Brás, Jornal O São Paulo

TESTEMUNHA DE DEUS NO MEIO DO POVO

A história da Paróquia São João Batista do Brás começou em 1858 com a doação do terreno na Avenida Celso Garcia a um grupo de mulheres lavadeiras pelo senhor João Alves de Siqueira. Em 1889, quando todas já eram falecidas, a Prefeitura projetou construir um chafariz no local, mas isso não foi aceito pelos moradores. Assim, foi inaugurada uma capela, chamada pelos fiéis de “Capela Amarela”.

Em 1901, os frades capuchinhos ali iniciaram uma ação missionária. Em 1908, Dom Duarte Leopoldo e Silva, então Arcebispo Metropolitano, encarregou o Monsenhor José Rodrigues Sekhler como Vigário do Brás, para iniciar as obras para aumentar e preparar a criação de uma paróquia. 

A Paróquia São João Batista do Brás, em seus 114 anos, passou ao longo da sua história por momentos importantes da evolução do País: a proclamação da República, pela gripe espanhola, viu o bairro do Brás se modificar com a industrialização, e com a chegada de  imigrantes italianos e espanhóis, passou por revoluções de 1924 e 1932, foi testemunha de vários fatos históricos no Brasil e no mundo. É um ponto de encontro para os devotos de São João Batista do Brás, que vem de vários lugares para pedir e agradecer uma graça alcançada. O Pároco recordou que esta foi a primeira Paróquia criada logo após ser elevada de Diocese para Arquidiocese de São Paulo.

EM MISSÃO

Padre Valdeir pontuou que o templo é sinal e testemunha de Deus no meio do povo, incluindo o agir pastoral. “Somos uma comunidade ativa nas várias pastorais catequética; Dízimo; Batismo; Liturgia; grupos de oração, da pessoa idosa, enfim, a presença dos fiéis é que mantém a fé e a igreja viva e dinâmica em sua ação de evangelização”, disse.

O Sacerdote mencionou que chegou à Paróquia durante a pandemia e que agora com a retomada percebe como a fé e a ação evangelizadora se faz necessária no bairro e no entorno da sede paroquial. “Somos uma igreja em constante movimento e – como nos pede o Papa Francisco e o sínodo arquidiocesano – em constante saída. Somos missionários da Palavra e testemunhas do anúncio do Reino aos irmãos”, disse, recordando que as ações pastorais e sociais da comunidade são possíveis graças ao apoio, o trabalho e a cooperação da comunidade paroquial.

SOBRE O GRUPO COMOLATTI

O legado do Grupo Comolatti começou a ser construído em 1948, quando Evaristo Comolatti, imigrante italiano, chegou à cidade de São Paulo. O sonho de abrir um grande negócio no segmento automotivo o levaria a inaugurar no bairro da Mooca, em 1957, uma revendedora de autopeças e oficina, a Evaristo Comolatti & Cia. Ltda. Há 65 anos, o grupo atua desde a distribuição de autopeças e a comercialização de veículos até a alta gastronomia e no setor imobiliário. Entre os projetos sociais, destacam-se o investimento em Ciência, Cultura e Educação, restauração de sinos de Igrejas brasileiras, revitalização de praças italianas em São Paulo, investimento em esporte, eventos beneficentes entre outros.

1 comentário em “Após restauro, os sinos voltam a soar na matriz da Paróquia São João Batista do Brás”

  1. Quem fez o restauro dos sinos da Paróquia São João do Brás, assim como a São José do Belém e TODAS as demais que foram patrocinadas pela empresa Comolatti foi a SINOS PIRACICABA.

    Responder

Deixe um comentário