COVID-19: Brasil tem novo recorde na média móvel de mortes: 2.655 vidas perdidas

Nas últimas 24 horas, foram 1.969 óbitos por COVID-19, conforme dados do consórcio de veículos de imprensa; e 1.660, de acordo com o Ministério da Saúde

Ala de pacientes com a COVID-19 no Hospital Abelardo Santos, em Belém, no Pará (foto: Bruno Cecim/Ag.Pará)

Pelo 13o dia seguido, a média móvel de mortes por COVID-19 no Brasil ultrapassou a marca de 2 mil óbitos diários. Nesta segunda-feira, 29, conforme dados do consórcio de veículos de imprensa, a média móvel dos últimos sete dias aponta para 2.655 mortes diárias pela doença, um novo recorde, superando o alcançado ontem, de 2.598 mortes/dia.

A média móvel permite aferir de modo eficaz a evolução da pandemia, uma vez que é obtida pelo soma de óbitos dos últimos sete dias, dividida por sete, evitando distorções interpretativas quanto à alta ou à baixa do número de casos no comparativo de um dia para outro, o que pode ocorrer por problemas nos registros de dados. O estado de Roraima, por exemplo, não conseguiu atualizar as informações sobre óbitos por COVID-19 de ontem para hoje.

Nesta segunda-feira, por exemplo, o consórcio de veículos de imprensa apurou que em 24 horas foram registrados 1.969 mortes por COVID-19 em todo o Brasil, contabilizando 314.268 óbitos desde o início da pandemia. O acumulado de casos positivos desde então é de 12.577.354 pessoas, com média diária de 75.105 registros.

Os números diferem dos apresentados pelo Ministério da Saúde, que contabiliza 313.866 mortos pela doença desde o começo da pandemia, dos quais 1.660 nas últimas 24 horas. O total de casos positivos é de 12.573.615.

Segundo o Ministério da Saúde, lideram o ranking dos estados com mais mortes por COVID-19: São Paulo (72.283), Rio de Janeiro (36.149), Minas Gerais (23.788), Rio Grande do Sul (19.020) e Paraná (16.290).

Até agora, de acordo com a pasta, 13,9 milhões de brasileiros já tomaram a 1a dose das vacinas contra a COVID-19 e a 2a dose foi aplicada em 4 milhões de pessoas. Já os números do consórcio de veículos de imprensa indicam que 16,2 milhões de pessoas (7,68% da população do país) receberam a primeira dose do imunizante contra a COVID-19.

São Paulo ultrapassa 92% de ocupação de leitos de UTI

O Estado de São Paulo registrou nesta segunda-feira, dia 29, um total de 31.041 internados com a COVID-19, sendo 12.946 pacientes em leitos de Terapia Intensiva e 18.095 em enfermaria. As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 92,3% no Estado e de 92,6% na Grande São Paulo.

No decorrer da pandemia, já houve 72.283 óbitos por COVID-19 e 2.425.320 casos.

A Fase Emergencial do Plano São Paulo foi prorrogada até o dia 11 de abril, com a manutenção das restrições mais rígidas visando garantir a assistência a vida e conter a sobrecarga em hospitais de todo o Estado, além de frear o aumento de novos casos, internações e mortes pelo coronavírus.

Governo Federal anuncia novos leitos

A abertura de 1.031 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para tratamento de pacientes com COVID-19 foi autorizada pelo Governo Federal em Portaria publicada na edição desta segunda-feira, 29, no Diário Oficial da União.

Serão disponibilizado aos estados e municípios, em parcelas mensais, o montante de R$ 44 milhões. A verba será direcionada a 14 estados, para 991 leitos adultos e 40 pediátricos.

O Rio de Janeiro aparece no topo da lista dos que mais vão abrir vagas, serão 465 vagas para adultos. Na sequência vem o Paraná, com 156 leitos para adultos e cinco pediátricos; e Alagoas, com 141 para adultos.

Fontes: G1, Agência Brasil e Ministério da Saúde

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter