Em missa, é aberta na Arquidiocese a Semana Nacional da Família

“Alegria do amor na Família” é o tema da Semana Nacional da Família, celebrada até o dia 14 de agosto por toda a Igreja no Brasil, em sintonia com a vivência do Ano Família Amoris laetitia, convocado pelo Papa Francisco.

Fotos: Luciney Martins/O SÃO PAULO

Na Arquidiocese de São Paulo, a abertura da Semana Nacional da Família aconteceu no sábado, 7, com missa presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, no Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora Aparecida, no bairro Ipiranga.

A celebração contou com a participação de representantes e membros da Pastoral Familiar das seis regiões episcopais da Arquidiocese, da comunidade paroquial e foi transmitida pela rádio 9 de Julho e redes sociais do Santuário.

Vocação

Na homilia, Dom Odilo destacou que a Semana da Família acontece durante o mês vocacional, para recordar que ser família é um chamado.

“O casamento é uma vocação e a decisão de formar uma família deve ser fruto de um discernimento vocacional. O casamento não é uma convenção social, um rito vazio ou sinal externo de compromisso. É um dom em que os casados são chamados à santidade por meio da união conjugal, alicerçados no amor e fundamentados no chamado de Deus”.

O Cardeal recordou que o Matrimônio está enraizado na graça do Batismo, aliança que une a pessoa a Cristo na Igreja. E ressaltou que unidos e imbuídos da graça de Cristo, os esposos prometem fidelidade, entrega total e se comprometem a caminhar juntos na construção da família. 

Celebrar a família

Padre Zacarias José de Carvalho Paiva, Pároco e Reitor do Santuário Nossa Senhora Aparecida e Assessor Eclesiástico da Pastoral Familiar destacou que a Semana Nacional da Família é um momento para celebrar a vida familiar.

“Essa vivência é uma oportunidade para resgatar os valores e recordar a função da família de ser polo de comunhão e fraternidade e fomentar a fé”, afirmou, pontuando, ainda, a missão da Pastoral Familiar nas paróquias e comunidades: “A Pastoral é um espaço de união e comunhão dentro da Igreja do Brasil”.

Ano da família

O Ano Família Amoris laetitia é uma iniciativa do Papa Francisco, com o objetivo de oferecer à Igreja oportunidades de reflexão, estudo e vivência concreta das riquezas expressas na exortação, em preparação ao X Encontro Mundial da Famílias de Roma 2022, com o tema “O amor na família: vocação e caminho de santidade”.

A exortação Amoris laetitia, lançada em 2016, é fruto de dois sínodos sobre a família realizados nos anos de 2014 e 2015. São nove capítulos que abordam questões sobre a Palavra, a realidade, os desafios e a vocação das famílias, o amor no Matrimônio, a fecundidade, a educação dos filhos, a espiritualidade, entre outros temas.

Os objetivos do Ano Família são difundir o conteúdo da exortação apostólica; anunciar que o sacramento do Matrimônio é um dom; fazer da família protagonista da pastoral familiar; sensibilizar os jovens; e ampliar o olhar e a ação da Pastoral Familiar.

O Ano Família Amoris laetitia começou em 19 de março de 2021 e continua até 26 de junho de 2022.

Hora da Família

Para a Semana da Família, todos os anos, a Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF) prepara materiais de estudo e apoio para as arquidioceses, dioceses e paróquias. Entre estes está o subsídio Hora da Família, que em 2021 completa 25 anos. Ele foi criado em 1996, como material de preparação para a visita do Papa João Paulo II, que veio ao Brasil, por ocasião, do II Encontro Mundial das Famílias.

O tema escolhido é “Alegria do amor na família” e o lema “Dá e recebe, e alegra a ti mesmo”, em referência a exortação Amoris laetitia, documento do Papa Francisco que, em 2021, completou cinco anos de sua publicação.

O subsídio é um material com roteiros de reflexão e oração para fortalecer o trabalho de evangelização das famílias. São sete encontros e um roteiro de celebração para o Dia dos Pais e tem como objetivo resgatar o valor único e próprio da família, revigorar os laços familiares e aumentar a espiritualidade familiar.

Ricardo Nogueira Simões e Aparecida de Abreu Nogueira Simões, casados há 38 anos, são os coordenadores arquidiocesanos da Pastoral Familiar. Eles destacam que o subsídio “convoca para a reflexão e vivência da dimensão da alegria do amor nas famílias. De norte a sul do País, as famílias refletem, aprofundam e se catequizam por meio do Hora da Família. Cada encontro proposto no subsídio é um itinerário de aprofundamento da fé em família a serviço da comunidade”.

A beleza e os desafios da vida em família

Cada tema proposto no Hora da Família é um convite à reflexão sobre a dinâmica conjugal, uma oportunidade de pensar sobre a beleza e os desafios da vivência familiar. 

“Somente um verdadeiro amor pode trazer a alegria que vem de Cristo. É preciso evidenciar a alegria que brota do coração de cada lar cristão, como fruto do fortalecimento dos vínculos conjugais que unem os filhos e vencem juntos obstáculos e desafios porque estão sustentados pela fé”, afirmou o casal.

Práticas como “a oração em família, o diálogo, engajamento comunitário, o exame de consciência ajudam ao casal a construir um lar saudável e a enfrentar as dificuldades com leveza e sabedoria”, pontuou o casal coordenador.

Viver o amor no cotidiano

O Papa Francisco constantemente convida a refletir o amor familiar como vocação e caminho para santidade. Resgata o amor no Matrimônio e ilustra-o a partir do “hino ao amor” (1 Cor 13, 4-7).

Viver o amor no cotidiano exige renúncias, exercer a humildade, desculpar e servir os outros de coração. Olhar o outro com misericórdia, dando pouca relevância aos limites e falhas e valorizar as virtudes para construir laços afetivos. 

O exemplo da Família de Nazaré é inspiração para os casais na vivência do amor e na educação dos filhos.

Acompanhar, discernir e integrar

O Papa entra na realidade concreta das relações familiares, destacando os aspectos fundamentais do caminho de santificação a qual as famílias são chamadas. Convida ao compromisso eclesial, encorajando uma renovação do cuidado pastoral tanto na metodologia como no conteúdo a fim de tornar acessível às necessidades atuais das famílias em seus contextos.

Essa pedagogia de Francisco de “acompanhar, discernir e integrar” é um caminho onde “a Igreja deve acompanhar, com atenção e solicitude, os seus filhos mais frágeis, marcados pelo amor ferido, dando-lhes de novo confiança e esperança… (Amoris laetitia, 291).

No discernimento pastoral, identificar elementos que possam favorecer a evangelização e o crescimento humano e espiritual” (AL,298).

Para integrar ‘deve-se ajudar cada um a encontrar a sua própria maneira de participar da comunidade eclesial…. (AL, 297).

Ações concretas

Este ano, ainda devido à pandemia, a programação da Semana Nacional da Família na Arquidiocese foi marcada por eventos transmitidos pelas mídias digitais e alguns no formato presencial.

“Dentre as atividades planejadas estão acontecendo celebrações presenciais e virtuais, por conta da pandemia, lives semanais para refletir os temas do subsídio Hora da Família, com convidados; famílias unidas na oração do Santo Terço, novenas e ofícios”, pontuou o Padre Zacarias.

“A Pastoral Familiar promoveu a Pré-Semana da Família, uma sessão de lives preparatórias sobre o tema deste ano, unindo e envolvendo as seis regiões episcopais e agora, cada paróquia vai fazer sua atuação e programação própria para a vivência concreta da semana in loco”, ressaltaram Ricardo e Aparecida.

A Pastoral Familiar se uniu à solidariedade dos irmãos em situação de vulnerabilidade e promoveu campanhas de arrecadação e distribuição de cobertores, cestas básicas e itens de higiene.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter