Futuros padres fazem profissão de fé e juramento de fidelidade antes da ordenação

Na segunda-feira, 21, os cinco diáconos que serão ordenados sacerdotes, no próximo dia 3 de dezembro, fizeram a profissão de fé e o juramento de fidelidade diante do Arcebispo Metropolitano, Cardeal Odilo Pedro Scherer. Esse ato, previsto pela legislação da Igreja, foi realizado no Mosteiro da Encarnação, em Mogi das Cruzes (SP), onde os candidatos fizeram o retiro preparatório para ordenação.

Futuros padres fazem profissão de fé e juramento de fidelidade antes da ordenação, Jornal O São Paulo
Foto: Arquivo pessoal

Os diáconos Allan Santos Leite, 34, Cleyton Pontes da Silva, 27, Lucas Antonio Silva Martinez, 27, Nilo Shinen, 44, e Elias Honório, 27, receberão a ordenação sacerdotal na Catedral da Sé, pela imposição das mãos de Dom Odilo, às 15h.

Antes do rito sacramental de ordenação presbiteral, o candidato deve realizar a profissão de fé e o juramento de fidelidade conforme preveem o Código de Direito Canônico e o Dicastério para a Doutrina da Fé, diante do Bispo diocesano ou seu delegado, e deve assiná-los à mão.

Na profissão de fé, além da fórmula do Credo Niceno-Constantinopolitano, acrescenta-se: “Com firme fé, também creio que na Palavra de Deus, escrita ou transmitida, se contém o que é proposto pela Igreja, quer em solene definição, quer pelo Magistério ordinário e universal. Firmemente também acolho e guardo todas e cada uma das afirmações que são propostas definitivamente pela mesma Igreja, a respeito da doutrina sobre a fé e os costumes. Enfim, presto minha adesão, com religioso acatamento da vontade e inteligência, às doutrinas enunciadas, quer pelo Romano Pontífice, quer pelo Colégio dos Bispos, ao exercer o Magistério autêntico, ainda que não sejam proclamadas por ato definitivo”.

COMUNHÃO

Ao assumirem o presbiterado, os candidatos prometem conservar-se sempre em comunhão com a Igreja Católica, quer em palavras por eles proferidas, quer em seu procedimento. “Ao desempenhar os ofícios, que em nome da Igreja me forem conferidos, guardarei integralmente o depósito da fé, que, com fidelidade, transmitirei e explicarei. Quaisquer doutrinas, portanto, contrárias a este depósito, serão por mim evitadas”, continua o juramento.

“Com obediência cristã, seguirei o que declaram os sagrados pastores, como autênticos doutores e mestres da fé ou o que estabelecem como orientadores da Igreja, e prestarei fielmente ajuda ao Bispo diocesano, a fim de que a ação apostólica, a ser exercida em nome e por mandato da Igreja, se realize em comunhão com a mesma Igreja”, concluem os candidatos, pedindo a ajuda de Deus enquanto tocam o livro dos evangelhos.

Antes de serem ordenados diáconos e padres, os candidatos também devem fazer uma declaração pessoal sobre sua liberdade para receber a Sagrada Ordenação e sobre sua clara consciência acerca das obrigações e compromissos que ela implica para a vida toda, especialmente no que se refere ao celibato (cf. Cân. 277, §1). Essa declaração deve ser manuscrita e expressa com palavras próprias, e não copiada de um formulário.

As ordenações presbiterais serão transmitidas pelas mídias digitais da Arquidiocese (Facebook e YouTube).

Deixe um comentário