Capela da Santa Casa de Misericórdia: inserida na vida de profissionais de saúde e pacientes

O SÃO PAULO dá sequência à série de reportagens sobre as capelas em unidades hospitalares da capital paulista

Missa com profissionais médicos na Capela da Santa Casa de Misericórdia (celebração realizada antes da pandemia de COVID-19)

A Capela de Nossa Senhora da Misericórdia da Santa Casa de São Paulo, construída entre 1900 e 1901, é um marco histórico e arquitetônico da capital paulista, e referência de fé no entorno do bairro de Santa Cecília.

Localizado no centro do complexo hospitalar, o templo tem a rotina semelhante à de uma comunidade paroquial, com missas em dias da semana, às 12h; aos sábados, às 16h; e aos domingos, às 10h, além de batizados e até casamentos.

O Capelão, Padre Tiago Gurgel, enfatizou à reportagem que há um esforço pastoral para que a Capela seja uma presença ativa no complexo da Santa Casa, estando sempre de portas abertas e inserida na vida dos profissionais e pacientes.

Atividades pastorais

Além da celebração dos sacramentos, são realizadas atividades de formação catequética e espiritual, como a preparação de um grupo de profissionais da Santa Casa para receber os sacramentos da iniciação cristã. Também há grupos de oração e adoração ao Santíssimo Sacramento; e um grupo que reúne mães cujos filhos estão internados na UTI Neonatal em situação grave, para rezar e encontrar conforto espiritual.

Existe, ainda, um grupo formado por médicos e profissionais da saúde católicos que estuda documentos da Igreja a respeito de temas relacionados à sua área de atuação, com destaque para a Carta Samaritanus bonus, sobre os cuidados das pessoas nas fases críticas e terminais da vida, publicada pela Congregação da Doutrina da Fé, em julho.

Participação

A Capela também se insere em iniciativas como a Semana Internacional do Aleitamento Materno, que costuma ser aberta ou encerrada com uma missa, e campanhas de combate ao câncer, como o Outubro Rosa. O templo acolhe ainda as missas de formatura de estudantes de Enfermagem e de Medicina.

Anualmente, sempre com a participação dos alunos do 1º ano do curso de Medicina, há uma missa na qual se reza pela intenção dos falecidos cujos corpos foram doados para pesquisas científicas e para as disciplinas de anatomia.

Padre Tiago, que exerceu a Medicina antes de ser ordenado sacerdote, explicou que essa celebração tem o objetivo de conscientizar os estudantes a respeito do valor e da dignidade do corpo humano, templo do Espírito Santo, e todo o respeito que deve ser dado à natureza humana na perspectiva da fé.

Pastoral Hospitalar

O Capelão também conta com o auxílio do Padre Amado Lopes de Carvalho e do Diácono Permanente João Carlos Franco de Barros Fornari, que, além das atividades da Capela, realizam visitas aos leitos e setores hospitalares, para orações, bênçãos e atendimento sacramental, assim como de atividades formativas da instituição.

Recentemente, foi adquirido um telefone celular para a capelania, a fim de que, por meio do WhatsApp, haja um canal direto de comunicação com os profissionais do hospital. “Muitos médicos entram em contato conosco para pedir a nossa presença e atendimento aos seus pacientes. Essa proximidade fez com que fosse estabelecida uma relação de confiança”, destacou Padre Tiago.

Como a Capela está localizada na área externa do complexo da Santa Casa, as celebrações e atividades presenciais continuam mantidas mesmo durante a pandemia, seguindo todos os protocolos recomendados para este período.

VEJA NESTA SÉRIE DE REPORTAGENS

Capela do Instituto de Infectologia Emílio Ribas

Capela do Hospital Municipal Infantil Menino Jesus

Leia amanhã a última reportagem da série, sobre a Capela do Conjunto Hospitalar do Mandaqui.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter