Ciclo de cultura tradicional traz documentários sobre as tradições indígenas, afro-brasileiras e nipo-brasileiras

Após cinco encontros presenciais pelo litoral e interior de São Paulo, as produções audiovisuais serão exibidas em meio virtual

Ciclo de cultura tradicional traz documentários sobre as tradições indígenas, afro-brasileiras e nipo-brasileiras, Jornal O São Paulo
Foto: Governo de São Paulo

Ciclo de Cultura Tradicional (CCT), ação realizada pelas Oficinas Culturais – programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, encerra a edição de 2022 apresentando os documentários que tiveram estreia ao longo dos encontros presenciais que rodaram as cidades de Bauru, Franca, Guaratinguetá, Mongaguá e São Sebastião. As sessões serão exibidas no dia 1º de dezembro, a partir das 19h, e no canal de YouTube das Oficinas Culturais, seguidas de bate-papo com cada diretor das produções audiovisuais.

Cada documentário aborda uma tradição cultural praticada em diferentes territórios, entre elas, a Congada, o Jongo e o modo de viver de aldeias do povo Guarani Mbya. O Ciclo de Cultura Tradicional é realizado por Oficinas Culturais – programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciado pela Poiesis – e vem reunindo diversos públicos com agentes culturais, lideranças, mestres e pesquisadores de diferentes regiões do estado paulista.

Dessa forma, o CCT propõe a troca de saberes entre os participantes e colabora com a valorização das tradições culturais caipiras, indígenas, afro-brasileiras, caiçaras, migrantes e imigrantes. Mais informações sobre os diretores dos documentários e programação completa estão disponíveis no site do programa Oficinas Culturais.

Serviço:

Sessões – Encerramento do Ciclo de Cultura Tradicional 2022:

Virtual: Documentários transmitidos pelo canal de YouTube do programa Oficinas Culturais – clique aqui

01/12 – quinta-feira, das 19h às 21h40

Acessível em Libras

Programação:

19h | Filme

DO CONGO À CONGADA: DEVOÇÃO A SÃO BENEDITO

Direção: Daniel Aguiar | BRA | 2022 | Doc | 18 min

O encontro entre dois grupos de congada da cidade de Franca, interior de São Paulo: Congada Três Colinas e Congada Os Marinheiros de Franca. Norteado pela essência dessa manifestação, com depoimentos e imagens do festejo, o filme aborda a importância da tradição e da cultura popular nos tempos atuais.

Após a exibição, haverá bate-papo com Daniel Aguiar (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

19h30 | Filme

JONGUEIROS DO AMANHÃ

Direção: Pedro Japa | BRA | 2022 | Doc | 21 min

Na comunidade do Tamandaré, o Jongo é uma das culturas que dá ritmo ao bairro e traz pessoas de diversas regiões e estados para acompanhar suas festividades. Porém, entre o som do tambu e a fogueira, surge a preocupação de como manter viva essa tradição diante de avanços tecnológicos e desafios geracionais.

Após a exibição, haverá bate-papo com Pedro Japa (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

20h | Filme

KARAOKÊ: SOLTE SUA VOZ

Direção: Elica Ito | BRA | 2022 | Doc | 15 min

Vivendo em um país do outro lado do mundo, imigrantes japoneses adaptaram-se ao Brasil, mas preservaram tradições da terra natal. Na música, os festivais de karaokê constroem essa relação entre o passado e o presente, com artistas amadores entoando canções do Japão.

Após a exibição, haverá bate-papo com Elica Ito (diretora) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

20h30 | Filme

SÃO PEDRO, PESCADOR

Direção: J. Valpereiro | BRA | 2022 | Doc | 14 min

O filme retrata os pescadores do bairro de São Francisco e a comunidade católica de São Sebastião, no Litoral Norte de São Paulo. Seus cotidianos, contados da perspectiva de um observador, levam a reflexões acerca da construção da fé nas comunidades.

Após a exibição, haverá bate-papo com J. Valpereiro (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

21h | Filme

NHANDEREKO: CANTO DE PROTEÇÃO

Direção: Ataíde G Vilharve | BRA | 2022 | Doc | 30 min

Ambientado em aldeias de origem Guarani Mbya (Aguapeú, Cerro Korá e Nhanderupo), localizadas no município de Mongaguá, Litoral Sul de São Paulo, o filme retrata o modo de ser indígena em diálogo com a natureza, a importância do território para a sobrevivência da cultura originária e do canto para fortalecimento do nhandereko e sua proteção.

Após a exibição, haverá bate-papo com Ataíde G Vilharve (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

SOBRE O PROGRAMA OFICINAS CULTURAIS

Como uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciado pela POIESIS – Organização Social de Cultura, o Programa Oficinas Culturais promove formação e vivência à população no campo da cultura desde 1986.

Oficinas Culturais dialoga com o interior por meio de dois festivais (FLI — Festival Literário e MIA – Festival de Música Instrumental), Jornadas de Gestão Cultural, Ciclos de Estudos sobre Cultura Tradicional e Contemporaneidade, Programa de Qualificação em Artes que dá orientação artística a grupos, companhias ou coletivos de dança e teatro no interior, litoral e região metropolitana de São Paulo, e o Programa de Formação no Interior que oferece atividades formativas.

Além disso, na cidade de São Paulo, o programa realiza atividades de formação e difusão em três espaços: Oficina Cultural Oswald de Andrade (Bom Retiro), Oficina Cultural Alfredo Volpi (Itaquera) e Oficina Cultural Maestro Juan Serrano (Taipas).

Fonte: Governo de São Paulo

Leia mais
Mostra cultural recorda os protagonistas negros no bairro da Bela Vista

Deixe um comentário