Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro: há 70 anos atenta às urgências da evangelização

A celebração marcou a abertura do ano jubilar, pelos 70 anos da Paróquia, com o tema “Nossa comunidade estará atenta às urgências da evangelização na cidade”. 

Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro: há 70 anos atenta às urgências da evangelização
(Foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

HISTÓRIA

Em 1951, a pedido do então Arcebispo Metropolitano, o Cardeal Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta, a Congregação do Santíssimo Redentor (Missionários Redentoristas) assumiu a missão de formar a comunidade e dar início à construção da igreja, que foi fundada em 1952.

A Paróquia está localizada em uma região nobre da capital, e conta com uma estrutura moderna, idealizada pelo arquiteto Benedito Calixto. O interior da igreja é marcado por pinturas “afresco”, feitas pelo pintor Sansom Flexor.  

“As pinturas da igreja são um convite a meditar a devoção à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro como medianeira e fonte inesgotável de auxílio e socorro. A pintura interna retrata a riqueza do Mistério da Igreja Caminhante e da Igreja Triunfante, cujos olhares fixos e esperançosos se dirigem para a abside do presbitério, onde a Mãe do Perpétuo Socorro, ladeada dos evangelistas e dos santos padroeiros, acolhe a todos os que a ela recorrem”, contou o Pároco, Padre Geraldo de Paula Souza, CSsR.

VIDA PASTORAL

O Pároco recordou que as dependências da Paróquia já foram uma escola. Atualmente, sete grupos de anônimos (entre alcoólicos e narcóticos) por lá se reúnem. Os paroquianos são moradores do bairro e há pessoas de outras regiões. O bairro era residencial e com o passar dos anos mudou para um perfil mais comercial, com escritórios. 

“Essa realidade trouxe um desafio na vivência paroquial: como engajar e atrair as pessoas para a participação da vida em comunidade? Ser Igreja é mais do que participar da missa. A vida comunitária é uma dimensão que precisa ser resgatada”, enfatizou o Sacerdote, preocupado com a diminuta participação de crianças e jovens na dinâmica paroquial.  

Laura Maria Gumerato Cominato, 69, é professora e empresária. Atua como ministra extraordinária da Eucaristia. É, também, representante da Paróquia no sínodo arquidiocesano. Ela recordou que as pastorais atuantes na Paróquia são a Catequese, Encontro de Casais, Dízimo, Liturgia e Música. “Elas renovam a dinâmica e o crescimento pastoral, mantendo a Igreja viva e na busca de ser uma ‘Igreja em saída’”, pontuou. 

Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro: há 70 anos atenta às urgências da evangelização
(Foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

A Congregação do Santíssimo Redentor foi fundada por Santo Afonso de Ligório, em 1732, em Scala, na Itália. Está espalhada pelos cinco continentes e presente em 82 países.

Os primeiros membros da congregação chegaram ao Brasil em 1893, com missionários holandeses para atuarem em Juiz de Fora (MG). Em 1894, Redentoristas alemães passaram a trabalhar no Santuário Nacional de Aparecida (SP) e no Santuário do Divino Pai Eterno (GO).

No Brasil, são cerca de 550 membros entre Padres e Irmãos Consagrados atuando em Salvador (BA), Campo Grande (MS), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR), Manaus (AM), Recife (PE), São Paulo, Ceará e Goiás. 

NA ARQUIDIOCESE

Na cidade de São Paulo, os religiosos chegaram à missão em 1906. “Estamos presentes na Paróquia Senhor Santo Cristo, na Cidade Tiradentes; na Comunidade Nossa Senhora da Esperança, em Sapopemba; no Ipiranga, desde 1972, com o Seminário de Teologia e a formação dos novos sacerdotes; na Comunidade Formativa no Bosque da Saúde; aqui no Jardim Paulistano, com a Paróquia e a Casa Provincial”, destacou Padre Geraldo, ressaltando ainda que os Redentoristas buscam contribuir com o seu carisma para a missão evangelizadora da Igreja.  

As ações sociais são uma marca dos Redentoristas. O Centro de Assistência Social (CAS) é um conjunto de projetos que tem em vista contribuir para a ressocialização. 

“As obras sociais redentoristas, de modo particular na Província de São Paulo, buscam zelar pela qualidade e resgate da dignidade de vida das pessoas em situação de vulnerabilidade social”, disse o Sacerdote, ressaltando que o trabalho social é indispensável para a evangelização.

CARISMA

Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro: há 70 anos atenta às urgências da evangelização
(Foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

O carisma redentorista consiste em evangelizar todas as pessoas, especialmente as mais pobres e abandonadas.

“Somos conhecidos como os missionários das Santas Missões Populares, missões amplamente divulgadas em todo o País. Com o passar dos anos, a pedido da Igreja, assumimos também o trabalho em santuários e paróquias, nos meios de Comunicação Social, na formação e em outros tantos trabalhos”, destacou o Pároco. 

A devoção a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é um pedido do Papa Pio IX, no ano de 1866, aos Redentoristas. 

“Para atender ao pedido do Papa, ‘façam-na conhecida no mundo inteiro’, onde estão os Redentoristas a devoção está presente”, afirmou Padre Geraldo, destacando que, “aqui no Brasil, as novenas são fortes e todas as quartas-feiras, na Paróquia, reza-se a Novena Perpétua a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro”, destacou o Redentorista. 

Regina Hitomi Babá Nakamoto, 59, é dentista e ministra extraordinária da Sagrada Comunhão. Ela participa da vida paroquial há 45 anos, onde fez a primeira Eucaristia, casou-se e batizou seus filhos. 

“Nossa comunidade sempre foi e continua sendo muito fiel a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, nossos Padres continuam na missão de torná-la conhecida. A devoção é presença viva nas celebrações e nas pastorais, que, inspiradas na Mãe do Perpétuo Socorro, buscam a construção do Reino de Deus”, disse. 

ANO JUBILAR

Na homilia da missa do dia 27, o Cardeal Scherer recordou o significado da devoção e do ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro como a “Mãe do constante socorro”. O Arcebispo destacou que a Paróquia expressa a convicção da presença de Maria na vida da Igreja. 

As celebrações do ano jubilar acontecem no período de 27 de junho de 2021 a 26 de junho de 2022. 

Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro: há 70 anos atenta às urgências da evangelização
(Foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

“Em todos os domingos que antecedem o dia 27 de cada mês, será refletido um tema pautado na devoção a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, aos apelos do Papa Francisco, do Sínodo Arquidiocesano e às urgências da evangelização na cidade”, destacou o Pároco, ressaltando que as ações programadas para a celebração estão sob o olhar e proteção da Padroeira, que estará olhando e intercedendo por todos!

Na abertura das celebrações dos 70 anos, o Arcebispo agradeceu a missão desempenhada pelos Missionários Redentoristas, que manifestam a presença de Deus que caminha com seu povo por meio do anúncio da Palavra de Deus, da celebração dos sacramentos, do testemunho da caridade organizada nas pastorais atuantes e no testemunho da vivência cristã na sociedade orientada pelos valores do Evangelho. 

O Arcebispo expressou gratidão a todos os que colaboram para a edificação da comunidade e os exortou a que continuem firmes na caminhada.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter