Centenas de Servidores do altar da Região Belém reúnem-se em encontro 

Giane Falavigna

Na tarde do sábado, 8, centenas de crianças, jovens e adultos que servem ao altar reuniram-se na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, Decanato Santa Maria e São José, para um momento de encontro, oração e formação. 

O primeiro Encontro Regional dos Coroinhas e Servidores do Altar da Região Belém foi conduzido pelo Padre Miguel Lisboa Aguiar, Vigário Paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Bom Parto e Assessor Eclesiástico para as Pastorais dos Servidores do Altar e Vocacional. 

A reunião teve como objetivo rezar pelas vocações e animar os jovens ao chamado que o Senhor faz a cada um deles e despertá-los a dizerem “sim” a Deus. O encontro iniciou-se com um momento de animação, música, dança e acolhida pelos decanatos. 

SER TODO DE DEUS

Em seguida, Dom Diego Maria, CSRP, irmão barnabita, realizou um momento de espiritualidade vocacional com os jovens, com o tema “Ser todo de Deus, para sempre!”. 

Dom Diego iniciou a atividade ressaltando a relevância do serviço do altar desenvolvido pelos coroinhas, recordando-lhes o convite do Papa Francisco: “Não tenham vergonha de servir o altar, mesmo que estejam sozinhos, mesmo que estejam crescendo. É uma honra servir a Jesus quando Ele doa sua vida por nós na Eucaristia”. 

O religioso consagrado questionou-os sobre qual missão abraçariam no futuro: “Como servirão ao Senhor no futuro? Nós, jovens, adolescentes e crianças, somos o presente e o futuro da Igreja, e se você entende o real sentido da sua missão hoje, você seguirá servindo a Igreja em outra missão no futuro. E qual missão é essa? A resposta a essa pergunta vem do próprio Senhor; por isso, peça em suas orações que Deus aponte o caminho da missão que Ele quer para você e não tenha medo de responder ao Seu chamado, seja na vida presbiteral, seja no matrimônio, seja na vida religiosa consagrada. Quem vive a sua vocação é constantemente feliz!”, afirmou. 

O irmão barnabita encorajou as crianças e jovens a buscarem de fato a vocação, e que ser coroinha é um presente de Deus. 

“Vocês são o presente da Igreja, e também são o futuro dela. Eu espero que todos vocês encontrem seus caminhos, e que este caminho possa estar junto da Igreja.”, afirmou.

Dom Diego também contou sua história vocacional, uma vez que há oito anos deixou seus pais, irmãos, familiares e sua terra natal, o Pará, para trilhar um caminho de consagração a Deus. 

“Hoje sou consagrado, feliz, realizado e convicto de que Deus não decepciona aqueles que vivem a vocação que Ele confia a cada um”, salientou. 

Ao final, Dom Diego encorajou os jovens a perguntar a Deus sobre a vocação de cada um, e exortou-os a realizar a vocação própria e a descobri-la na oração. “Que o Senhor lhes dê coragem de dizer sim ao chamado que Ele faz de maneira particular a cada um”, exortou. 

UM ÚNICO IDEAL: JESUS CRISTO

À reportagem, Padre Miguel Lisboa ressaltou que o que mais chamou sua atenção foi o fato de os coroinhas, sem se conhecerem, estaram envolvidos no encontro, sem timidez e sem estranheza. 

“Estiveram assim por causa de um ideal: Jesus Cristo. Por isso eles dançaram, cantaram, brincaram e rezaram”, afirmou o Sacerdote. 

Em um dos momentos, Padre Miguel perguntou às crianças e jovens se os padres e as religiosas das paróquias e comunidades dos coroinhas eram importantes para eles. Após a resposta afirmativa, o Sacerdote perguntou quais dos jovens gostariam de ser padres ou freiras, e muitos manifestaram esse desejo. 

“A expectativa deste encontro foi a de que servisse como um momento de convivência entre os coroinhas das diversas paróquias de nossa região, além de fazerem uma pausa nas suas atividades — um tanto rotineiras —, e rezarem diante de Jesus aquilo que fazem. Além disso, o encontro surgiu na perspectiva de promover as vocações para a Arquidiocese de São Paulo, tendo em vista que nos servidores do altar encontramos um celeiro de vocações. Por isso, o sentimento que me salta ao coração é o da certeza de que o Senhor continua a passar na praia (vida) de cada um e chama para segui-lo mais de perto.”, destacou. 

UNIÃO

Para Marina Savedra, 22, servidora do altar na Paróquia Nossa Senhora de Fátima e São Roque, Decanato São Timóteo, o encontro foi um momento de união entre crianças, jovens e adultos que têm o mesmo objetivo: servir ao altar. 

“Parece que estávamos ali há tempos e que todos se conheciam, mas estávamos só iniciando o encontro. Eu senti que tudo o que foi dito, feito e sentido teve a ação do Espírito Santo em cada um dos que estavam presentes”, afirmou. 

Marina, que também auxiliou na organização do evento, recordou a bela participação das crianças pequenas. “Como servidora do altar, ver os coroinhas tão entretidos, principalmente os pequenos, fez uma nova chama acender em mim”, concluiu. 

guest
1 Comentário
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Don Diego Maria
Don Diego Maria
4 dias atrás

Foi lindo, os jovens estavam muito animados e respeitosos em cada momento, na animação estavam eufóricos, coisa própria da idades deles, na reflexão, adoração e missa estavam atentos, muito silêncio e um ambiente agradável, verdadeiramente oracional.