Sinodalidade e centralidade da Palavra de Deus são destaques na Assembleia do Regional Sul 1

Episcopado paulista esteve reunido de modo on-line entre os dias 9 e 10

Crédito das imagens: comunicação do Regional Sul 1 da CNBB

Uma Igreja na qual todos atuem unidos pelo Reino de Deus, em que a Palavra ocupe lugar central e que esteja sempre atenta às necessidades dos mais vulneráveis. Entre os dias 9 e 10, esses foram alguns dos eixos tratados na 83ª Assembleia dos Bispos do Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que compreende as dioceses que estão no território do estado de São Paulo.

Na abertura das atividades, Dom Pedro Luiz Stringhini, Presidente do Sul 1 e Bispo de Mogi das Cruzes, recordou que todos os Regionais devem fazer suas assembleias após a Assembleia Geral da CNBB, que este ano ocorreu em abril, de modo on-line, em razão da atual pandemia.

Também a Assembleia do Regional Sul 1 aconteceu de modo virtual e reuniu cerca de cem pessoas. Além dos bispos, padres coordenadores diocesanos de pastoral e leigos e assessores de organismos e pastorais também participaram de alguns momentos como convidados.

Corresponsabilidade

O tema central da Assembleia – “Sinodalidade, Comunhão e Missão” – foi apresentado por Dom Pedro Carlos Cipollini, Bispo de Santo André. Ele destacou que “o princípio de comunhão de todo o povo de Deus é necessário para a ação evangelizadora” e explicou que termo “sinodalidade” remete a um caminhar conjunto, o que no contexto eclesial indica que todos – ministros ordenados, religiosos e leigos – são responsáveis pelas ações da Igreja, atuando conforme suas funções e peculiaridades, mas abertos para um trabalho plural.

Nesse sentido, Dom Pedro Cipollini comentou que se deve sempre estar atento para superar uma tendência de centralizar as ações no clero, o chamado clericalismo, a fim de que se instaure em todos os batizados o sentido do corresponsabilidade pela Igreja, o que requer maior abertura ao diálogo de todas as instâncias eclesiais. “Deus quer nos salvar em comunidade. O que cria a mentalidade sinodal é a responsabilidade entre todos”, afirmou.

Centralidade da Palavra de Deus

Ainda no dia 9, o Professor Dr. Padre Boris Agustín Nef Ulloa, diretor da Faculdade de Teologia da PUC-SP, conduziu um momento formativo sobre a animação bíblica da pastoral nas comunidades eclesiais missionárias.

Inicialmente, foi apresentada a estrutura do documento de estudo 114 da CNBB, aprovado na última Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, que tem como título “E a Palavra habitou entre nós’ (Jo 1,14): Animação Bíblica da Pastoral a partir das comunidades eclesiais missionárias”.

Padre Boris ressaltou que semear a Palavra de Deus é missão de todos os batizados e incentivou que nas dioceses se elaborem comissões para fomentar tal animação bíblica.

Em entrevista ao O SÃO PAULO, Dom Luiz Carlos Dias, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Paulo e Secretário geral do Regional Sul 1, destacou que Padre Boris mostrou, em sua exposição, “que a Palavra de Deus precisa ter um espaço maior em todas as dimensões da nossa Igreja: pessoalmente, nos grupos, nos movimentos, nas paróquias. A Palavra de Deus tem que ter a centralidade, e nesse sentido, deve se criar mecanismos para que isso ocorra efetivamente, como comissões mais amplas em âmbito diocesano ou paroquial. A Palavra de Deus é fecunda, dependemos dela e somos por ela conduzidos”.

Missão em Pemba

Os participantes da assembleia também ouviram o testemunho Dom Antonio Juliasse Ferreira Sandramo, Administrador Apostólico da Diocese de Pemba, em Moçambique, que recebe a ajuda pastoral e humanitária do Regional Sul 1. Atualmente, lá estão oito missionários de dioceses paulistas e a parceria pode ser ampliada, pois alguns bispos se dispuseram a acolher seminaristas de Pemba.

Dom Antonio agradeceu por todo o apoio recebido e relatou as crescentes situações de conflitos e ameaças de grupos terroristas contra o povo local, incluindo os cristãos. “Os missionários encaram, diariamente, a cruz de Jesus, e vivenciam à fé por meio da dimensão do martírio”, afirmou. O Bispo detalhou, ainda, que mais de 700 mil pessoas já deixaram suas casas por não dispor do mínimo de segurança ou de condições para sobrevivência no País.

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, que em 2019 visitou a Diocese de Pemba, ressaltou que o Regional Sul 1 está unido “pela oração e pela solidariedade ao povo sofrido pela violência no território africano” e motivou que a presença da Igreja seja um testemunho do diálogo e ajude no entendimento entre aqueles que estão em conflito.

Iniciativas da Igreja no Brasil e no mundo

O Cardeal Scherer, que também é 1o vice-presidente do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam), apresentou detalhes sobre a realização da Assembleia Eclesial da América Latina do Caribe, cuja fase de escuta já foi iniciada, com um amplo chamado à participação dos leigos, religiosos e ministros ordenados da Igreja.

O Arcebispo de São Paulo também lembrou o itinerário sinodal proposto pelo Papa Francisco para a realização da próxima Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos, a ser realizada em outubro 2023, com o tema “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”, e que será precedida por etapas diocesana e continental.

Outro assunto tratado na Assembleia foi a realização da 6a Semana Social Brasileira (SSB), com o tema “Mutirão pela vida: Por Terra, Teto e Trabalho”. Dom José Reginaldo Andrietta, Bispo Jales e referencial da SSB no Regional, recordou que a iniciativa busca incentivar os fiéis e a sociedade como um todo à reflexão e ação diante das situações cotidianas. “A ação eclesial é de responsabilidade evangélica de todos nós e não apenas das pastorais e movimentos de cunho social”, afirmou.

O Regional Sul 1 disponibilizou um cadastro digital a fim de integrar aqueles que queiram contribuir com as reflexões da 6a SSB. O formulário pode ser acessado por este link: https://forms.gle/RgLiA8geJ7jcRq2G9.

Um olhar para o estado de São Paulo

Também durante a Assembleia, a Comissão Justiça e Paz do Regional Sul 1, criada em setembro de 2020, apresentou uma carta sobre questões sensíveis à população do estado de São Paulo. Conforme Dom Luiz Carlos Dias informou à reportagem, o conteúdo será publicado em breve e abordará urgências que foram amplificadas em razão da atual pandemia, entre as quais a necessidade de auxílio emergencial às famílias mais pobres, proibição de despejos e remoções durante a fase pandêmica, preocupações com o processo educativo de crianças e adolescentes com as limitações para as aulas presenciais, atenção às condições de vida das pessoas em situação de rua, indígenas e encarcerados, além da necessidade de maior celeridade na vacinação de toda a população paulista.

O Secretário geral do Regional Sul 1 lembrou ainda que na assembleia se mencionou a formação da Pastoral Indigenista do Regional Sul 1 e uma maior preocupação com a ecologia integral em todo o estado.

(Com informações do Regional Sul 1 da CNBB)

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter