Cardeal Scherer indica como vivenciar a Semana Santa em casa

(Foto: Alessandra Leite/Arquivo pessoal)

No programa “Diálogos de Fé” do último domingo, 28, transmitido pela rádio 9 de Julho e pelas mídias digitais, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, renovou suas recomendações para os fiéis vivenciarem a Semana Santa e o Tríduo Pascal em casa, em meio às restrições impostas pela pandemia de COVID-19.

Como no ano passado, as celebrações do mistério da paixão, morte e ressurreição de Jesus não poderão ser realizadas com a presença de fiéis nas igrejas, mas serão acompanhadas pelos meios de comunicação e pelas mídias digitais. 

O estado de São Paulo está na “Fase Emergencial” da pandemia, com alta de casos, internações e mortes. Na capital paulista, foram antecipados feriados com o objetivo de diminuir a circulação de pessoas e, consequentemente, a taxa de contaminação do novo coronavírus.

LEIA TAMBÉM:
Cardeal Scherer apresenta orientações para a Semana Santa na Arquidiocese

Publicadas novas decisões da Arquidiocese de São Paulo diante do agravamento da pandemia

Semana Santa: a porta que dá acesso à nova vida é aberta

O Arcebispo recomendou que as pessoas busquem se unir às suas comunidades paroquiais, acompanhando as transmissões das celebrações. Quando isso não for possível, acompanhem os ritos celebrados na Catedral da Sé ou pelo Papa Francisco, transmitidos diretamente do Vaticano.

O Cardeal motivou os fiéis a se reunirem em família para esses momentos celebrativos e a manifestarem a sua fé no âmbito da “Igreja doméstica”, por meio de alguns sinais e gestos.

Quinta-feira

Na noite da Quinta-feira Santa, inicia-se o Tríduo Pascal, com a missa da Ceia do Senhor, que recorda a instituição da Eucaristia  e do gesto do lava-pés. O Arcebispo sugeriu que seja colocado em destaque na casa um jarro com água e, talvez, uma bacia e uma toalha, que lembrem a atitude humilde de Jesus que lavou os pés dos discípulos. De igual modo, pode ser colocado um pão, que recorde a ceia.

Nas recomendações enviadas no ano passado, Dom Odilo já havia pedido aos padres que se unissem ao povo por meio da adoração e da oração diante da Eucaristia colocada no tabernáculo. “Que este momento de adoração também seja transmitido, com o convite para que o povo da paróquia a acompanhe em suas casas. Esse momento pode ser muito rico e expressar a ‘comunhão’ do povo da paróquia em torno de Jesus e com o padre, ‘vigiando com Ele’, como os apóstolos no Horto das Oliveiras”, escreveu.

(Foto: reprodução da internet)

Sexta-feira

A Sexta-feira Santa relembra o dia em que Jesus, após ter sido preso, julgado e condenado, carrega a própria cruz até o monte Calvário e é crucificado e morto entre dois ladrões. Seu corpo foi, depois, retirado da cruz e colocado em um sepulcro cavado na rocha. Nesse dia, os cristãos são chamados à prática do jejum e da abstinência de carne, em sinal de penitência e respeito pela morte de Nosso Senhor.

Recomenda-se que os fiéis acompanhem, pelas mídias, a ação litúrgica da Paixão do Senhor, tendo em suas casas um crucifixo em um lugar de destaque, para que todos os membros da casa possam venerá-lo e beijá-lo no momento oportuno.

Sábado

A celebração da Vigília Pascal é o centro da Semana Santa. Toda a Quaresma e os dias santos são um preparativo para o momento culminante: o da Ressurreição, expressão da esperança na ressurreição final e na segunda vinda do Senhor. É considerada “a mãe de todas as santas vigílias”, pois nela a Igreja mantém-se de vigia à espera da Ressurreição do Senhor.

Durante o Sábado Santo, os fiéis são convidados a realizar uma oração silenciosa, contemplando a descida de Jesus na mansão dos mortos. Ao acompanhar Vigília Pascal pelos meios de comunicação, as pessoas podem ter em sua mão uma vela, e acendê-la no momento da Renovação das Promessas do Batismo, para que seja renovada a fé a esperança em Cristo. A vela acessa representa a luz da vida que deu lugar às trevas da morte.

(Foto: reprodução da internet)

Domingo

O Domingo de Páscoa é considerado o ápice do ano litúrgico. É o grande dia em que se comemora o triunfo definitivo de Cristo sobre a morte, por meio de sua Ressurreição, que abriu definitivamente as portas do céu a toda a humanidade. Dia maior para ser celebrado em sua casa, com sua comunidade unida na fé pelas redes sociais, como prova de amor inequívoco de Cristo.

“Agora podemos compreender melhor o que é a Igreja: não é somente o templo, onde nos reunimos para rezar pessoalmente e para celebrar com os outros. Nem é somente apenas o bispo, o padre e um punhado de colaboradores próximos deles. A Igreja é formada por todos os que foram batizados, todos os discípulos de Jesus, que compartilham a mesma fé recebida dos apóstolos, estão em comunhão de fé, esperança e caridade, conforme o testemunho e os ensinamentos do próprio Jesus Cristo.”, ressaltou o Cardeal Scherer.

Folheto Litúrgico

Os fiéis poderão acompanhar os textos e orações das celebrações do Tríduo Pascal por meio do folheto litúrgico Povo de Deus em São Paulo, que está disponível para download.

Acesse:

Folheto da Missa da Ceia do Senhor (01/04)

Folheto da Celebração da Paixão do Senhor (02/04)

Folheto da Vigília Pascal (03/04)

Folheto do Domingo da Páscoa (04/04)

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter