Apelo da Caritas Internationalis por solidariedade global com o Haiti

O primeiro ministro do Haiti, Ariel Henry, decretou três dias de luto nacional em recordação das vítimas do terremoto ocorrido no último sábado. Segundo um balanço ainda provório divulgado pela Administração da Proteção Civil haitiana, os mortos são ao menos 1.419 e os feridos 6.900 feridos, sem falar nos grandes danos. “Hoje, mais do que nunca, é necessária uma demonstração de solidariedade global, para ajudar às vítimas desta crise”, diz a Caritas Internationalis.

AFP

Após o terremoto do último sábado,  14, que ceifou a vida de ao menos 1.400 pessoas, a Caritas Haiti mobilizou suas equipes para levar ajuda às áreas atingidas, sobretudo as Dioceses de Jérémie, em Grande-Anse, a de Les Cayes e Nippes. Mais de mil casas e prédios desabaram ou foram seriamente danificados, incluindo igrejas, escolas e hospitais.

O padre Jean-Hervé François, diretor da Caritas Haiti, declarou que “toda a rede da Caritas Haiti, de modo especial as equipes de emergência, estão participando das operações de coordenação e socorro nos lugares mais atingidos pelo sisma. As necessidades da população são imensas: faltam comida, água, barracas, kits de higiene e primeiros socorros”.

Por sua vez, o secretário-geral da Caritas Internacionalis, Aloysius John, afirmou que “assistimos com compaixão e tristeza a mais um desastre natural que afeta a pobre nação do Haiti, após o trágico terremoto de 11 anos atrás e os inúmeros ciclones e terremotos, que se seguiram. Em Les Cayes, a residência do cardeal Chibly Langlois, bispo da diocese e presidente da Conferência Episcopal do país, ficou danificada e o cardeal ferido. Um sacerdote que estava hospedado na Cúria episcopal morreu sob os escombros. O governo declarou estado de emergência por um mês. Além disso, a situação das operações de socorro torna-se bem mais difícil devidos às más condições das estradas e a pouca segurança. O terremoto ocorreu em um momento muito penoso para o país, que se encontra em uma crise política, desde que o presidente Jovenel Moïse foi assassinado em 7 de julho, sem contar o alto nível de insegurança e violência”.

A entidade – concluiu Aloysius – lançou imediatamente uma campanha de arrecadação de fundos para apoiar a obra da Caritas Haiti: “Hoje, mais do que nunca, é necessária uma demonstração de solidariedade global, para ajudar às vítimas desta crise”. É possível fazer doações pelo site: www.caritas.org/donate-now/haiti-earthquake-2021/.

Solidariedade do Conselho Mundial de Igrejas

O Conselho Mundial de Igrejas (WCC sigla em inglês) enviou uma carta ao povo do Haiti expressando suas condolências pelas vítimas do terremoto e assegurando suas orações pelos que perderam seus entes queridos e pelas incontáveis pessoas e Igrejas que estão trabalhando nas regiões atingidas pelo sisma.

“Os hospitais – recorda a mensagem – estão superlotados e os pacientes atendidos e tratados em tendas. Para agravar a situação, o Haiti está localizado no cone da tempestade tropical “Grace” e se teme que fortes ventos e tempestades possam causar inundações e deslizamentos”.

O secretário-geral adjunto do Conselho Mundial de Igrejas, Rev. Odair Pedroso Mateus, afirma: “Devastado pelo terremoto de janeiro de 2010, bem como pelas crises econômicas e políticas que se seguiram, o povo haitiano volta a enfrentar, mais uma vez, sofrimentos e dificuldades. Ao mesmo tempo, se mobiliza com meios limitados para ajudar as pessoas envolvidas pela nova tragédia. Com razão, a raiva aumenta entre os que se sentem ameaçados pela violência da natureza e abandonados pelo Estado”.

Por fim, o reverendo Odair Pedroso Mateus expressa a solidariedade do Conselho Mundial de Igrejas com o povo haitiano e lança um apelo às suas Igrejas membros, para que ofereçam sua ajuda ao Haiti.

(Com informações de Vatican News)

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter