Primeira Basílica do Brasil completa 40 anos de tombamento histórico

Em 2015, o local foi restaurado, resgatando suas características originais

Primeira Basílica do Brasil completa 40 anos de tombamento histórico
Foto: Thiago Leon

Nesta segunda-feira (18), a Basílica Histórica de Aparecida completa 40 anos de seu tombamento como edifício de interesse histórico, religioso e arquitetônico. A ação foi realizada, na época, pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arquitetônico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (CONDEPHAAT).

Na Resolução do CONDEPHAAT, a iniciativa reconhece a Basílica como um edifício tradicional de devoção intimamente ligada à história e a cultura religiosa do povo brasileiro. Uma missa aconteceu no local no dia que foi assinado o documento, pelo então bispo auxiliar de Aparecida, Dom Antônio Ferreira. “O tombamento da Basílica Histórica, foi iniciativa de parte da população aparecidense”, destaca o Missionário Redentorista, Padre Victor Hugo Lapenta.

A Basílica Histórica foi a primeira igreja no Brasil a receber o título de Basílica Menor. O título foi dado no ano de 1908 pelo Vaticano. Este título é concedido apenas pelo papa pelo nível de importância que aquela igreja possui para a região em que ela está situada. Outros critérios que julgam o templo receber o título de Basílica também estão relacionados à devoção, transcendência histórica e beleza artística de sua arquitetura e decoração. 

No ano de 2004 foi dado início ao projeto restauro da igreja. O espaço litúrgico que abrigou a Imagem de Nossa Senhora Aparecida desde sua inauguração em 1888, passou por uma reforma cuidadosa. O local havia recebido algumas camadas de tintas sem a devida orientação. Com isso, acabou tampando parte da obra original. Com a oficialização do tombamento em 1982, foi preciso trabalhar cuidadosamente no projeto que levou 11 anos para ser concluído.

“Na década de 60 a Basílica Histórica foi repintada por um pintor aparecidense. Por isso que, esse trabalho de restauro realizado de 2004 a 2015 teve no início, um amplo estudo, minucioso e detalhado por especialistas. De modo que, foi uma restauração digna para o louvor de Nossa Senhora Aparecida”, destaca o Missionário Redentorista.

O restauro foi coordenado pela restauradora Cláudia Rangel e sua equipe. Os profissionais trabalharam na área interna e externa do templo. Durante o período da obra, as celebrações litúrgicas continuaram acontecendo no local. Após o período de restauração, foi possível contemplar novamente, a obra original.

Atualmente a Basílica Histórica fica aberta todos os dias para visitação dos peregrinos. No templo também há missa de segunda a sexta, às 18h; sábado e domingo às 9h, 15h e 18h. No local também acontece a consagração a Nossa Senhora, às 15h, duramente a semana.

Com informações de Carla Zanon/Santuário Nacional de Aparecida

Deixe um comentário