CNBB e Cáritas lançam campanha em prol de famílias atingidas por chuvas

Temporais atingiram cidades nos Estados da Bahia e de Minas Gerais

Pixabay

Os temporais que atingem as populações do sul e extremo sul da Bahia e dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri de Minas Gerais, causados por um ciclone extratropical, já provocaram a morte de onze pessoas e forçaram quase 20 mil a abandonarem seus lares, segundo dados da Defesa Civil.

De acordo com balanço divulgado no domingo, 12, pelo Corpo de Bombeiros, cerca de 70 mil pessoas foram afetadas de alguma forma pelas chuvas. Até o dia 11, 38 municípios da Bahia já haviam decretado estado de emergência. Em Minas Gerais, são 31.

As pessoas tiveram que abandonar suas casas devido às inundações e aos riscos de deslizamentos de terra e de desabamentos. Além das residências e de estabelecimentos comerciais, postos de saúde, escolas e quadras também se encontram debaixo d’água.

Frente a essa triste situação, agravada em decorrência da pandemia de Covid-19 que ainda se vive, a rede Cáritas Brasileira e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se mobilizam por meio da campanha #SOS Bahia e Minas Gerais: Solidariedade que Transborda.

A iniciativa busca arrecadar recursos para a compra de alimentos, água potável, roupas, fraldas infantis e adultas, artigos de higiene pessoal e de proteção contra a COVID-19. Os itens serão distribuídos pelas Cáritas Diocesanas próximas às áreas em situação crítica, a fim de auxiliar as milhares de pessoas desabrigadas e desalojadas devido às fortes chuvas que atingiram os estados.

As doações podem ser feitas pelas contas:

Banco do Brasil

Agência 0452-9

C/c . 50.106-9

Caixa Econômica Federal

Agência 1041

C/c – 1132-1

Divulgação

Situação até o dia 11 de dezembro de 2021

Em Minas Gerais, devido às chuvas intensas que atingem o estado desde setembro deste ano, 9.500 pessoas tiveram que buscar acomodação com amigos e familiares, enquanto 2.000 famílias precisaram buscar refúgio na esfera pública. Diversas cidades tiveram o abastecimento de água interrompido.

Na Bahia, desde o dia 6, mais de 8.000 pessoas foram forçadas a abandonar suas casas e muitas delas aguardavam resgate sobre seus telhados. Há registro de que seis pessoas perderam a vida no estado.

Além de provocar inundações e deslizamentos de terra, as chuvas causaram o rompimento de duas barragens em Apuarema e danos às vias de acesso de algumas cidades, como Eunápolis e Itabela, dificultando ações imediatas da Defesa Civil.

(Com informações de CNBB)

Deixe um comentário