Dom Carlos Silva ressalta a missão dos catequistas na Igreja

Teve início a jornada da Iniciação à Vida Cristã (IVC) na Região Brasilândia

Priscila Rocha

No sábado, 7, em missa na Comunidade São Francisco de Assis da Paróquia Nossa Senhora do Retiro, Setor Pereira Barreto, teve início a jornada da Iniciação à Vida Cristã (IVC) na Região Brasilândia, com o intuito de refletir a missão de ser catequista.

A celebração foi presidida por Dom Carlos Silva, OFMCap, tendo como concelebrantes os Padres Silvio Oliveira, Maycon Wesley, Francisco Barros e Juarez Dirceu Passos, todos atuantes em paróquias do Setor, além do Padre Sebastião Júnior, da Arquidiocese de Campo Grande (MS) e colaborador na Paróquia Nossa Senhora do Retiro, assistidos pelo Diácono Nelson Silva. Também participaram os catequistas de Batismo, primeira Eucaristia, Perseverança, Catequese de Adultos e Crisma.

No começo da missa, o Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Brasilândia apresentou três reflexões: “Ide pelo mundo” (apontando para a cruz), “Eis-me aqui” (sinalizando a imagem de Nossa Senhora Aparecida) e “Recomeçar” (ao relembrar São Francisco em seu leito de morte). Falou, ainda, sobre a carta apostólica Antiquum ministerium, pela qual o Papa instituiu o ministério de Catequista.

Na homilia, Dom Carlos agradeceu a cada um que escutou, deu a resposta ao chamado para ser catequista e reforçou que a vocação é plena e perfeita quando Deus chama e há resposta de quem é chamado.

O Bispo lembrou que se atualmente há padres, diáconos e bispos é porque houve catequistas. Comentou, também, que “o Senhor é único e o nosso Deus”, e que uma pessoa sem fé “é incapaz de ter resultados em seus projetos”, de modo que um catequista sem fé não vai plantar a semente nas crianças, jovens e adultos. Dom Carlos Silva ressaltou que a fé é um alimento essencial da esperança de que se é capaz de vencer obstáculos e é concedida a todos, mas depende da aceitação individual: “Se aceitamos, Deus realiza sua obra; se nos fechamos, Deus respeita”. Ele também lembrou que a fé, ainda que limitada, é aceita por Deus.

Ao fim da celebração, Dom Carlos, a Irmã Elisabete e o Padre Silvio fizeram um momento de envio dos catequistas, que receberam um exemplar da carta apostólica, além do círio da assembleia catequética da Região Brasilândia, e uma carta com a recomendação de uma celebração para o Dia do Catequista em cada paróquia, a fim de se renovar os votos de cada catequista.

Dom Carlos lembrou que a comissão da IVC na Região será composta pelo Padre Silvio, Padre Dorival, Irmã Elisabete e mais dois representantes de cada setor. Como primeira missão, caberá à comissão fazer um mapa da região para pensar propostas e projetos, reforçando a importância do recomeçar. Por fim, o Bispo fez a bênção de envio: “Catequistas, que suas palavras sejam eco da voz de Cristo” e os consagrou a Nossa Senhora Aparecida.

Outros setores pastorais da Região Brasilândia terão uma celebração que marcará a escolha de pessoas da Comissão Regional da IVC.

(Por Priscila Rocha – Colaboradora de comunicação na Região)

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter