‘Que sejamos sempre animados pelo desejo de ver Jesus’

(Foto: Bruno Melo)

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa desta terça-feira, 17, memória de Santa Isabel da Hungria. A Eucaristia, celebrada na capela de sua residência, foi transmitida pela rádio 9 de Julho e pelas mídias digitais da Arquidiocese.

Filha do imperador Andreas II da Hungria, Santa Isabel nasceu em 1207, casou-se com o Luís IV, herdeiro de um dos feudos mais ricos do Império Romano-Germânico.

Sua vida foi marcada pelo testemunho de fé e caridade que incomodava a nobreza da época. Isabel distribuía alimentos, roupas, dinheiro e até ferramentas agrícolas aos súditos pobres. Após a morte de seu marido, ela foi expulsa do palácio com seus filhos, chegando a se abrigar com os porcos em um curral. Anos depois, foi chamada para voltar à corte, mas renunciou aos títulos e ingressou na Ordem Terceira Franciscana.

Convite à conversão

Na primeira leitura (Ap 3,1-6.14-22), São João continua as recomendações às igrejas da Ásia Menor, reforçando o convite à conversão. “Essas palavras dirigidas às comunidades primitivas são um incentivo a perseverar, a não perder o fervor, a manter o esforço, a não se acomodar, mantendo firme o passo no caminho do Evangelho, da vida com Deus, na conversão”, explicou Dom Odilo.

O Evangelho (Lc 19,1-10) narra a cena do encontro de Jesus com Zaqueu, que o recebe em sua casa. O texto destaca que o esse rico chefe dos cobradores de impostos desejava ver o Senhor.

“Zaqueu recebe Jesus alegremente em sua casa e faz a sua confissão: ‘Senhor, eu dou a metade dos meus bens aos pobres, e se defraudei alguém, vou devolver quatro vezes mais’”, observou o Cardeal.

Confissão

O Arcebispo destacou, ainda, que, diante das palavras do publicano, Jesus respondeu: “Hoje a salvação entrou nesta casa, porque também este homem é um filho de Abraão. Com efeito, o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido”.

“Zaqueu cometeu erros graves, arrependeu-se e se converteu, fez a penitência e a reparação”, enfatizou Dom Odilo, recordando que esses são os passos do sacramento da Reconciliação: “reconhecer o pecado, confessar, fazer penitência e reparar o mal feito”.

“Existe salvação para todos os que aceitam e buscam recebê-la”, acrescentou o Cardeal, que concluiu: “Peçamos a Deus que sejamos sempre animados pelo desejo de ver Jesus, conhecê-lo e encontra-lo. Pelo desejo de perseverar na fé e nunca ficarmos indiferentes”.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter