Na Paróquia São Bernardo de Claraval, o testemunho do padroeiro inspira ações evangelizadoras

Na Paróquia São Bernardo de Claraval, o testemunho do padroeiro inspira ações evangelizadoras, Jornal O São Paulo
Luciney Martins/O SÃO PAULO

Uma paróquia que tem uma vida pastoral atuante e engajada em ações missionárias e caritativas. É assim que o Padre Hernane Santos Módena, Pároco, sintetiza o cotidiano da Paróquia São Bernardo de Claraval, no bairro Vila Liviero, na Região Episcopal Ipiranga. 

“De modo especial na pandemia, mutirões e campanhas reuniram doações de alimentos, roupas e cobertores às famílias em vulnerabilidade”, disse o Sacerdote, recordando que a Paróquia distribui leite mensalmente para cerca de 50 famílias cadastradas. 

Nas últimas semanas, os fiéis se empenharam na realização da novena e festa do padroeiro, encerrada em 20 de agosto, com missa presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, e concelebrada pelo Pároco e pelo Padre Jefferson Mendes de Oliveira, Vigário Paroquial do Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora Aparecida, assistidos pelo seminarista Victor Battisti. 

Na Paróquia São Bernardo de Claraval, o testemunho do padroeiro inspira ações evangelizadoras, Jornal O São Paulo

No início da celebração, Dom Odilo recordou que São Bernardo de Claraval é conhecido como “o poeta e cantor de Nossa Senhora” e sublinhou a profunda devoção do Santo a Maria Santíssima. 

Também ressaltou que celebrar o padroeiro é sempre “o momento para a comunidade se unir e se reunir como família de fé para caminhar juntos, seguindo os ensinamentos de Jesus por meio da sua Palavra e aprender com a vida e obras do santo padroeiro”. O Arcebispo exortou os fiéis a testemunhar a fé e sempre pedir a Nossa Senhora que a todos conduza a Jesus. “Maria é o caminho certo para chegar a Cristo”, afirmou. 

O atual Pároco, Padre Hernane assumiu há seis meses, já com a missão de organizar a festa patronal, durante a qual os fiéis se reuniram para meditar sobre a vida e os ensinamentos de São Bernardo de Claraval. 

Em 21 de agosto, após a missa das 10h, aconteceu a carreata com a imagem de São Bernardo de Claraval pelas ruas do bairro e, à noite, a quermesse com barracas típicas no salão paroquial. 

VIDA PASTORAL 

A Paróquia São Bernardo de Claraval foi criada em 2007, sendo desmembrada da Paróquia Santo Agnelo. O primeiro Pároco foi o Padre Antonio Luciano de Lima, falecido em 2014. 

Atualmente, os paroquianos participam de pastorais como as da Saúde, da Comunicação, Catequese, do Dízimo, da Liturgia, dos Acólitos e Coroinhas; além do Grupo de Oração, Terço dos Homens e Apostolado da Oração. 

Padre Hernane destacou a generosidade da comunidade nas campanhas em prol da reforma na igreja matriz. “Estamos trabalhando por melhorias no telhado, na iluminação, e reforma- mos a capela do Santíssimo”, pontuou. 

Jeanne Pereira da Silva, paroquiana há mais de 12 anos, é coordenadora do Grupo de Oração. Ela contou à reportagem que a cada dia cresce a participação nas celebrações e nas atividades promovidas pela comunidade. “Somos uma Paróquia em constante saída, buscamos ser presença do Cristo nas realidades do nosso bairro com pastorais sociais e atividades que impactam a vida dos irmãos”, disse, destacando que, aproximadamente, dez grupos se reúnem nas casas para rezar o Terço e a Novena de Natal. 

Antonio Pacheco dos Santos, 69, mora no bairro há 40 anos e acompanhou o processo de criação da Paróquia. Ele destacou que a vida de São Bernardo de Claraval é um exemplo de fidelidade ao seguimento de Cristo e amor à Mãe de Jesus. “Com o padroeiro, aprendemos a olhar para Jesus por meio de Maria”, pontuou. 

VIDA E VOCAÇÃO 

Bernardo nasceu no Castelo de Fontaine, próximo de Dijon, na França, em 1090. De família nobre, aos 22 anos, após ter estudado Gramática e Retórica, ingressou no Mosteiro fundado por Roberto de Molesmes, em Citeaux (do latim Cistercium, do qual deriva o nome Cisterciense). 

No início, seus familiares, inclusive o pai, Tescelino, foram contra sua vocação. Alguns anos depois, fundou o Mosteiro de Claraval, junto com 12 companheiros, entre os quais quatro irmãos, um tio e um primo. Tinha uma incrível capacidade de persuasão e convencimento, com a qual levou centenas de homens ao seguimento de Cristo, incluindo o pai e, aproximadamente, 30 membros da sua família. 

Bernardo é considerado o segundo fundador da Ordem Cisterciense. Quando ingressou, em 1111, havia apenas 20 membros e um mosteiro. A partir da fundação do Mosteiro de Claraval, onde ficou por 38 anos como abade, houve um florescimento vocacional e a Ordem passou a ter 165 mosteiros. Bernardo, sozinho, fundou 78 e, em suas mãos, mais de 700 monges professaram  os votos religiosos.

Era conhecido como “o caçador de almas e vocações”, porque ia às universidades, aos povoados e aos campos para falar sobre as maravilhas da vida religiosa e acabava convencendo os jovens ao seguimento de Cristo. 

São Bernardo de Claraval é conhecido também como “o oráculo da cristandade”, e denominado como “o cantor de Nossa Senhora”, por seu amor e escritos sobre a Virgem Maria. Compôs o “Lembrai-vos”, uma de suas mais belas orações marianas. 

CONTRIBUIÇÃO LITERÁRIA 

O Santo teve uma atividade literária expressiva, em quantidade de obras e qualidade no conteúdo, sendo reconhecido como um dos maiores escritores do seu tempo. Entre os escritos do Abade Cisterciense estão: “Tratado sobre o amor de Deus”; “Opúsculo sobre o livre-arbítrio”; “Tratado da consciência ou do conhecimento de si”; “Sermões sobre o Cântico dos Cânticos”, entre outros. Escreveu, ainda, uma eulogia aos templários, a “De laude novae militiae ad Milites Templi”. 

E é de sua autoria a invocação: “Ó clemente, ó piedosa, ó doce sempre Virgem Maria”, inserida na oração da Salve-Rainha. 

Bernardo de Claraval morreu em 20 de agosto de 1153, aos 63 anos. O Papa Alexandre III o proclamou santo em 1174. O Papa Pio XII dedicou-lhe uma encíclica intitulada Doctor mellifluus

Na Paróquia São Bernardo de Claraval, o testemunho do padroeiro inspira ações evangelizadoras, Jornal O São Paulo

LEMBRAI-VOS 

Lembrai-vos, ó piíssima Virgem Maria, 
de que nunca se ouviu dizer 
que algum daqueles que tivessem recorrido à vossa proteção, 
implorado o vosso auxílio e reclamadoo vosso socorro, 
fosse por vós desamparado.
Animado, pois, com igual confiança, 
a vós, ó Virgem entre todas singular, como Mãe, 
recorro, de vós me valho, 
e gemendo sob o peso dos meus pecados, 
prostro-me aos vossos pés.
Não desprezeis as minhas súplicas, 
ó Mãe do Verbo de Deus humanado, 
mas dignai-vos atender aos meus pedidos 
e alcançar o que vos rogo. 
Amém! 

Deixe um comentário