Bompar encerra jubileu comemorativo de 75 anos

Instituição católica mantém 52 unidades de atendimento à população e 10 mil atendidos diariamente, a crianças, adolescentes, jovens, idosos, famílias e pessoas em situação de rua

Bompar encerra jubileu comemorativo de 75 anos, Jornal O São Paulo
Fotos: Bompar

Fundado em 1946 por um grupo de senhoras católicas que frequentava a Paróquia Nossa Senhora do Bom Parto, no Tatuapé, na zona Leste, e que começou a desenvolver ações de formação e capacitação profissional para a geração de renda a mulheres da periferia, o Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto encerra neste mês o jubileu comemorativo de seus 75 anos, iniciado em 2021. 

Na década de 1970, com a chegada de Dom Luciano Mendes de Almeida como primeiro bispo auxiliar para a Região Episcopal Belém da Arquidiocese de São Paulo, o Centro Social passou a direcionar novos rumos em termos de organização estrutural e jurídica. Dom Luciano é considerado um dos fundadores do Centro e, ao se deparar com a situação de pobreza e abandono nesta região da cidade, afirmou: “É preciso fazer mais!”. 

A partir da década de 1990, impulsionado pela Irmã Judith Lupo, o Bompar ampliou suas atividades. Atualmente, mantém 52 unidades, e diariamente 10 mil pessoas são atendidas nas ações realizadas pelo Centro Social.

SERVIR O IRMÃO

O Bompar é uma instituição sem fins lucrativos que visa articular, assegurar e tornar realidade o direito de cada cidadão, no estágio de vida em que se encontra, resgatando a dignidade e possibilitando a vida em sociedade pautada nos valores cristãos e na Doutrina Social da Igreja.

Os atendimentos do Bompar englobam a integralidade da vida humana (recém-nascidos, crianças, adolescentes, jovens, idosos, população em situação de rua e famílias) e são divididos nas modalidades: Centro de Acolhida para Adultos II; Centro de Desenvolvimento Social e Produtivo (CEDESP); Centro de Educação Infantil (CEI); Centro para Crianças e Adolescentes (CCA); Consultório na Rua (CNR); Núcleo de Convivência de Idosos (NCI); Núcleo de Convivência para Adultos em Situação de Rua; Programa Acompanhante de Idosos (PAI); Promoção de Integração ao Mercado de Trabalho (Jovem Aprendiz); Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças (SAIC); Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes (SAICA).

Padre Osvaldo Bisewski, Diretor-presidente do Bompar, pontuou que, por meio do Centro de Acolhida São Martinho de Lima e do Consultório da Rua, são oferecidos diariamente  os cuidados básicos e atendimento médico preventivos à população em situação de rua – realidade que na capital já ultrapassa o número de 32 mil pessoas nesta condição, segundo o censo realizado pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, divulgado em janeiro deste ano.

FORMAR COMUNIDADE

À reportagem o sacerdote elucidou que a entidade conta com 1,7 mil colaboradores, destes 144 estiveram em situação de rua e foram atendidos no Centro e hoje atuam como agentes transformadores de outras vidas. 

“O Bompar é protagonista em formar comunidade de irmãos que se ajudam mutuamente e devolvem a gratidão em ações concretas. Quem já esteve à margem vai ao encontro do próximo mapeando as realidades de sofrimento”, disse, ressaltando que estes colaboradores cursaram Enfermagem ou faculdades ligadas às áreas da Saúde e hoje atuam como profissionais no Centro Social. 

Padre Osvaldo afirmou que o Bompar conta com a ajuda de mais de cem voluntários, doações e parceria com a Prefeitura de São Paulo por meio de suas secretarias, e a atuação engloba a importância da promoção humana e social desempenhada pelo Bompar. A dimensão espiritual é uma forte aliada no processo de resgate e dignidade da pessoa em sua essência.

“A dimensão da fé, seja pelas celebrações da missa ou dos encontros realizados, é um guia norteador na transformação das vidas por meio da missão realizada. Saciar a fome das  pessoas com um prato de comida, favorecê-las com um curso profissionalizante ou com um espaço para descansar é importante, porém, é fundamental olhar para cada uma em sua totalidade e para a sua dimensão espiritual, proporciona a experiência do encontro consigo e com Deus”, afirmou Padre Osvaldo, recordando a presença do Cardeal Scherer e dos bispos auxiliares nas ações pastorais da entidade.

O Sacerdote mencionou a dimensão da acolhida e o ambiente familiar como características do Bompar. “São unânimes entre os atendidos a gratidão pela acolhida e o espírito de família, pois, ali, sentem-se em casa”, disse, ressaltando que esse espírito de fraternidade é característica herdada de Dom Luciano. “Aqui cada história é respeitada, cada pessoa é recebida em sua individualidade”, destacou Padre Osvaldo Bisewski.

AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO

Amor, diálogo, respeito e comprometimento estão presentes em cada atendimento às pessoas que passam pelas unidades do Bompar. As ações são feitas com o objetivo de contribuir para a construção de uma sociedade melhor, mais digna e justa. É um trabalho humanitário que devolve dignidade e esperança a quem mais precisa. 

Marta Regina Marques Akiyama, Gestora de Saúde do Consultório da Rua, enfatizou que a instituição tem a missão de resgatar a dignidade da pessoa em sua integralidade e resgatar nela o sentido da vida. “Buscamos desenvolver a capacidade de cada indivíduo na sua singularidade  a partir do projeto de vida, para que ele possa se descobrir  e desenvolver seus dons e potencialidades. No Bompar, temos funcionários que um dia estiveram na rua e hoje atuam como profissionais no Centro. É gratificante ver que com amor e oportunidades é possível resgatar vidas”, disse, recordando que o Grito dos Excluídos de 2003 foi o motivador da criação do Consultório da Rua.

A gestora mencionou que os agentes sociais do Bompar vão ao encontro mapeando as realidades de cada pessoa e das famílias. “Nossas equipes estão atentas às necessidades e nas várias frentes de atuação proporcionam a integralidade  e fortalecem os vínculos em vista da garantia dos direitos de cada cidadão”, disse, reforçando o empenho dos profissionais no cuidado com os irmãos que tanto necessitam das orientações e encaminhamentos para restauração da saúde. Marta mencionou que uma unidade móvel percorre a capital mapeando e oferecendo tratamento e reparos na saúde bucal e próteses dentárias. 

A iniciativa Chá de Bebê para gestantes em situação de rua recebeu o V Selo dos Direitos Humanos Dom e Diversidade da Prefeitura de São Paulo. “Através do pré-Natal, é possível desenvolver várias ações de redução de danos, por exemplo, a diminuição de comorbidades e sífilis”, pontuou, destacando que “o reconhecimento do trabalho realizado faz a diferença e certifica que o que fazemos transforma vidas”, finalizou.

Leia mais
Dom Manuel celebra jubileu de ouro de sua ordenação presbiteral

Deixe um comentário