Museu Afro Brasil realiza Feira Literária que celebra grandes nomes da Literatura Negra Brasileira

Com oficinas, mesas de debates e lançamento de livros e cortejo nos dias 11 e 12 de Novembro, o Museu dá o tom do Mês da Consciência Negra com intensa programação cultural

Com a participação de editoras consagradas e autores de expressão, repleta de novidades literárias, o Museu Afro Brasil Emanoel Araujo, equipamento da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, realiza a sua primeira FLAB, Feira Literária Afro-Brasileira Carolina Maria de Jesus.

O nome da Feira homenageia a imortal referência da literatura nacional Carolina Maria de Jesus, grandiosa escritora, poetisa, cantora e compositora, nome que também batiza a biblioteca da instituição, especializada em arte africana e afro-brasileira. O intenso programa de atividades estará espalhado pelos 12 mil m2 quadrados da sua sede histórica, o prédio desenhado por Niemeyer, nos dias 11 e 12 de novembro, sábado e domingo. Três espaços do Museu serão pontos focais para os visitantes na data: a Biblioteca, o Teatro Ruth de Souza e a Marquise.

Foto: Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo

O MAB Emanoel Araujo, às vésperas de completar 20 anos de existência, concretiza um sonho antigo e cumpre a sua função social de disseminar arte, cultura e literatura produzida por pessoas negras de diversas regiões do país. 

A I FLAB celebra a produção literária produzida por escritores e escritoras negras/os/es e traz em sua programação grandes nomes da literatura brasileira como Esmeralda Ribeiro, Cuti, Heloísa Pires Lima, Marcelo D’Salete, Elizandra Souza, Lubi Prates entre outras participações especiais.

As editoras independentes Aziza, Editora Feminas selo Dandaras, Editora Mjiba, Kitembo, Livraria Africanidades, Malê, Me Parió, Mostarda, Quilombhoje e Selo Elo da Corrente estarão presentes com seus catálogos e novidades da expressiva produção da literatura negra no Museu Afro Brasil.

Os escritores Aline Soares, Caroline Cruz, Cleyton Mendes, Jô Freitas, Johncito, Mukanya – Fabio Simões Soares, Poeta CJ, Renan Wangler, Tamis Ferreira marcam presença, não apenas em obras literárias e autógrafos, mas também inspirando vibrantes atividades que irão ocorrer ao vivo, nesses dias da I FLAB.

A programação será formada por oficinas de escrita criativa, contação de histórias, teatro infantil, sarau, lançamentos de livros, discotecagem da DJ Vivian Marques e um cortejo com o Bloco Afro Ilú Obá de Min para festejar todas essas narrativas pretas.

Os momentos mais esperados são as mesas de conversa que aproximam o público das autoras e autores com destaque para a participação de Vera Eunice, filha da escritora Carolina Maria de Jesus. 

Abaixo as participações e temas das mesas literárias: 

MESA 1: COMEMORANDO CAROLINA MARIA DE JESUS, com Vera Eunice e Fernanda Miranda

Celebração da história de Carolina Maria de Jesus e sua importância para a literatura e para as leituras de mundo que sua obra proporciona para um número cada vez maior de pessoas. 

MESA 2: QUILOMBHOJE E AS NARRATIVAS DOS CADERNOS NEGROS, com Esmeralda Ribeiro e Cuti 

Conversa sobre a formação do grupo de escritores e escritoras que deram origem às grandes manifestações da literatura negra brasileira com a idealização dos Cadernos Negros.

MESA 3: ANCESTRALIDADE LITERÁRIA, com Heloísa Pires Lima e Oswaldo de Camargo 

Alinhavando passado e futuro através de seus ricos percursos literários, Heloísa Pires Lima e Oswaldo de Camargo conversam um pouco sobre a história da literatura afro-brasileira, ancestralidade e a escrita na literatura infantil.

MESA 4: QUADRINHOS NEGROS, com Marcelo D’Salete e May Solimar 

Partindo do encontro entre escrita e ilustração na confluência entre as artes visuais e literárias, a mesa discorrerá sobre a importância das narrativas negras no universo das HQs. 

Sobre o Museu Afro Brasil Emanoel Araujo: O Museu Afro Brasil Emanoel Araujo é uma instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo administrada pela Associação Museu Afro Brasil – Organização Social de Cultura. Inaugurado em 2004, a partir da coleção particular do seu diretor curador, Emanoel Araujo (1940-2022), o museu é um espaço de história, memória e arte. 

Localizado no Pavilhão Padre Manoel da Nóbrega, dentro do mais famoso parque de São Paulo, o Parque Ibirapuera, o Museu Afro Brasil Emanoel Araujo conserva, em cerca de 12 mil m², um acervo museológico com mais de 9 mil obras, apresentando diversos aspectos dos universos culturais africanos e afro-brasileiro e abordando temas como religiosidade, arte e história, trabalho e tecnologia, a partir das contribuições da população negra para a construção da sociedade brasileira e da cultura nacional. O museu exibe parte deste acervo na exposição de longa duração e realiza exposições temporárias.

SERVIÇO:

I Feira Literária Afro-Brasileira Carolina Maria de Jesus

Data: sábado e domingo, 11 e 12 de novembro de 2023

Sábado, 11 de novembro: das 10h às 18h

Domingo, 12 de novembro: das 11h às 18h

Endereço: Museu Afro Brasil Emanoel Araujo (Parque Ibirapuera, Av. Pedro Álvares Cabral, s/n, portão 10, São Paulo – SP, 04094-050)

Funcionamento: terça a domingo, 10h às 17h (permanência até às 18h)

Ingresso: R$ 15 (estudantes, portadores de ID Jovem, aposentados e maiores de 60 anos, R$ 7,50), vendidos presencialmente ou online

Grátis às quartas e durante o Mês da Consciência Negra (novembro)

Grátis mediante apresentação de comprovação para: 

  • crianças abaixo de 7 anos
  • grupos de escolas públicas e entidades de função social 
  • corpo docente e funcionários de escolas públicas e da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, estendendo-se aos familiares
  • Policiais militares, civis e da Polícia técnico-científica da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, estendendo-se aos familiares
  • Profissionais da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, estendendo-se aos familiares
  • Guias de turismo credenciado
  • Membros associados ao Icom
  • Pessoas com deficiência, com um acompanhante

Estacionamento (Parque Ibirapuera)

Horário: das 5h à 0h

Acessos: Portões 3 e 7 

Preço: segunda a sexta, R$ 11; sábado, domingo e feriado R$ 13

Fonte: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários