Deus dá à família um tesouro a ser revelado e partilhado

Provenientes da Arquidiocese de Paris, o casal Com Bênoit e Véronique Rabourdin falou sobre a identidade e missão da família cristã durante o X Encontro Mundial da Família, em Roma

Deus dá à família um tesouro a ser revelado e partilhado

O terceiro dia do X Encontro Mundial das Famílias, em Roma, na sexta-feira, 24, foi iniciado com a missa na Basílica de São Pedro, presidida pelo Cardeal Angelo De Donatis, Vigário da Diocese de Roma, após a qual se seguiram os trabalhos do congresso teológico pastoral que ocorre na Sala Paulo VI.

“Identidade e missão da família cristã” foi o tema da conferência da manhã, ministrada pelo casal Bênoit e Véronique Rabourdin, da Arquidiocese de Paris. Casados há 35 anos, eles têm três filhos e cinco netos, e são  responsáveis pelo movimento apostólico Amor e Verdade, por meio do qual realizam iniciativas de orientação a casais em diferentes partes do mundo.

Bênoit e Véronique Rabourdin ressaltaram, inicialmente, que a família é a base da formação e do desenvolvimento de todo o ser humano, sendo, assim, a todo o tempo “chamada a redescobrir o tesouro que ela abriga em si mesma para o seu próprio bem e para o bem da Igreja e da própria sociedade”. Eles lembraram que a família tem um tesouro dado por Deus, o qual precisa sempre resplandecer e ser partilhado para que dê frutos.

O TESOURO DADO POR DEUS

Recordando passagens da exortação apostólica Amoris laetitia, eles destacaram que no casamento Deus se reflete no homem e na mulher, imprimindo seus traços e o caráter indelével do seu amor trinitário, e que oferece tal amor para que os esposos dele vivam e o façam circular na própria família, na Igreja e na sociedade.

“Perceber essa realidade nos fez contemplar maravilhados a nossa vocação de esposos. Ao compreender isso, nos perguntamos: será que vivemos realmente essa comunhão com Deus?”, indagaram, destacando que o Senhor tem um projeto para a santificação de toda a família.

“O casamento cristão é mais que um contrato social. É uma vocação, pois os esposos e suas famílias são chamados por Deus a viver uma missão e torná-la visível neste mundo”, ressaltaram, destacando, ainda que quando o casal vive a dimensão do mútuo cuidado fortalece a sua unidade interior e pode testemunhar o amor de Deus ao mundo. “É importante compreender este tesouro e revelá-lo, pois os casais que vivem esta comunhão de amor são intrinsicamente felizes e fecundos”, garantiram.

REVELAR O TESOURO ESCONDIDO

Bênoit e Véronique lembraram que é dever dos casais cristãos revelar este tesouro que Deus dá à família, a fim de que outras pessoas também sigam o chamado para a vocação matrimonial.

Para tal, o casal francês indicou quatro chaves de ação. A primeira é que os esposos passem da lógica do utilitarismo para a da doação, ou seja, que o marido e a mulher superem a tendência de nos relacionamentos sempre querer receber em vez de doar, seja com o próprio cônjuge, com os filhos e com os demais parentes. A todos os casais vale o olhar para o exemplo de Cristo, que deu a própria vida para o bem da humanidade, e a toda a família é válida a recomendação do Papa Francisco na Amoris laetitia de que as palavras “por favor, obrigado e desculpe” sejam parte do cotidiano do lar.

“Este amor que nos descentra de nós mesmos para cuidar mais da família deve ser aprendido e reaprendido a cada dia, e quando bem vivido, ele irriga a sua volta, portanto, irriga a Igreja e a sociedade”, destacaram.

A segunda chave de ação é a de planejar um tempo privilegiado para o casal, e da mesma maneira dedicar um tempo especial para atividades de qualidade com os filhos, expressando o amor dos pais por eles.

Com Cristo, por Cristo e em Cristo, permanecendo Nele, também é a terceira chave de ação, na perspectiva de que o Senhor seja o centro da família, com os pais demonstrando aos filhos a plena confiança em Deus e busca incessante por Ele. “Por que não chamar a Jesus para transformar a nossa água diária em vinho festivo, como Ele fez nas bodas de Canaã?”, indagaram, recordando, ainda, práticas que não devem faltar no cotidiano.

“De uma forma muito simples, reintroduzimos a graça dentro da nossa família: fizemos breves momentos de oração em casal e com os nossos filhos. Nós lemos e partilhamos com eles passagens do Evangelho e também participamos de sessões que nos convidavam a rezar em família. E hoje que nossos filhos se tornaram pais, vemos que eles passam essa experiência diária com Deus para os seus próprios filhos”, comentaram.

A quarta chave de ação indicada pelo casal francês é que sempre se reacenda entre os esposos a chama do casamento, e quando estes não conseguem fazê-lo por conta própria, que encontrem na Igreja momentos de formação e espiritualidade que os fortaleçam na consciência do tesouro que receberam de Deus a partir do sacramento do Matrimônio.

RIQUEZA A SER PARTILHADA

Bênoit e Véronique apontaram, ainda, que o tesouro recebido de Deus pelas famílias cristãs deve ser trazido à luz para que anime os demais casais. Desse modo, conforme consta na Amoris laetitia, é preciso despertar as famílias para o dom que elas representam dentro da Igreja e, por outro lado, é importante que a Igreja aprenda a valorizar os dons que o Espírito confere à família, reconhecendo-a como protagonista da Evangelização: “As famílias devem ser, ao mesmo tempo, Igrejas domésticas e fermento de evangelização na sociedade”.

Para essa efetiva partilha do tesouro recebido de Deus competem algumas tarefas aos casais, sendo a primeira delas dar a vida e bem educar os filhos, não somente em uma perspectiva acadêmica, mas, principalmente, transmitindo a fé.

A segunda missão dos casais é a de ser faróis no mundo. Assim, as portas das casas das famílias cristãs devem estar abertas aos demais casais e os esposos devem se envolver de algum modo nas discussões da vida pública da sociedade onde estão inseridos.

Também compete aos casais serem missionários, na medida que é mais fácil que as famílias cristãs evangelizem outras famílias por meio do seu testemunho. “Por meio do sacramento do Matrimônio, a Santíssima Trindade se faz presente aos esposos: o Pai os une, o Filho os salva e os dá a viver por Ele; e o Espírito Santo lhes dá o fogo da missão”, comentaram, ressaltando que ao receber o sacramento do Matrimônio os casais são sempre enviados em missão. “Paróquias, ousem chamar casais, o marido e a esposa, para servirem juntos; casais, não tenham medo, pois o esplendor do amor cultivado se tornará atraente e isso trará outros casais para servir à Igreja”, conclamaram.

Bênoit e Véronique destacaram que essa missão acaba por dar frutos ao próprio casal: a primeira é a descoberta que cada cônjuge faz do talento do outro, o que reverbera em mais admiração que fará nutrir o amor recíproco. Além disso, os filhos ao participar de atividades de missão aprendem o dom gratuito de si mesmos para com os outros.

CHAMADOS À CAUSA EVANGELIZADORA

Deus dá à família um tesouro a ser revelado e partilhado

“Vamos cuidar de casais e das famílias. Isto permite que eles se fortaleçam para cultivar o seu amor. Vamos chamá-los para a missão, irradiá-la nas obras de compaixão e de evangelização com os nossos pastores. E como nos lembra a Amoris laetitia, o anúncio cristão sobre a família é realmente uma boa notícia. Portanto, vamos repassar tudo isso, porque hoje os jovens precisam entender o seu significado para se engajar nesta aventura”, comentaram.

Por fim, Bênoit e Véronique propuseram que casais de todo o mundo se unam e que orem pelos esposos que hoje sofrem, pelas pessoas que se separaram em decorrências das guerras e pelos que sofrem com doenças, a fome e a falta de moradia.

ATIVIDADES DO DIA

Além desta conferência com o casal francês, outra será realizada ainda hoje com o tema “O catecumenato matrimonial”, com Giovanni Nuzzi e Gabriella Gambino (subsecretária do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida). Entre os temas se refletirá sobre a preocupação da Igreja de que haja uma preparação mais aprofundada para o sacramento do Matrimônio, e que permita aos novos casais viver de modo mais consciente este sacramento.

Acontecerão, ainda, três painéis na Sala Paulo VI: “Ser cristãos na era digital”; “Vocação e missão nas periferias existenciais” e “Formação de acompanhantes e formadores da família: leigos, padres e seminaristas”.

Por fim, na Praça de São João de Latrão e em paróquias da cidade de Roma, acontecerá ainda o painel “A comunhão familiar, estilo de comunhão eclesial”.

Todos os eventos em Roma do X Encontro Mundial das Famílias estão sendo transmitidos ao vivo pelo canal do YouTube do Vatican Media em português: https://www.youtube.com/c/VaticanNewsPT.

(Texto produzido a partir da tradução ao vivo do Vatican Media em Português)

Deixe um comentário