Igreja matriz da cidade de Mauá é elevada a Santuário na Diocese de Santo André

Igreja matriz da cidade de Mauá é elevada a Santuário na Diocese de Santo André, Jornal O São Paulo
Fotos: Pascom Diocesana

No dia 8 de dezembro, dia  em que se fez memória da proclamação do dogma da Imaculada Conceição da Santíssima Virgem Maria pelo Beato Pio IX em 1854, elevou-se à Santuário, em solene celebração eucarística, presidida por Dom Pedro Carlos Cipollini, bispo da Diocese de Santo André, a Paróquia Imaculada Conceição, Matriz de Mauá.

O rito de dedicação iniciou do lado de fora da matriz, com muitos fiéis presentes, padres, diáconos e seminaristas de nossa diocese na entrada na igreja, com as portas fechadas. Em frente à matriz, Dom Pedro acolheu todos os presentes, ressaltando a alegria de dedicar a Paróquia Imaculada Conceição, as portas se abriram acolhendo os fiéis emocionados.

A procissão adentrou a igreja com as luzes apagadas, os diáconos levavam as relíquias do mártir Santo Oscar Romero, bem como as relíquias dos santos não mártires São João Paulo II e Santo Antônio de Sant’Anna Galvão.

Seguindo o rito, o bispo diocesano abençoou a água e aspergiu toda a assembleia, simbolizando o dom do Espírito de Deus, lembrando o batismo, e em sinal de penitência e as paredes e o altar da matriz para purificá-los, realizando  as leituras, o salmo e o Evangelho.

Em sua homilia, Dom Pedro refletiu as leituras do dia: “A primeira leitura nos fala das consequências do pecado que separa o homem de Deus e dos outros. Adão tem vergonha de Deus e se esconde por estar nu. Não consegue amar a Deus e pensa que Deus não o ama mais. Adão põe culpa na mulher e esta culpa a serpente pela queda. Assim a falta de solidariedade se torna uma marca da vida humana. Deus pune a serpente mas anuncia que vai enviar um libertador, nascido de mulher. E esta mulher vai esmagar a cabeça da serpente.” (clique aqui e leia a homilia completa)

A Ladainha de Todos os Santos precedeu a deposição das relíquias no altar pelo bispo, sendo depositado e fechado, em seguida o bispo ungiu com óleo o altar e as cruzes de dedicação presentes nas paredes da igreja. Este momento contou com a participação dos do pároco do Santuário, Padre Cláudio Tafarelo e do vigário, Padre André Gonçalves.

Após a unção com óleo aconteceu a incensação do altar e da igreja, colocou-se sobre o altar um fogareiro para queimar o incenso, simbolizando com esse ato que o sacrifício de Cristo, perpetuado ali sacramentalmente, sobe até Deus como suave aroma, juntamente com as orações dos fiéis.

O altar é revestido, mostrando que é o lugar do sacrifício eucarístico e mesa do Senhor; celebrando o memorial da morte e ressurreição de Cristo e participando da Ceia do Senhor. Neste momento a vela de cada cruz foi acesa, e toda a igreja foi iluminada, lembrando  que Cristo é a “luz do mundo’: e que a Igreja deve levar no mundo as luzes de Cristo e do seu Evangelho; antes, todo cristão, chamado por Cristo “Luz do mundo’: deve anunciar o Evangelho com a palavra e com as obras de caridade.

Padre Camilo Gonçalves, chanceler do bispado, leu o decreto de Elevação a Santuário, e então Dom Pedro proclamou o SANTUÁRIO DIOCESANO DE NOSSA SENHORA DA IMACULADA CONCEIÇÃO.

O bispo, após a liturgia eucarística, inaugurou a Capela do Santíssimo Sacramento, local da reserva eucarística, adoração e oração pessoal.

Padre Cláudio, emocionado, agradeceu todos que se dedicaram para a linda celebração e a Deus pelo momento vivido, direcionou-se a Dom Pedro e também agradeceu por conceder a elevação da matriz, que foi um presente para todos que fazem parte da história da matriz, contou a todos também que a relíquia do Beato Carlos Acutis, Santo Oscar Romero e  São João Paulo II dadas também pelo bispo.

Dom Pedro contou sobre sua devoção à Maria Imaculada, pois nasceu e foi batizado em uma cidade que tem Imaculada Conceição como padroeira, recebeu sua primeira comunhão e foi crismado em uma paróquia que a tem como intercessora, contou também que foi ordenado diácono, presbítero e bispo em uma Catedral da Imaculada Conceição, relembrou que assim que chegou na Diocese de Santo André recebeu o título de cidadão honorário de Mauá, sentindo que Imaculada Conceição que o recebia como filho, e com um gesto inesperado, ofertou o báculo que o acompanha desde que eleito bispo, depositando em cima do altar aos pés da imagem, e pediu proteção para o seu episcopado.

Fonte: Diocese de Santo André

Leia mais
CRP da Diocese de Santo André tem dia de reflexão sobre a sinodalidade

Deixe um comentário