Na Brasilândia, assembleia de comunicação mobiliza agentes de paróquias e comunidades

A atividade ocorreu na Comunidade São Francisco, da Paróquia Nossa Senhora do Retiro

Pascom Brasilândia

A Região Episcopal Brasilândia promoveu no sábado, 18, a Assembleia de Comunicação Regional, primeira a ser realizada após o início da pandemia, sob a orientação de Dom Carlos Silva, OFMCap, com assessoria da coordenação regional e do Padre Orisvaldo Carvalho, Assistente Eclesiástico Regional da Pastoral da Comunicação (Pascom).

A atividade ocorreu na Comunidade São Francisco, da Paróquia Nossa Senhora do Retiro, Setor Pereira Barreto, com a participação de mais de 70 agentes de comunicação e padres atuantes em paróquias e comunidades da Região Brasilândia.

Na abertura da assembleia, o Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Brasilândia comentou que “a comunicação é a saúde de uma relação e queremos uma Região cheia de saúde”. Dom Carlos Silva falou sobre a necessidade de rearticulação dos trabalhos, com a realização de diferentes movimentos nas paróquias e comunidades até se chegar à esfera regional.

Na sequência, foi realizada uma mesa-temática sobre comunicação. Cleide Barbosa, jornalista da rádio 9 de Julho, apresentou um panorama da história da comunicação, lembrou que se comunicar é parte da essência humana, com o objetivo primordial de criar comunhão, estabelecer vínculos de relações, promover o bem comum, o serviço, como indicado no Diretório de Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (Documento 99).

Padre Silvio Costa de Oliveira, Pároco da Paróquia Nossa Senhora do Retiro, falou sobre a comunicação feita por Deus, que se comunica com a humanidade por diferentes formas, tem sua essência feita de comunicação e “se somos a sua imagem e semelhança, nós também somos comunicadores”. Lembrou, ainda, que a palavra tem como objetivo provocar alguma reação e disso decorre o compromisso com aquilo que é comunicado.

O mediador da mesa-temática, Padre Reinaldo Torres, Pároco da Paróquia Nossa Senhora das Graças, na Vila Carolina, relembrou o tema da Campanha da Fraternidade de 1989 –“Comunicação para a verdade e a paz” –, reforçando que todos devem ter o compromisso de ser bons comunicadores.

Durante a assembleia, foi apresentado um breve panorama da Pastoral da Comunicação na Região Brasilândia, a partir de dados coletados no primeiro semestre de 2021, quando foram realizadas reuniões virtuais com os agentes de comunicação que responderam a um questionário específico. Na sequência, houve a discussão em grupos para análise do contexto setorial e, posteriormente, a partir das reflexões, foram apresentados os três principais desafios e suas respectivas propostas de ação.

Também foram eleitos os referenciais dos setores que passarão a compor a coordenação regional. Como primeira missão, farão um plano de ação da Pascom para 2022.

Na parte final do evento, o Padre Cilto José Rosembach, Pároco da Paróquia São José de Perus e vice-diretor da Associação Cantareira de Comunicação, fez uma análise geral sobre os pontos observados durante a assembleia. Ele sublinhou algumas urgências que foram mencionadas como articulação e partilha; formação em todas as dimensões; espiritualidade; produção; e investimento na pastoral, aspectos que possuem relação com os documentos produzidos pela CNBB para a Pascom: Guia Nacional de Implantação da Pastoral da Comunicação e o Diretório de Comunicação da CNBB.

Por fim, Dom Carlos Silva fez o envio dos comunicadores, abençoou-os e foi rezada a oração da Pascom. A assembleia foi concluída com o propósito de melhorar o trabalho da Pastoral da Comunicação e estabelecer um caminho de unidade.

(Por Taíse Cortês – Colaboradora de comunicação na Região)

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter