COVID-19: Adolescentes de 12 a 15 com comorbidades serão vacinados a partir de segunda-feira

São esperadas 92 mil pessoas deste grupo, que também inclui as Gestantes e puérperas

Agência Brasil

A Prefeitura de São Paulo inicia na próxima segunda-feira, 23 a vacinação contra COVID-19 para os adolescentes de 12 a 15 anos de idade com deficiência permanente (física, sensorial ou intelectual) ou comorbidades, além de gestantes e puérperas. São esperados 92.868 mil munícipes nesse grupo. O anúncio foi feito na manhã da sexta-feira, 20, pelo prefeito Ricardo Nunes e pelo secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, na Unidade Básica de Saúde (UBS) Max Perlman, Vila Nova Conceição, Zona Sul da capital.

“A gente anuncia mais um passo importante da nossa jornada da vida, da vacina. Na segunda-feira a gente inicia a vacinação dos adolescentes de 12 anos ou mais com comorbidades, deficiência, além das grávidas e puérperas”, afirmou o prefeito. “No caso das grávidas ou puérperas, é necessário levar o documento médico autorizando a vacinação. E para todas as faixas etárias, é necessário que tenha uma pessoa adulta responsável”, completou.

Os jovens devem ser acompanhados pelos pais ou responsável no ato da vacinação. No caso de impossibilidade desse acompanhamento, o adolescente deve ir com um adulto e apresentar autorização assinada por uma dessas pessoas.

Os adolescentes com deficiência permanente incluem:

1) Limitação motora que cause grande dificuldade ou incapacidade para andar ou subir escadas;

2) Indivíduos com grande dificuldade ou incapacidade de ouvir mesmo com uso de aparelho auditivo;

3) Indivíduos com baixa visão ou cegueira (Considera-se baixa visão ou visão subnormal quando o valor da acuidade visual corrigida no melhor olho é menor do que 0,3 e maior ou igual a 0,05 ou seu campo visual é menor do que 20 graus no melhor olho com a melhor correção óptica – categorias 1 e 2 de graus de comprometimento visual do CID 10. Considera-se cegueira quando esses valores se encontram abaixo de 0,05 ou o campo visual menor do que 10 graus – categorias 3, 4 e 5 do CID 10);

4) Indivíduos com alguma deficiência intelectual permanente que limite as suas atividades habituais.

No sábado, 21 será feita a repescagem da vacinação nas 82 AMAs da capital.

Acesse a lista completa de endereços dos postos de vacinação

Preparativos para Vacinação

Para se vacinar, o cidadão deve apresentar no ato da vacinação um comprovante de residência (físico ou digital) na capital. Se não houver no próprio nome do munícipe, serão aceitos comprovantes em nome do pais, desde que apresentado também um documento que comprove o parentesco ou estado civil, como Registro Geral (RG) e certidão de nascimento.

Também é necessário apresentar os documentos pessoais, preferencialmente Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e cartão do Sistema Único de Saúde (SUS).

O preenchimento do pré-cadastro no site Vacina Já agiliza o tempo de atendimento nos postos de vacinação. Basta inserir dados como nome completo, CPF, endereço, telefone e data de nascimento.  

Ritmo de vacinação

De acordo com levantamentos de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde, até às 20h da quinta-feira, 19, um total de 120.228.060 pessoas que já receberam a 1a dose da vacina contra a COVID-19, o que representa 56,78% da população brasileira.

Já a 2a dose ou dose única foi aplicada em 53.437.018 pessoas (25,24% da população), num total de mais de 171.314.211 doses aplicadas em todos os estados e no Distrito Federal.

A imunização em São Paulo

Até às 20h da quinta-feira, 19, um total de 32.229.088 pessoas já tinham recebido a 1a dose da vacina contra a COVID-19 no estado de São Paulo. Já a 2a dose foi aplicada em 13.326.295 pessoas e a dose única foi aplicada em 1.133.515 pessoas.

– Insuficiência cardíaca
– Cor-pulmonale e hipertensão pulmon
– Cardiopatia hipertensiva
– Síndrome coronariana
– Valvopatias
– Miocardiopatias e pericardiopatias
– Doença da aorta, dos grandes vasos e fístolas arteriovenosas
– Arritmias cardíacas
– Cardiopatias congênitas no adulto
– Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
– Diabete mellitus
– Pneumopatias crônicas graves
– Hipertensão arterial resistente
– Hipertensão arterial estágio 3
– Hipertensão estágios 1 e 2 com lesão de órgãos alvos
– Doença cerebrovascular
– Doença renal crônica
– Imunossuprimidos
– Anemia falciforme
– Obesidade mórbida’

(Com informações de Prefeitura de SP)

        

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter