Depois de receber alta, Papa agradece carinho e pede orações pelos doentes

Com uma mensagem no Twitter, o Papa Francisco agradeceu ontem todas as orações e as manifestações de afeto recebidas nos dez dias em que esteve internado no Hospital Agostino Gemelli

Vatican Media

“Agradeço a todos que estiveram próximos de mim com a oração e o carinho durante os dias de hospitalização. Não nos esqueçamos de rezar pelos doentes e por aqueles que os assistem.”

Com uma mensagem no Twitter, o Papa Francisco agradeceu ontem todas as orações e as manifestações de afeto recebidas nos dez dias em que esteve internado no Hospital Agostino Gemelli, onde se submeteu a uma cirurgia no cólon.

O Pontífice recebeu alta na quarta-feira e antes de regressar ao Vaticano foi até à Basílica de Santa Maria Maior rezar diante do ícone mariano da “Salus Populi romani” para agradecer pelo bom êxito da operação.

Mas como indica a mensagem no Twitter, o pensamento do Santo Padre se dirige aos doentes e aos profissionais da área de saúde. No comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé, especifica-se que Francisco rezou de modo especial pelos pacientes que encontrou na Policlínica durante sua convalescência.

O Papa e as crianças

E entre estes pacientes, estão as crianças da Unidade de Oncologia Pediátrica. A comunicação entre eles começou através de uma mensagem enviada pelo Papa aos pequenos, que prontamente responderam com um desenho, acompanhado de um bilhete: “Ouvimos dizer que não está muito bem e que agora se encontra no nosso mesmo hospital. Embora não possamos nos ver, nós lhe enviamos um forte abraço e lhe desejamos uma rápida recuperação”.

O encontro pessoalmente ocorreria dias depois, e foi feito em público durante o Angelus dominical. Na ocasião, Francisco falou justamente sobre o mistério da dor e da doença nas crianças. Por que elas sofrem é uma pergunta sem resposta.

Contudo, com os boletins diários que comunicavam um progresso na recuperação, a presença do Papa no Gemelli se transformou aos poucos numa ocasião para manifestar proximidade a todos os enfermos. “Que ninguém fique só”, foi o seu apelo, unido ao pedido de que todos tenham acesso a serviços de saúde gratuitos.

(Com informações de Vatican News)

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter