‘Pelo mistério da encarnação, Deus regenerou a humanidade’

‘Pelo mistério da encarnação, Deus regenerou a humanidade’
(Foto: Bruno Melo)

O Arcebispo de São Paulo, Cardeal Odilo Pedro Scherer, chamou a atenção para a realidade central do Natal, na missa desta sexta-feira, 18, na capela de sua residência.

A Eucaristia, celebrada no 2º dia da novena litúrgica do Natal, foi transmitida pela rádio 9 de Julho e pelas Mídias digitais da Arquidiocese.

“Unamo-nos à toda a Igreja que acolhe o dom do Salvador, o mistério da encarnação do Filho de Deus, que continuamente vem ao nosso encontro. Este ano, nos visita de forma diferente, em meio à dor, às angústias pelas quais passamos nesta pandemia. Ele nos visita e nos consola também em nossas aflições”, afirmou Dom Odilo, no início da celebração.

O sonho de José

O Evangelho do dia (Mt 1,18-24) narra o anúncio do nascimento de Jesus a São José. “É Deus que o chama para desempenhar o papel de esposo de Maria e de pai adotivo de Jesus”, destacou o Cardeal, na homilia.

O texto recorda que Maria estava prometida em casamento a José e, antes de se unirem, ela ficou grávida de Jesus pela ação do Espírito Santo, como lhe anunciou o Anjo Gabriel.

O evangelista destaca, ainda, que São José, que era um homem justo, “não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria, em segredo”, para não causar escândalo a notícia de sua gestação.

Foi, então, que o mesmo anjo lhe apareceu, em sonho, e lhe disse: “José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”.

Obra do Espírito

O Arcebispo ressaltou que o mistério central desse trecho é a ação do Espírito Santo na encarnação do verbo no ventre da virgem Maria. “O Espírito criador, renovador, a força de Deus que dá origem a tudo. O mistério de da encarnação não é obra humana, mas de Deus”, afirmou.

Dom Odilo frisou que Deus conta com Maria como mãe para que o seu Filho possa nascer humanamente e, portanto, trata-se de uma “nova criação”, a partir da qual nasce uma nova humanidade dos filhos do “novo Adão”, que são todos aqueles que acolhem o Evangelho e a redenção. “Deus, por meio da ação do Espírito Santo, gera a nova humanidade, a começar por seu filho, que assume a natureza humana e, assim, a regenera”, reforçou.

“Acolhamos com fé, com alegria e gratidão a maravilha de Deus realizou”, concluiu o Arcebispo.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter