Dom Odilo: mensagem de Nossa Senhora de Fátima confirma ao mundo o Evangelho de Cristo

Nossa Senhora de Fátima (Foto: Santuário de Fátima)

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu, na quinta-feira, 13, na capela de sua residência, a missa da memória de Nossa Senhora de Fátima.

A celebração foi transmitida pela rádio 9 de Julho e pelas mídias digitais da Arquidiocese.

Na homilia, Dom Odilo enfatizou que celebrar a memória de Nossa Senhora de Fátima significa recordar sua mensagem sempre atual para a Igreja e para a humanidade.

Referindo-se as aparições da Virgem Maria em Fátima, Portugal, há pouco mais de um século, o Arcebispo sublinhou que a mensagem trazida pela Mãe de Deus confirma o Evangelho anunciado por seu Filho, Jesus Cristo.

Oração, penitência e conversão

A primeira recomendação dada Nossa Senhora aos pastorinhos é que se reze pela conversão dos pecadores. O Cardeal lembrou que essas aparições aconteceram em uma época marcada por muitos conflitos no mundo, guerras, ateísmo militante crescente. “Maria recomenda a oração do Terço, pedindo misericórdia a Deus pelos próprios pecados e a conversão dos pecadores”, completou.

Nossa Senhora também recomenda a prática da penitência para a conversão pessoal e de todos os pecadores. “Não se trata de um castigo ou autoflagelação, como, às vezes, é entendida. A penitência é o exercício de fidelidade e de conversão que, muitas vezes, requer exercícios de privação e esforços para mudança de vida”, frisou o Arcebispo, acrescentando que a maior penitência é observar os mandamentos, sobretudo o do amor a Deus e ao próximo.

Em seguida, a Virgem de Fátima exorta que a Igreja continue sua missão de anunciar o Evangelho a todos os povos e a testemunhe a fidelidade a Jesus Cristo. “Essa é a condição para que a Igreja possa exercer bem sua missão e produzir frutos”, completou.

Reprodução da internet

Mensagem atual

Dom Odilo reforçou a mensagem de Nossa Senhora de Fátima é sempre atual e necessária para um mundo marcado por violência, desonestidade, corrupção, injustiça, miséria e desigualdade.

“Que Deus nos dê a graça de uma constante conversão, um verdadeiro espírito de penitência e oração”, concluiu  o Cardeal.

Evangelho

No Evangelho da liturgia do dia (Jo 16,16-20), na 6ª semana da Páscoa, Jesus se dirige aos apóstolos e diz: “Pouco tempo ainda, e já não me vereis. E outra vez pouco tempo, e me vereis de novo”.

Na homilia, Dom Odilo explicou que esse trecho do texto bíblico se insere no contexto da última ceia, quando Jesus dá as últimas recomendações aos apóstolos, antes de sua paixão, morte e ressurreição.

O Cardeal continuou a meditação destacando que a humanidade vive, agora, o “outro pouco de tempo”, a espera para que o encontro definitivo com o Senhor na vida eterna. “Mesmo que vivamos 90 anos, é pouco tempo em relação à eternidade”, disse.

O Arcebispo acrescentou, ainda, que, enquanto esperam o reencontro com Cristo, os discípulos continuam sua missão do testemunho do Evangelho para que muitos creiam e ter a graça da vida e da salvação.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter