Bispos exortam filipinos a participar da vida política da nação

População do país asiático – em destaque, a juventude – é incentivada por seus líderes religiosos a não se deixar levar por pesquisas eleitorais e redes sociais, mas a se envolver conscientemente na escolha de seus representantes

Dom Broderick Pabillo, atualmente Bispo Auxiliar de Manila, capital do país, e recentemente nomeado Vigário Apostólico de Taytay

Quase oito meses antes das eleições gerais programadas para maio de 2022, Dom Pablo Virgilio David, Bispo de Caloocan, recentemente eleito Presidente da Conferência Episcopal dos Bispos das Filipinas (CBCP, na sigla em inglês) e cuja posse será em 1º de dezembro, convida eleitores a se inscreverem nas listas eleitorais das próximas eleições e a participar conscientemente na vida política da nação.

“Se você ainda não se cadastrou, você tem a oportunidade de fazê-lo agora. É a expressão mais básica da sua vontade de participar na construção da nação”, afirmou o Prelado. “Vote de acordo com a sua consciência. Certifique-se, porém, de que sua consciência esteja bem formada e bem informada”, assinala Dom Pablo.

Apelo aos jovens

Um pensamento especial para os jovens, que são convidados a participar, votar e expressar “todo o seu potencial” para influenciar verdadeiramente o futuro do país.

A “votação juvenil” se refere a eleitores com idade entre 18 e 35 anos, que nas Filipinas representam cerca de 37% do eleitorado total, segundo dados divulgados pela Comissão Eleitoral. Portanto, os jovens constituem um grande segmento do eleitorado que pode influenciar significativamente o resultado das eleições nacionais e locais.

As principais questões abordadas em cada eleição dizem respeito diretamente aos problemas e desafios enfrentados pelos jovens, seu futuro emprego, os serviços de que podem se beneficiar, uma governança honesta voltada para a transparência e o bem comum e uma educação de qualidade.

Jesus como líder

Dom Broderick Pabillo, atualmente Bispo Auxiliar de Manila, capital do país, e recentemente nomeado Vigário Apostólico de Taytay, também falou sobre a votação de 2022, exortando os eleitores a “escolherem um líder que personifique o exemplo de liderança de Jesus Cristo”. Segundo Dom Broderick, “os cristãos têm a oportunidade de olhar para Jesus como guia na busca de líderes autênticos”.

Olhando para Cristo Jesus, ele observou, “o propósito da liderança não é ganhar poder, mas servir, e Ele o fez com humildade, amor altruísta e compaixão”.

“É com base nisso que devemos escolher nossos líderes, e não com base em pesquisas e comunicados de imprensa, e especialmente não com base nas redes sociais invadidas por provocações”, disse Dom Broderick. “Em vez de olharmos para as pesquisas, deixemo-nos influenciar pela Palavra de Deus. Ele tem muito a nos ensinar sobre liderança, até liderança política”, disse.

Segundo o Vigário Apostólico de Taytay, “o país precisa de líderes próximos e comovidos com a terrível situação do povo. Precisamos de líderes que tenham misericórdia e compaixão e que não digam continuamente ‘mate, mate, mate’. O pastor se oferece para que o povo, nós, a população, possamos viver”. Por isso, o Bispo pede aos eleitores que não sejam influenciados pelos resultados das numerosas pesquisas pré-eleitorais que, segundo ele, “costumam ser utilizadas para condicionar a opinião pública”.

Futuro em jogo

Em uma pesquisa recente do instituto “Pulse Asia”, a prefeita da cidade de Davao, Sara Duterte, e seu pai, o atual presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, são os candidatos à presidência e à vice-presidência mais populares do ano.

Tendo em vista as eleições gerais, marcadas para 9 de maio de 2022, a Comissão Eleitoral deve publicar até janeiro de 2022 a lista oficial de candidatos, incluindo os candidatos a Presidente, Vice-Presidente, para as cadeiras de 12 senadores e 308 membros do Câmara dos Representantes.

A votação também está programada para 81 governadores e vice-governadores, 780 assentos em conselhos provinciais, 1.634 prefeitos e vice-prefeitos de municípios, e há 13.546 assentos a serem atribuídos nos conselhos municipais. De acordo com a Constituição das Filipinas de 1987, as eleições gerais são realizadas a cada seis anos na segunda segunda-feira de maio.

Fonte: Agência Fides

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter