Eleições 2022: disputa ao Senado tem 11 candidatos por São Paulo

Marcos Oliveira/Agência Senado

Concluído o prazo para a realização das convenções partidárias – encerrado em 5 de agosto -, já estão definidos os nomes que irão concorrer aos cargos de presidente da República, governador, senador, deputado federal e estadual nas eleições em outubro deste ano. 

A seguir, O SÃO PAULO, apresenta, por ordem alfabética, um breve perfil dos candidatos que concorrem à única vaga das eleições ao Senado deste ano pelo estado de São Paulo.

Portal da Câmara

Aldo Rebelo (PDT): Jornalista, de 69 anos, nasceu em Viçosa (AL). Já foi vereador na capital paulista e depois deputado federal, de 1991 a 2011. Entre 2004 e 2005, ocupou o cargo de Ministro-chefe da Secretaria de Coordenação Política e Assuntos Institucionais, de 2004 a 2005; Ministro do Esporte, de 2011 a 2015; da Ciência, Tecnologia e Inovação, em 2015, e depois assumiu o Ministério da Defesa, até 2016. 

Reprodução do Facebook

Antônio Carlos Silva (PCO): Professor de Matemática na rede estadual, o candidato é natural de Petrópolis (RJ) e tem 59 anos. Militante político há cerca de 40 anos, participou da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT), além de ser membro da executiva nacional do Partido da Causa Operária (PCO) e responsável pela Corrente Sindical Causa Operária. 

Reprodução da Internet

Edson Aparecido (MDB): Atualmente com 54 anos, ele foi secretário de Saúde na capital paulista na gestão de Bruno Covas-Ricardo Nunes. Anteriormente, foi deputado estadual (de 1999 a 2006) e deputado federal (2007 a 2014); secretário do Desenvolvimento Metropolitano, em 2011, e secretário de Estado da Casa Civil, cargo que deixou para assumir a Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab). Até abril deste ano era filiado ao PSDB. 

ALESP

Janaína Paschoal (PRTB): Nascida na zona leste da capital paulista, Janaina, 48 anos, trabalhou na Secretaria de Segurança Pública de São Paulo e no Ministério da Justiça; também exerceu a Presidência do Conselho Estadual de Entorpecentes de São Paulo. Advogada há vinte anos, participou do Conselho Seccional da OAB/SP. Em 2018, foi eleita deputada estadual. 

Foto: PSTU

Luiz Carlos Prates (PSTU): Conhecido como “Mancha”, o sindicalista tem 64 anos e nasceu em Pitangueiras, no interior do estado. Metalúrgico, Mancha presidiu o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, além de ser um dos fundadores do PSTU. 

Reprodução do Facebook

Márcio França (PSB): O advogado, de 59 anos, governou o estado de São Paulo entre 2018 e 2019, depois da saída de Geraldo Alckmin. Também atuou como secretário nas pastas de Esporte, Lazer e Turismo e de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação. Foi vereador, e depois prefeito e em São Vicente (SP), por dois mandatos. Também se elegeu deputado federal.

Divulgação/EBC

Marcos Pontes (PL): Ex-ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, 59 anos, é formado em engenharia aeroespacial pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e tem mestrado em engenharia de sistemas pela Naval Postgraduate School, na Califórnia, nos Estados Unidos. Natural de Bauru (SP), Pontes atuou como piloto da Força Aérea Brasileira (FAB) e foi o primeiro astronauta sul-americano a viajar ao espaço. 

Marco Antônio Azkoul (DC): O vereador paulistano tem 65 anos e preside a Câmara Municipal de São Paulo pela segunda vez. Foi eleito para a Casa pela primeira vez em 1997, tendo sido reeleito seis vezes consecutivas. 

ALESP

Ricardo Mellão (Novo): O advogado especialista em Direito Administrativo, tem 36 anos e é deputado estadual por São Paulo, em primeiro mandato. Foi assessor especial de desburocratização na Secretaria Municipal de Gestão. Antes de dar início à carreira política, trabalhou em consultorias privadas nas áreas de economia, infraestrutura e parcerias público-privadas. 

PCB

Tito Bellini (PCB): Professor universitário, natural de Santos (SP), ele tem 44 anos. É graduado em Historia e foi professor da rede pública municipal de Franca (SP). Bellini também já foi candidato a prefeito de Franca nas eleições de 2008. Em 2020, foi candidato a vice-prefeito na chapa Marília Martins, mas não conseguiu se eleger.

Reprodução/Redes sociais

Vivian Mendes (UP): Mendes é bacharel em comunicação social pela Unesp. Trabalhou na Comissão da Verdade Rubens Paiva e é membro da Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos. Preside o diretório estadual da UP em São Paulo.

(Com informações de G1, Revista MoneyTimes, ALESP, TRE-SP e TSE)

9 comentários em “Eleições 2022: disputa ao Senado tem 11 candidatos por São Paulo”

  1. O Dr Marco Antonio Azkoul é delegado do Estado de São Paulo ha 43 anos,professor, jornalista, escritor, criador da delegacia itinerante semente da justiça itinerante, criador do projeto polícia comunidade, mestre, doutor pela PUC São Paulo e pós doutor pela faculdade de Direito e Lisboa…

    Responder

Deixe um comentário