Igreja Ortodoxa Copta presta homenagem a martirizados na Líbia há 7 anos

Aid to the Church in Need (ACN)

Este ano, novamente, a Igreja Ortodoxa Copta prestou homenagem, com orações e celebrações, à memória dos trabalhadores que, há sete anos, foram massacrados e decapitados numa praia da Líbia por terroristas jihadistas, e morreram murmurando o nome de Cristo.

Segundo informações da Agência Fides, a Diocese Copta Ortodoxa de Samalut, na Província de Minya, propôs viver como tempo de despertar espiritual as celebrações e momentos comemorativos programados por ocasião da o sétimo aniversário do martírio dos 20 cristãos coptas egípcios massacrados em uma praia na Líbia em fevereiro de 2015 com um de seus compatriotas ganenses por terroristas ligados ao autoproclamado Estado Islâmico (Daesh).

Os eventos litúrgicos e eclesiais celebrados em memória dos mártires desde o início do mês culminaram com as liturgias celebradas na terça-feira, 15, no santuário construído em sua homenagem em tempo recorde em al Awar, a aldeia de onde a maioria deles veio.

Anba Pavnotios, Bispo Copta Ortodoxo de Samalut, em seu anúncio dos eventos comemorativos – celebrações litúrgicas, conferências, visitas ao santuário-museu, reuniões de oração – convidou todos a valorizar as bênçãos espirituais que os mártires da Líbia trarão para aqueles que os comemorará com emoção e gratidão.

Pelas redes sociais, muitos egípcios compartilharam fotos e mensagens de jovens casais que decidiram celebrar seu casamento na terça-feira, 15, dia em que a Igreja Ortodoxa Copta decidiu fazer a memória litúrgica dos mártires da Líbia.

HISTÓRICO

Os 20 coptas egípcios e seu colega de trabalho ganense foram sequestrados na Líbia no início de janeiro de 2015. O vídeo de sua decapitação foi postado on-line por sites jihadistas há 7 anos, em 15 de fevereiro.

Os restos mortais dos coptas mortos na Líbia foram identificados no final de setembro de 2017 em uma vala comum na costa da Líbia, perto da cidade de Sirte. Seus corpos foram encontrados com as mãos amarradas nas costas, vestidos com o mesmo macacão laranja que usavam no vídeo macabro filmado pelos carrascos no momento de sua decapitação. No vídeo de sua execução, é claramente visto que muitos dos mártires murmuram as palavras “Senhor Jesus Cristo” enquanto são brutalmente abatidos.

Em 2021, em uma mensagem em vídeo enviada por ocasião do “Dia dos Mártires Contemporâneos”, organizado pela Diocese Copta Ortodoxa por ocasião do 6º aniversário do massacre, o Papa Francisco também lembrou que os mártires coptas da Líbia “morreram dizendo: ‘Senhor Jesus!’, confessando o nome de Jesus” enquanto suas gargantas estavam sendo cortadas. Assim, acrescentou o Bispo de Roma naquela ocasião, “receberam o maior dom que um cristão pode receber: o testemunho de Jesus Cristo até dar a vida”. É por isso que agora “eles são nossos santos, os santos de todos os cristãos, os santos de todas as denominações e tradições cristãs.

Fonte: Agência Fides

Deixe um comentário