Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe dá espaço às múltiplas vozes da Igreja

Todos os católicos podem participar do processo de escuta por meio de um site específico criado pelo Celam

Celam

Escutar todo o povo de Deus no continente é a proposta da atual etapa de preparação para a primeira Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe, organizada pelo Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam).

O encontro da assembleia acontecerá de 21 a 28 de novembro, presencialmente, no entorno do Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, na Cidade do México, no México, e de forma remota em outros lugares da América Latina e do Caribe.

Com o lema “Somos todos discípulos missionários em saída”, a assembleia tem por orientação a V Conferência Geral de Aparecida, ocorrida em 2007, e propõe contemplar a realidade e seus desafios, e reafirmar o compromisso pastoral, mirando novos caminhos para 2031 e 2033 – quando serão celebrados, respectivamente, os 500 anos da aparição mariana em Guadalupe e os 2 mil anos da Redenção de Cristo.

“Se quisermos enfrentar a assembleia como ela quer ser enfrentada, nós não podemos desprezar essas três palavras: escuta, consulta, sinodalidade”, disse Dom Joel Portella Amado, Secretário-Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), durante um encontro neste mês com os animadores nacionais da Assembleia Eclesial Latino- -Americana.

“Só este fato de escutar tem uma força interpeladora imensa. Só o fato de fazer consulta, a mais aberta, a mais ampla possível, já é um grande testemunho de uma Igreja que, servindo ao Evangelho do Ressuscitado, não se fecha em si, mas se esvazia para ouvir, para escutar, pois a Igreja sabe que o Espírito sopra onde quer”, destacou Dom Joel.

COMO PARTICIPAR

A escuta é aberta a todos: agentes de pastoral, bispos, presbíteros, diáconos, religiosos e leigos, que poderão apontar como acompanhar Jesus encarnado atualmente no meio do povo.

Acesse o site da assembleia: Selecione a seção “ESCUTA” Faça um cadastro no endereço para oferecer a contribuição na plataforma.

Ainda no site, é possível acessar os materiais que auxiliam na preparação: o “Documento para o caminho”, que traz conteúdo para as reflexões, na estrutura ver, julgar e agir, conforme o número 19 do Documento de Aparecida; e o “Guia metodológico”, que apresenta a forma de realização das consultas e da assembleia.

ESCUTA

O período de escuta se estende, a princípio, até o fim deste semestre, e é aberto a todos, permitindo a participação por meio de contribuição individual, atividades grupais (pastoral ou movimento), fóruns temáticos e enquetes.

“Esse momento de escuta não é somente no sentido de ouvir. É uma escuta que olha, toca, sente e percebe, porque o Papa Francisco pediu oração e que se faça uma assembleia que convoque o povo de Deus. Que não seja para um pequeno grupo separado, mas para todos”, comentou o Padre David Jasso Ramírez, Secretário-Geral Adjunto do Celam.

O Sacerdote lembra que, além do processo de escuta, faz parte da preparação para a assembleia o caminho espiritual, que é permanente, e a busca para encontrar novos itinerários pastorais.

“Desta maneira, podemos dizer que o método ‘ver’, ‘iluminar’ (’julgar’) e ‘agir’ é considerado. Olhamos a realidade, discernimos e deixamos nos iluminar por Jesus Cristo e por Aparecida”, pontua Padre David. “Assim, buscamos novos caminhos pastorais que respondam à pergunta-chave: ‘Quais são os novos desafios dos discípulos missionários hoje e para o futuro da Igreja na América Latina?’”

Ao falar sobre o que se espera desse momento, o Secretário do Celam afirma acreditar que o “Espírito Santo trará surpresas” e acrescenta que, embora haja uma base para reflexão, estão “completamente abertos para receber contribuições sobre qualquer problemática, urgência, esperança, luz ou sombra do povo”.

OPORTUNIDADE DE PARTICIPAÇÃO

Para Alan Faria Andrade, advogado, doutorando em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e membro de um dos grupos de universitários participantes do evento “Economia de Francisco”, o processo de escuta da assembleia eclesial possibilita vivenciar a dimensão comunitária da Igreja, que está na raiz do Cristianismo, e tem proporcionado a partilha de experiências entre os participantes, que, embora inseridos em diferentes situações próprias de cada país, vivenciam coisas em comum, como as mazelas sociais que afetam as populações.

O contador e empresário Diego Hernández, que também participa de um dos grupos da “Economia de Francisco”, enalteceu a possibilidade de ampla participação na assembleia eclesial.

“O povo tem voz e precisa ser escutado. Portanto, deve participar e ser protagonista de tudo isso. E não somente ouvir, mas se incluir no processo. É importante que todos participem da construção da Igreja”, salientou.

Hernández acredita que esse movimento de participação de todos para falar das realidades está em desenvolvimento. “Chegará um tempo em que poderemos ver de maneira mais plena e ampla essa participação, pois ela vai se construindo aos poucos.”

O sociólogo e mestre em serviço social pela PUC-SP, Edson Silva, vem contribuindo com a etapa de escuta por meio do Conselho de Leigos da Arquidiocese de São Paulo (CLASP). Ele afirma que, entre os participantes, há a grande expectativa para o “reavivamento dos trabalhos, missão e testemunho” da Igreja, além da possibilidade de promover maior diálogo entre o laicato e todas as instâncias eclesiais.

Comentários

  1. Estou iniciando os estudos referente a assembleia. Necessito de todo material que eu puder receber. Onde localizar? Tinha entendido que encontraria no “O são Paulo “, mas ainda não consegui. Necessito da ajuda. Muito obrigado.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter