Um testemunho que inspira vocações

Um testemunho que inspira vocações
Conventinho SCJ

Padre Zezinho, SCJ, marcou e continua a marcar a vida de várias gerações de cristãos. Por meio de suas canções e escritos, levou a Palavra de Deus a muitos corações e influenciou vocações.

Fidelidade à vocação

Dom Antonio Carlos Rossi Keller, Bispo de Frederico Westphalen (RS), desde a época em que era seminarista, tem o Padre Zezinho como inspiração.

“Suas músicas sempre me fizeram ser mais generoso e dedicado ao ministério sacerdotal. Ainda hoje, como Bispo, ouço sempre com muito gosto suas canções. Em relação a seus livros, já os utilizei com os jovens das paróquias nas quais fui pároco, especialmente a obra ‘Alicerce para um mundo novo’, um verdadeiro manual de trabalho com grupos juvenis”, ressalta.

“Ele me motiva a partir da sua vivência como religioso-sacerdote que dedica sua vida ao povo de Deus e, em especial, à juventude. Um homem coerente, que transmite essa coerência em suas músicas, em seus livros, mas, antes de tudo, em sua vida. Um sacerdote que não se deixou ofuscar pela fama, não se transformou em um ‘padre show’, focando as atenções em si mesmo. Ao contrário, Padre Zezinho sempre soube viver sua vida religiosa e seu sacerdócio como um mensageiro, sem a vaidade de pretender ser a mensagem”, afirmou Dom Antonio Keller em entrevista ao O SÃO PAULO.

Outra dimensão que Dom Keller elucidou é o resgate dos católicos para a Igreja a partir do conteúdo consistente de fé e de compromisso de vida do Padre Zezinho. “Quantos jovens seminaristas e jovens cristãos leigos se encontraram com o Cristo Vivo por meio de suas mensagens”, finalizou.

Contribuição à Igreja

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, na live celebrativa dos 80 anos do Padre Zezinho, no começo deste mês, recordou que o Sacerdote marcou sua trajetória vocacional.

“Recordo-me das missões realizadas nas comunidades lá em Curitiba (PR), quando as canções do Padre Zezinho animavam os encontros formativos com os catequistas e jovens”, afirmou Dom Odilo, destacando de modo particular a canção “Estou pensando em Deus”.

“Essa música marcou uma época bonita da minha vida, e depois vieram tantas outras, ‘Maria de Nazaré’, ‘Um certo Galileu’, canções que ainda hoje estão presentes no repertório de pessoas da minha idade e dos jovens dos dias atuais”, afirmou o Arcebispo.

“Padre Zezinho foi muito eclesial, sempre caminhou com a Igreja para colaborar com seu carisma na missão de evangelizar. Suas canções e escritos sempre tiveram conteúdo, dotados de letra formativa que compreendem as dimensões bíblica e catequética, e falam da realidade com um fundo de fé e esperança”, salientou Dom Odilo.

Igreja jovem

O Cardeal Orani João Tempesta, Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ), recordou que desde a sua juventude sempre ouviu e cantou as canções do Padre Zezinho e que testemunhou muitos relatos de vidas transformadas por meio de suas melodias e exemplo de vida.

“O Padre Zezinho marca um tempo importante na história da Igreja do Brasil, especialmente com a juventude. Despertou muitas vocações para a vida sacerdotal e religiosa. Ele é um homem simples, com um coração jovem, mesmo aos 80 anos. Seu coração de pastor e aberto ao Espírito Santo continua a rejuvenescer a Igreja. Ele nunca se conformou em só fazer um show. Aproveitava todas as oportunidades para evangelizar. Ele é uma inspiração para todos nós. Seu amor incansável pela Igreja me cativa e inspira!”

Nas canções, um chamado para Deus Padre Luiz Camilo Junior, Missionário Redentorista, atua pastoralmente no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida. Ele conta que seu despertar vocacional ocorreu por volta dos 14 anos, quando participava do grupo de jovens de uma paróquia em Carlópolis (PR) e, ao ouvir a canção “Cidadão do infinito”, despertou em seu coração o anseio e a coragem para seguir a vocação sacerdotal.

“Tinha uma fita cassete do Padre Zezinho. Se hoje sou Padre, é porque um dia eu escutei essa canção que me deu coragem de dizer ‘sim’ ao chamado de Deus em minha vida”, afirmou. “Ouvir as canções do Padre Zezinho e ler os livros que ele escreveu para a juventude, me fizeram responder com alegria ao chamado que Deus me fez. Costumo dizer que sou fruto da missão evangelizadora do Padre Zezinho, que me inspirou, assim como a vários confrades”, disse.

Evangelização pela música

Irmã Verônica Firmino, religiosa da Congregação das Irmãs Paulinas, conta que o Padre Zezinho teve papel fundamental em seu despertar vocacional.

“Foi na juventude, em um show do Padre Zezinho, em Recife (PE), que eu senti o desejo de fazer aquilo que ele fazia no palco: falar de Jesus para os jovens e todas as pessoas, de forma clara, alegre e direta, por meio de suas canções e pregações. A música ‘Vocação’ tocava o coração e me deixava inquieta”, recordou, destacando ainda a alegria de ter cantado nos palcos em diversas ocasiões ao lado do Padre Zezinho.

Atualmente, Irmã Verônica é a produtora musical e artística da PaulinasCOMEP, gravadora da qual o religioso é membro há mais de 50 anos.

Irmã Eliane Aparecida Deprá, Paulina, diretora dessa gravadora, destaca que a música sempre foi para o Sacerdote uma das ferramentas para falar de Deus.

“Padre Zezinho sabe como ninguém traduzir em versos e canções assuntos e temas sociais, teológicos e catequéticos de uma forma simples e profunda, possível de ser entendida e cantada por todos”, ressaltou Irmã Eliane, recordando um dos ideais do Padre Zezinho desde o princípio da carreira: “chegar ao povo, ir ao povo, com a linguagem que eles entendam”.

Profeta da família José Elinésio Coelho de Sousa e Francisca Elzanira Sousa são casados há 17 anos e as músicas do Padre Zezinho inspiram o casal.

“Para o dia do nosso casamento, escolhemos quatro canções: ‘Pra sempre te amarei’, ‘Juramento’, ‘Oração pela família’ e ‘Águia pequena’, músicas que nos motivam a viver e a renovar nosso amor e nossa fé diariamente”, recordou Sousa, que este ano será ordenado diácono permanente.

“Padre Zezinho traduz em suas canções a presença do Cristo que ama, acolhe e se faz presença em nosso meio. ‘Oração pela família’ é um retiro espiritual que traduz a vivência concreta dos casais”, disse, destacando, ainda, que o Sacerdote é uma referência para os casais, com suas canções, pregações e ensinamentos.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter