‘Este é o dia em que a Glória de Deus se manifesta em Jesus, nosso Salvador’

Afirmou o Cardeal Odilo Pedro Scherer, na missa solene do Domingo da Páscoa da Ressurreição, na Catedral da Sé

Cardeal Odilo Scherer incensa círio pascal, durante missa do Domingo de Páscoa na Catedral da Sé
(Foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

“Este é o dia que o Senhor fez para nós: alegremo-nos e nele exultemos”, diz o refrão salmo responsorial (Sl 117), proclamado na missa do Domingo da Páscoa da Ressurreição do Senhor, na manhã do dia 17. Na Catedral da Sé, a solenidade foi presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo.

Considerada a data mais importante do calendário litúrgico católico, no Domingo de Páscoa, celebra-se a vitória da vida sobre a morte e o testemunho dos apóstolos de que o túmulo está vazio, pois o “Senhor verdadeiramente ressuscitou”, como afirma a narrativa do Evangelho de São João (20, 1-9).

A celebração contou com a participação do com participação da Orquestra Filarmônica do SENAI e da São Paulo Schola Cantorum, tendo como regentes os maestros Thomaz Ferreira e Delphim Rezende Porto. 

LEIA TAMBÉM:
Em Jesus ressuscitado se realizou a misericórdia de Deus para toda a humanidade

Dom Odilo: ‘Pela Paixão e Morte de cruz, Ele nos amou até o fim e aceitou todo o desprezo do mundo’

Dom Odilo: A celebração da Eucaristia é para nós, cristãos, o memorial da Páscoa de Cristo

Corpo glorioso

Dom Odilo iniciou a homilia recordando que todos os dias são de Deus, contudo, a Páscoa é o dia em que se manifesta a glória e o poder de Deus e o futuro que ele prepara para a humanidade.

“Este é o dia em que a Glória de Deus se manifesta em Jesus, nosso Salvador. Ele que foi condenado à morte inocentemente, foi sepultado e ressuscitado por Deus”, afirmou o Arcebispo, explicando que ressuscitado significa “levantado do pó da morte”, e novamente apresentado vivo como manifestação da vitória da vida sobre o mal que leva a morte.

O Cardeal Scherer enfatizou que Jesus não está vivo apenas na lembrança das pessoas, como os heróis e personalidades da história que já morreram. “O que se afirma da ressurreição é diferente. Não é só a lembrança de Jesus que continua viva. Ele ressuscitou no seu verdadeiro corpo, acrescentou, explicando que, em sua vida pública, Jesus ressuscitou diversas pessoas, como Lázaro. No entanto, esses foram ressuscitados para a mesma vida terrena, tanto que, depois, morreram.

Nova vida

“A ressurreição de Jesus não foi para voltar para esta vida. Seu corpo não é mais deste mundo, sujeito às necessidades exigências e limitações deste mundo, mas é glorificado por sua divindade. A ressurreição de Jesus é para a vida eterna. Ele vive entre nós agora transfigurado”, sublinhou o Purpurado.  

Ao professar a fé na ressurreição de Jesus, continuou Dom Odilo, os cristãos manifestam a esperança de que, um dia, também ressuscitarão e participarão da glória de Deus. “Esta não é obra do homem, é o que Deus prepara para nós. É o grande anúncio de esperança para nós e para toda a humanidade”, completou.  

“Hoje, queremos renovar nossa fé em Jesus ressuscitado e também naquilo que Deus preparou para nós. Ele está vivo e presente no meio de nós, como prometeu: ‘Estarei convosco todos os dias’… Quando Cristo aparecer em sua glória, ele também nos envolverá com sua glória no dia do Senhor”, reforçou o Arcebispo, concluindo que, como afirma São Paulo na segunda leitura da missa (Cl 3,1-4): “Se ressuscitastes com Cristo, esforçai-vos por alcançar as coisas do alto”.

Oitava da Páscoa

Na conclusão da missa, o Cardeal Scherer recordou que o dia de Páscoa se estende por toda a semana, na chamada Oitava da Páscoa. Por isso, ele recomendou que as pessoas continuem a transmitir a saudação pascal às pessoas que encontrarem nos próximos dias.

Por fim, o Arcebispo entoou com os fiéis a oração Regina Coeli (Rainha do Céu), que substitui a oração mariana do Angelus durante o Tempo Pascal, que se conclui somente no domingo de Pentecostes, que, este ano, será celebrado em 5 de junho.

Deixe um comentário