Dom Odilo ressalta a memória de Santo Antônio de Sant’Anna Galvão

O Arcebispo de São Paulo lembrou os 15 anos da canonização do frade franciscano, feita pelo Papa Bento XVI

Dom Odilo ressalta a memória de Santo Antônio de Sant’Anna Galvão, Jornal O São Paulo
Arquivo outubro‎ de ‎2018 Luciney Martins /O SÃO PAULO

O Cardeal Odilo Pedro Scherer falou sobre os 15 anos da canonização de Santo Antônio de Sant’Anna Galvão e o impacto da vida do santo na Igreja em São Paulo no programa “Encontro com o Pastor”, da quarta-feira, 11, na rádio 9 de Julho

Frei Galvão nasceu em Guaratinguetá (SP), em 1739, viveu a maior parte do tempo em São Paulo: primeiro no convento do Largo de São Francisco, onde deixou lembranças, e, depois, foi o fundador do recolhimento de senhoras que veio a se transformar no Mosteiro da Luz, na Avenida Tiradentes, onde está o seu túmulo. O Santo faleceu na capital paulista em 1822.

Dom Odilo apontou o frade franciscano como um santo brasileiro de muitas inspirações. “Ele era um santo missionário. Andou pelos interiores de São Paulo e norte do Paraná, pregando missões populares, visitando os doentes, as comunidades. Era também um sábio que ouvia e sabia dar conselhos. E os seus conselhos eram muito procurados e apreciados”.

O Arcebispo lembrou, ainda, que Frei Galvão era um homem muito próximo do povo e preocupado com os pobres. Também muitas mulheres que desejam engravidar, mas não conseguem, recorrem à intercessão do Santo.

O Cardeal se disse alegre em saber que Frei Galvão traz honra à cidade de São Paulo, aos paulistanos, e a todo o País, com sua virtude, seu exemplo de vida santa e pelas boas obras deixadas.

OUÇA A ÍNTEGRA DO PROGRAMA “ENCONTRO COM O PASTOR”

Deixe um comentário