Turismo registra segunda queda consecutiva na capital paulista

No segundo mês do ano, setor recuou 5,3% e registrou um número-índice de 75,8

Pixabay

Em fevereiro, o Índice Mensal de Atividade do Turismo (IMAT) na cidade de São Paulo registrou a segunda queda consecutiva. O número-índice saiu de 80, em janeiro, para 75,8, no segundo mês do ano, uma retração de 5,3%. Vale ressaltar, porém, a intensa recuperação do setor no comparativo anual. O faturamento, por exemplo, avançou 116% em comparação a fevereiro de 2021. Os dados são do Conselho de Turismo (CT) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), em parceria com a SPTuris.
 
Outro ponto que pode significar boas notícias para o setor foi a queda menos intensa do IMAT entre janeiro e fevereiro de 2022 (de 80 para 75,8), em relação ao apurado no mesmo período de 2020 (de 100 para 89,9), antes da pandemia, conforme destaca Mariana Aldrigui, presidente do Conselho de Turismo da FecomercioSP. “A perspectiva de mais negócios e mais eventos leva a antecipações de compras e reservas, bem como à dinamização da economia, portanto, melhores perspectivas para os próximos meses”, avalia ela.
 
O recuo do IMAT em relação a janeiro é resultado das diferenças entre os meses, que têm o número de dias e comportamentos distintos. Num cálculo ponderado com a média diária, por exemplo, a atividade do turismo na capital paulista está praticamente igual à de janeiro. Além disso, em comparação a fevereiro do ano passado, o saldo do mês é positivo: alta de 49,5%. Em março, o carnaval e a volta expressiva dos eventos na cidade, como o Festival Lollapalooza, devem impulsionar os resultados do indicador.

Avanços do mês
Em fevereiro, a ocupação hoteleira, impulsionada pelo turismo corporativo, subiu 71%. A taxa está em 55%, deste modo, acima da registrada em janeiro (48,7%) e da apontada no mesmo período do ano passado (32,2%). Além da recuperação do movimento, houve alta também da receita de hospedagem por quarto disponível – Revenue per Available Room (RevPar).
 
O número de pessoas trabalhando em segmentos ligados ao turismo cresceu 5% em relação ao mesmo mês do ano passado. São 17,2 mil trabalhadores a mais em termos absolutos. Já a movimentação nas rodoviárias e nos aeroportos caiu 2,1% e 31,1%, respectivamente, no comparativo mensal. Os números refletem o impacto do fim das férias de janeiro e da variante ômicron, que provocou o cancelamento de viagens logo no início do mês, além da menor quantidade de dias. Na comparação anual, houve avanços: 87%, nos aeroportos, e 38%, nas rodoviárias. 

Índice mensal de atividade do turismo na Cidade de São Paulo

Nota metodológica
O indicador é composto por cinco variáveis que têm os mesmos pesos para a criação do índice. São analisadas as movimentações de passageiros dos aeroportos de Congonhas e Guarulhos, assim como dos passageiros das rodoviárias, a taxa média de ocupação hoteleira na cidade, o faturamento do setor do turismo na capital e o estoque de emprego nas atividades exclusivas do turismo. O índice tem sua base no número 100, usada como referência de comparação em janeiro de 2020. Ele pode sofrer mudanças mensais em decorrência dos dados que compõem o cálculo, com a saída de projeções e a entrada de números consolidados na série.
 
Sobre a FecomercioSP
Reúne líderes empresariais, especialistas e consultores para fomentar o desenvolvimento do empreendedorismo. Em conjunto com o governo, mobiliza-se pela desburocratização e pela modernização, desenvolve soluções, elabora pesquisas e disponibiliza conteúdo prático sobre as questões que impactam a vida do empreendedor. Representa 1,8 milhão de empresários, que respondem por quase 10% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e geram em torno de 10 milhões de empregos.
 

Fonte: FecomercioSP

Deixe um comentário