Máscara: uma aliada, se bem ajustada e higienizada

Para que a máscara cumpra seu papel de forma eficaz no combate ao vírus é preciso que as pessoas façam o uso correto desse

Prefeitura Municipal de Anchieta (ES)

Elas podem até causar certo desconforto, mas não se pode esquecer que, associadas a outras medidas protetivas, as máscaras têm um papel fundamental no combate à COVID-19. Ainda mais neste momento em que os números de casos e de mortes pela doença estão em alta no país.

Para que a máscara cumpra seu papel de forma eficaz no combate ao vírus, porém, é preciso que as pessoas façam o uso correto desse item. 

A médica infectologista e epidemiologista Luana Araújo, consultora em saúde pública global de organizações supranacionais, reforça que algumas atitudes como a de colocar a máscara usada no bolso ou sobre uma superfície, pendurá-la na orelha ou no pescoço por meio de algum acessório, aumentam o risco de contaminação, sobretudo, se ela for reutilizada.

“A face externa da máscara é a primeira a ser atingida por eventuais partículas virais. Quando ela passa a ter contato com uma superfície, roupa e mão, a pessoa que a manipula começa a espalhar essa carga viral pelos locais onde passa”, explica Luana.

Ela também lembra que as máscaras, independentemente do tipo – pano, cirúrgica ou N-95 – nunca devem ser manipuladas pela face externa. O correto é pegá-la pelo elástico que a prende. Além disso, é absolutamente necessário que elas tenham uma boa adequação ao rosto.

“Se houver passagem de ar entre a máscara e o rosto, ela perde a função, uma vez que não consegue filtrar o ar que entra e sai do ambiente e que chega até o nariz e a boca”, enfatiza a infectologista.

Além disso, como o Ministério da Saúde esclarece em seu site, “as máscaras impedem a disseminação de gotículas expelidas pelo nariz ou a boca do usuário no ambiente, garantindo uma barreira física”.

“Por isso que elas precisam ser específicas e não podem ser de tricô ou renda. Não podem ser máscaras vazadas. Do contrário, perdem a capacidade de proteção”, acrescenta Luana.

Cuidados na hora de retirar a máscara

“O que fazer com a máscara quando precisar trocá-la ou tirá-la para comer?” Essa é uma dúvida comum entre as pessoas, principalmente entre aquelas que tem de fazer suas refeições e trocas de máscaras no ambiente de trabalho.

A epidemiologista ressalta que antes de qualquer manipulação da máscara, é preciso higienizar as mãos, seja com álcool ou água e sabão. E alerta que “o maior critério para a dispensa ou troca da máscara é o fato dela estar suja, úmida ou ter a integridade rompida de alguma forma”.

Para a situação de tirar a máscara para comer, a epidemiologista recomenda: “Se a máscara for de pano, coloque num saquinho plástico para levar para casa e lavar”.

No caso das máscaras do tipo cirúrgica e N-95, que não podem ser lavadas, se ela estiver em condições seguras de ser reutilizada, Luana sugere que seja colocada em um “saquinho de papel, tipo, saco de pão” porque isso a protege do ambiente e mantém uma atmosfera seca. “Assim, a máscara perde a umidade que concentrou do hálito da pessoa. Resseca a secreção e eventuais partículas virais que morrem depois de certo tempo”, explica a infectologista.

Outro ponto salientado pela médica é que as máscaras não devem ser umedecidas, nem por água ou álcool, em uma tentativa de diminuir a contaminação. “Se umedecer a máscara por qualquer razão, tem que lavá-la de novo, como um todo, ou jogar fora, se ela for descartável, e trocá-la por outra”, conclui.

Cuidados específicos com as máscaras caseiras

Na prevenção da COVID-19, o uso da máscara deve ser associado a outras medidas também indispensáveis como o distanciamento social e a higienização das mãos. Sobre o uso da máscara, as principais recomendações do Ministério da Saúde são:

  • Lave as mãos com água e sabão, antes de colocar e retirar a máscara;
  • Remova a máscara pelo laço ou nó da parte de trás e evite tocar na parte da frente;
  • Deixe a máscara de molho por 30 minutos em uma mistura de 1 parte de água sanitária (2% a 2,5%) com 50 partes de água potável. Por exemplo: 10ml de água sanitária para 500ml de água potável;
  • Lave a máscara e as mãos com água e sabão;
  • A máscara precisa estar seca para ser utilizada de novo;
  • Após secagem da máscara, utilize o ferro quente e acondicionar em saco plástico;
  • Trocar a máscara sempre que apresentar sujidades ou umidade;
  • Descartar a máscara sempre que apresentar sinais de deterioração ou funcionalidade comprometida;
  • Ao sinal de desgaste da máscara deve ser inutilizada e nova máscara deve ser feita

Atenção: máscaras cirúrgicas e os respiradores N-95 devem ser reservados aos profissionais de saúde.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter