Confira nossa versão impressa

‘Economia de Francisco’: jovens dialogam com o Cardeal Scherer

Arcebispo de São Paulo participou de reunião virtual com três brasileiros integrantes ADCE que participam do evento internacional

‘Economia de Francisco’: jovens dialogam com o Cardeal Scherer

Franchesco Lopez, Lucas Galhardo e Matheus Machado são três dos mais de 2 mil jovens, de 115 países, que participarão neste ano do evento “Economia de Francisco”, o encontro convocado pelo Papa Francisco com jovens economistas e empreendedores para pensar o presente e o futuro da economia global.

O evento aconteceria em março, em Assis, na Itália, mas, em razão da pandemia de COVID-19, foi remarcado para o período de 19 a 21 de novembro e será totalmente on-line, porém, com a mesma proposta de que os jovens partilhem experiências, trabalhos, propostas e reflexões em 12 eixos, chamados de “vilas temáticas”: trabalho e cuidado; gestão e dom; finança e humanidade; agricultura e justiça; energia e pobreza; vocação e lucro; políticas para a felicidade; CO2 da desigualdade; negócios e paz; economia e mulher; empresas em transição; vida e estilos de vida.

As reuniões on-line das vilas têm ocorrido regularmente com a participação dos inscritos no evento, como é caso de Franchesco, Lucas e Matheus, que integram a ADCE-Jovem, iniciativa da Associação de Dirigentes Cristãos de Empresa (ADCE) que desde 2014 dissemina entre os jovens e futuros empresários valores cristãos, com o objetivo que construam uma sociedade mais justa, ética e cristã.

Na quarta-feira, 23, os três jovens realizaram uma videoconferência com o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, para falar sobre os preparativos do encontro de novembro. Também participaram da reunião on-line o Padre Valdeir Goulart, Assessor Espiritual da ADCE, e Gigi Cavalieri, presidente da ADCE-SP.

Desafios e perspectivas

Lucas Galhardo e Franchesco Lopez estão inscritos na vila “vocação e lucro”. Lucas afirmou que nas reuniões on-line muito tem se falado sobre como os jovens, efetivamente, podem colocar sua vocação a serviço de outras pessoas, preocupando-se não apenas com o lucro financeiro que terão pela atividade que exercem, mas em como podem colaborar com as outras pessoas e com o planeta a partir de suas atividades. 

“Estamos conectados e animados ao chamado do Papa Francisco que fez essa convocação aos jovens economistas e empreendedores do mundo inteiro”, assegurou Franchesco, que nasceu na Bolívia e vive no Brasil desde 2013, que assegurou que as empresas podem gerar impactos positivos à sociedade.

Matheus, que está na vila “finança e humanidade”, lembrou que nas reuniões virtuais os jovens têm se conhecido melhor e que os encontros são marcados pela preocupação em olhar a realidade, julgá-la e propor ações. “Procuramos, também, ter momentos de espiritualidade, ouvir tudo aquilo que a Igreja já nos passou. A Laudato si’ também é uma fonte de inspiração de todo o evento. Tudo tem sido uma experiência muito rica”, afirmou.

Assim como estes jovens, os participantes do evento “Economia de Francisco” são pesquisadores, estudantes, empreendedores, dirigentes empresariais e com atuação em organizações locais e internacionais, atentos a realidades sobre o meio ambiente, desenvolvimento sustentável, pobreza, desigualdades sociais e o uso das novas tecnologias.

Dom Odilo: ‘O Papa aposta nos jovens’

Ao ouvir o relato dos jovens, Dom Odilo se disse feliz pelo interesse que há sobre o evento que expressa a preocupação do Papa Francisco com o futuro da humanidade.

O Cardeal lembrou que as reflexões do encontro a ser realizado em novembro estão em conformidade com a Doutrina Social da Igreja, e que o Papa acredita que os jovens são capazes de apresentar ao mundo um novo olhar para a economia.

“O Papa aposta nos jovens e os convida a refletir sobre a economia mundial. E esta é a pergunta de fundo: é possível termos uma economia diferente dessa atual?”, afirmou Dom Odilo, observando que o modelo econômico atual é muitas vezes danoso ao próprio homem, ao meio ambiente e a toda a casa comum.

“Uma economia que tem como centro o lucro, demasiadamente, é uma economia que caminha para o suicídio da comunidade humana e também da natureza, e isso leva a pensar em grandes desastres não só ambientais”, prosseguiu o Arcebispo.

Dom Odilo também externou aos jovens sua preocupação com a concentração de renda no Brasil, com o grande contingente de pobres na sociedade, e com uma economia que, muitas vezes, prioriza a produção e o consumo de coisas supérfluas.

Por fim, ele reforçou seu otimismo com o evento Economia de Francisco:  “Nas vilas, jovens de muitos lugares, culturas e condições econômicas diferentes pensam juntos e vão tornar esse encontro extremamente interessante e rico. Lançarão sementes e fermentos que poderão transformar a economia com o passar do tempo”.

(Colaborou: Flavio Rogério Lopes)

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Missionários Claretianos comemoram 125 anos de presença no Brasil

Uma missa presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, na Paróquia Imaculado Coração de...

Prefeitura pede que no Dia de Finados cerimônias religiosas em cemitérios ocorram em espaços abertos

Em nota divulgada à imprensa na tarde da segunda-feira, 26, a Prefeitura de São Paulo recomendou que...

‘Acolhamos com fé a semente e o fermento do Reino de Deus’

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa desta terça-feira, 27, na capela...

Conheça os novos cardeais do Papa Francisco

Entre eles estão os arcebispos de Washington (EUA) e de Santiago do Chile Três...

Capela São Camilo de Lellis é a presença da Igreja no Hospital do Mandaqui

O templo localizado no hospital da zona Norte de São Paulo é o último retratado na série especial de reportagens do O...

Newsletter