Papa: não podemos permanecer indiferentes. Oração e jejum pelo Afeganistão

“Estou falando seriamente: intensificar a oração e praticar o jejum, pedindo ao Senhor misericórdia e perdão.” De modo particular, o Papa se dirigiu aos cristãos para que não fiquem indiferentes aos acontecimentos no Afeganistão

“Não podemos ficar indiferentes!”

O Papa Francisco foi contundente ao falar do Afeganistão, neste domingo, ao final da oração do Angelus.

O Pontífice afirmou que acompanha com grande preocupação a situação no país e é partícipe do sofrimento das pessoas que perderam familiares e amigos nos ataques suicidas da quinta-feira passada, e também das pessoas que buscam ajuda e proteção.

Francisco confiou à misericórdia de Deus os mortos e agradeceu a quem trabalha para ajudar a “população tão provada”, em especial as mulheres e as crianças.

O apelo do Papa é para que se continue a assistir os necessitados e a rezar para que o diálogo e a solidariedade levem a estabelecer uma convivência pacífica e fraterna, oferecendo esperança para o futuro do país.

“Em momentos históricos como este, não podemos permanecer indiferentes: a história da Igreja nos ensina isto. Como cristãos, esta situação nos compromete. Por isso, dirijo um apelo a todos para intensificar a oração e a praticar o jejum: oração e jejum, oração e penitência. Este é o momento para fazê-lo. Estou falando seriamente: intensificar a oração e praticar o jejum, pedindo ao Senhor misericórdia e perdão.”

O risco de ataques 

A ameaça de ataques no Afeganistão permanece elevada, enquanto os Estados Unidos continuam a correr contra o tempo para retirar todo o seu pessoal do país até 31 de agosto. A ameaça é crível, segundo Washington, o que não exclui atos terroristas mesmo em solo estadunidense.  

Os milicianos, que agrediram os civis que faziam fila nos caixas eletrônicos para sacar dinheiro, dizem estar prontos para assumir o controlo total do aeroporto em breve, logo que os militares e civis dos EUA partirem. Entretanto, eles isolaram todo o aeroporto, impedindo o acesso aos afegãos que ainda esperam ser evacuados do país, dos quais 100.000 ficaram retidos. Itália e Reino Unido já enceraram a ponte área. Na próxima semana, os talibãs afirmam que será anunciado o novo governo, enquanto já foram cortaram quase todas as redes de Internet e telecomunicações na província nordeste de Panshir, uma das duas áreas, juntamente com a de Baghlan, não controlada por eles, mas pelos homens da resistência.

A situação da infância

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) adverte que há 300.000 crianças necessitadas de ajuda. Muitos foram obrigados a abandonar as suas casas após a chegada dos talibãs e um milhão de crianças com menos de cinco anos sofrem de desnutrição grave. Além disso, mais de 4 milhões de crianças, incluindo mais de 2 milhões de meninas, estão fora da escola. 

(Com informações de Vatican News)

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter