Dom Odilo ordena 2 padres para a Arquidiocese de São Paulo

Padres novos da Arquidiocese
Os padres Benedito Aparecido Maria Borba e Sulliver Rodrigues do Prado foram ordenados pelo Cardeal Scherer, no Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora Aparecida (Foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

O Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora Aparecida, no Ipiranga, foi o local da celebração da ordenação de dois padres para a Arquidiocese de São Paulo no sábado, 5.

Pela imposição das mãos do Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, os diáconos Benedito Aparecido Maria Borba, 55, e Sulliver Rodrigues do Prado, 39, receberam o segundo grau do sacramento da Ordem.

O rito de ordenação presbiteral foi acompanhado pelos fiéis presentes no santuário, seguindo os protocolos preventivos em virtude da atual pandemia, e pelo público conectado à rádio 9 de Julho e às mídias digitais da Arquidiocese.

Sinais sacramentais

Após a apresentação dos eleitos por parte do padre formador, os candidatos foram interrogados sobre seus propósitos pelo Arcebispo, diante do qual eles lhe prometeram obediência. Em seguida, os eleitos prostraram-se no chão, enquanto a assembleia entoou a ladainha de todos os santos.

O momento central do rito é a imposição das mãos sobre a cabeça dos eleitos, feita por Dom Odilo. Tal gesto é repetido por todos os padres presentes na celebração, em sinal de comunhão no mesmo ministério. Em seguida, o Presidente da celebração faz a Prece de Ordenação, fórmula litúrgica do sacramento da Ordem.

Um dos sinais sacramentais da ordenação é a unção das mãos do ordenando com o santo óleo do Crisma e a entrega do cálice e da patena, os vasos sagrados com os quais o Sacerdote celebra a Eucaristia.

Emocionado, Aquilino Maria de Borba, 84, entregou ao seu filho, Padre Benedito, a estola sacerdotal e recebeu dele a sua primeira bênção. Fátima Aparecida do Prado, 64, mãe do Padre Sulliver, também se emocionou com a ordenação do filho. “Nunca imaginei que teria um filho Padre e acolho essa graça como um grande presente de Deus para a nossa família e para a Igreja”, disse.

Anunciar Cristo

Arcebispo impõe as mãos sobre os candidatos em rito de ordenação presbiteral
(Foto: Luciney Martins/ O SÃO PAULO)

Na homilia, ao meditar sobre a liturgia do 2º Domingo do Advento, que destaca o clamor de São João Batista, “Preparai os caminhos do Senhor”, e anuncia a vinda do Messias, o Cardeal referiu essas palavras à missão dos ministros ordenados. “Nossa primeira e mais importante missão é o anúncio de Jesus Cristo. Nossa vida e o nosso trabalho devem estar permeados do anúncio da Palavra de Deus”, afirmou.

Em seguida, Dom Odilo salientou que o Padre deve constantemente buscar o Senhor por meio de uma vida santa. “A santidade é a união contínua com Deus, é viver as virtudes conforme o Evangelho, nos sacramentos, na liturgia, na oração e na prática das obras de misericórdia. A vida do Sacerdote deve ser inteiramente voltada para a santificação pessoal e de todo o povo”, enfatizou.

Imagens do Bom Pastor

O Cardeal recordou, ainda, que o Padre não é um simples “funcionário do sagrado”, mas “o primeiro discípulo de Jesus Cristo”, voltando-se para Ele, o Bom Pastor. “Somos chamados a ser sacerdotes segundo a imagem de Jesus Pastor no meio do povo”, disse.

Dom Odilo também afirmou que não é possível um sacerdote dizer que tem uma vida monótona e se, por acaso, alguém disser que seja monótona, ele exorta “a ir visitar o povo, ver os doentes, assistir os enlutados, batizar, alegrar-se com o casamento do povo, organizar a vida pastoral, a caridade, de tantas formas. A vida do padre é tudo menos monótona. Em cada experiência nova que vive, experimenta-se de forma nova a graça do sacerdócio”.

Chamado

Natural de São Roque (SP), Padre Benedito sentiu o chamado para o sacerdócio na adolescência. No entanto, o caminho vocacional teve de ser interrompido devido a problemas de saúde da sua mãe (já falecida) e à necessidade do apoio à família.

“Apesar de tudo isso, o chamado nunca desapareceu do meu coração. Continuei participando da comunidade e sempre fui bem orientado pelo meu Pároco. Assim, fui amadurecendo até que ingressei no seminário. Hoje estou aqui, com a graça de Deus”, relatou.

Nascido em São José dos Campos (SP), Padre Sulliver iniciou sua caminhada vocacional em 2011. Depois de cerca de dez anos afastado da vida eclesial, o jovem havia voltado a participar ativamente da Igreja.

“Até então, jamais havia pensado na possibilidade de ser sacerdote. Mas, a partir da  busca mais intensa da fé e da vida cristã, comecei a sentir o chamado para o sacerdócio. Conversei com meu Pároco, que me orientou a procurar o Centro Vocacional Arquidiocesano. Então iniciei o processo de discernimento e de formação”, contou.

Dom Odilo unge as mãos do novo Padre com o óleo do Crisma (Foto: Luciney Martins/ O SÃO PAULO)

Devoção mariana

Devoto de Nossa Senhora Aparecida, Padre Benedito foi batizado na Basílica “Velha” de Aparecida (SP). Ele não escondeu a emoção por ter a oportunidade de receber a ordenação presbiteral em uma igreja dedicada à Padroeira do Brasil e onde realizou seu estágio pastoral, em 2019.

“Uma vez, quando rezava aqui na igreja, manifestei interiormente a Deus o desejo de ser ordenado aqui. Mas jamais imaginei que isso poderia se concretizar”, disse o Neossacerdote. Quem propôs que as ordenações fossem celebradas no Santuário foi o Arcebispo.

Instrumentos da obra de Deus

Dentre as características próprias do ministério sacerdotal, Padre Sulliver destacou o mistério do dom Deus, que, apesar das limitações humanas, quer contar com os padres como instrumentos para a realização da sua obra no mundo.

“Acredito realmente que a graça de Deus opera em nós e por meio de nós, independentemente das nossas qualidades humanas. Não tenho dúvidas de que há muitas pessoas melhores do que eu para exercer esse ministério, mas vejo que Deus, ao me chamar, quer mostrar sobretudo para mim que a sua graça e misericórdia são infinitamente maiores”, afirmou.

Início do ministério

No fim da missa, o Padre Everton Fernandes de Moraes, Chanceler do Arcebispado, leu o decreto da primeira nomeação pastoral dos novos padres.

Padre Benedito foi designado para a Região Episcopal Belém; e o Padre Sulliver, para a Região Episcopal Santana. Em breve, os respectivos vigários episcopais dessas regiões os informarão em quais paróquias iniciarão o exercício de seus ministérios.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter