No Jardim Maria Estela, Paróquia Nossa Senhora de Fátima completa 50 anos de evangelização

Luciney Martins/O SÃO PAULO

Às 8h do domingo, 26, Solenidade de Cristo Rei, os bancos da matriz da Paró­quia Nossa Senhora de Fátima, no bairro Jardim Maria Estela, Setor Anchieta da Região Ipiranga, estavam lotados para a celebração dos 50 anos da fundação da Paróquia.

A missa solene foi presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, e concele­brada por Dom Ângelo Ademir Mezzari, RCJ, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Ipiranga, e o Padre Edson Chagas Pacondes, Pároco.

Para festejar o cinquentenário da Pa­róquia, aconteceu uma novena prepara­tória, com missas diariamente. Houve, ainda, a arrecadação de alimentos para as ações sociais.

CONVERSÃO E AÇÃO

A Paróquia Nossa Senhora de Fátima foi eregida em 24 de novembro de 1973, após grande empenho da professora Ja­cira da Costa. Ela era evangélica, mas ao visitar a cidade de Fátima, em Portugal, ficou impressionada com a história das aparições da Virgem aos três pastori­nhos. A professora, então, converteu-se e mobilizou os moradores do Jardim Ma­ria Estela, na zona Sul da capital paulista, para a aquisição do terreno e a constru­ção do templo.

Cecília Dias Ribeiro, 72, chegou ao bairro aos 6 anos de idade. Ela contou ao O SÃO PAULO que seus pais se uniram ao anseio da professora para construir a Paróquia. “Eu me lembro dos meus pais indo atrás de arrecadações, promovendo quermesses e festas. A semente de ter um espaço para as missas e sacramentos come­çou pequena, simples, mas com a comuni­dade em ação, tornou-se realidade”, disse.

As primeiras celebrações eram re­alizadas nas casas das famílias, em um galpão próximo e no Colégio Joaquim Nabuco.

“Celebrar os 50 anos e ver a igreja bonita, bem participativa e atuante na evangelização e nas ações sociais, enche­-me de orgulho e, acima de tudo, me faz perceber como Deus é bom e os paro­quianos empenhados na propagação da fé”, comentou Cecília.

Padre Edson destacou que “celebrar o cinquentenário desta Paróquia é recor­dar as abundantes graças de Deus, todo bem realizado pela intercessão de Nossa Senhora de Fátima – a mãe que sempre acolhe e está sempre perto do seu povo”.

VITALIDADE PASTORAL

Camilo Cherubim da Silva tinha 18 anos quando datilografou a ata de fun­dação da Paróquia Nossa Senhora de Fátima em novembro de 1973. À repor­tagem, ele recordou que, na época, no bairro residiam muitas famílias portu­guesas e que a criação da Paróquia nas­ceu do anseio de celebrar a vida e os sa­cramentos em comunidade.

“Quando Dom Benedito Ulhoa, Bis­po Auxiliar da Arquidiocese de São Pau­lo [1972-1978], confirmou a Paróquia, ficamos felizes, pois teríamos um templo para celebrar”, disse Camilo, hoje com 72 anos. “A Paróquia cresceu junto com o bairro. Éramos jovens e queríamos ex­pandir as ações e atividades, e esse desejo pujante permanece em nossa comunida­de, que sempre busca expandir a evange­lização”, mencionou.

A dinâmica pastoral e sacramental da Paróquia é marcada pela celebração da Eucaristia; atendimento de Confis­sões; Catequese para crianças, jovens e adultos; pastorais da Liturgia, Batismo, Crisma, da Saúde, da Moradia, do Dí­zimo, da Criança e da Comunicação; e ações dos grupos de Vicentinos, do Apostolado da Oração, da Renovação Carismática Católica, Terço dos Ho­mens, entre outros.

“Somos missionários que peregri­nam ao encontro do irmão que está como vimos no Evangelho de hoje (Mt. 25,31-46) com sede, com fome, com frio. Cada ação social e/ou espiritual é uma semente do Reino de Deus plantada e germinada no coração do povo”, afirmou Camilo. “Ao celebrar os 50 anos, vejo que todo esforço dos inícios valeu a pena. A comunidade cresceu e há cinco décadas estamos juntos em comunidade, cons­truindo um bairro pautado na fé e nos valores do Evangelho”, complementou.

Mariana Moreira Foiadelli, 14, foi crismada no último dia 19. “Gosto de estar aqui na Igreja. Quero ingressar no grupo de jovens e, futuramente, ser mi­nistra extraordinária e catequista”, disse. “Aqui reestabeleço minhas forças para seguir em frente. Renovo minha fé e a força jovem da Igreja”, finalizou.

Luciney Martins/O SÃO PAULO

OBRAS DE MISERICÓRDIA

As ações sociais e caritativas são uma marca da Paróquia. Há um serviço per­manente de promoção humana para aproximadamente 400 famílias caren­tes; mensalmente são doadas 85 cestas básicas; há uma escola de alfabetização para adultos que atende 17 alunos; no se­gundo domingo do mês, é feito o Dia do Quilo, quando os paroquianos são moti­vados a doar um quilo de alimento para as famílias carentes.

“Nosso intuito é a promoção das famílias carentes. Mais do que doar ali­mentos, roupas, remédios, queremos dignificar essas pessoas para a qualidade de vida, qualificação profissional e reco­locação no mercado de trabalho”, expli­cou Eliana da Silva, 51, presidente dos Vicentinos na Paróquia.

Eliana mencionou que algumas fa­mílias são beneficiadas com ajuda no pa­gamento das contas do aluguel, de água e/ou energia elétrica. “Com essa ajuda, nosso intuito é que não falte comida na mesa e que a família consiga ressignifi­car e viver com dignidade”, mencionou, ressaltando que são realizadas visitas semanais às famílias beneficiadas pelas iniciativas caritativas.

CARIDADE E ESPERANÇA

No início da celebração, Dom Odi­lo comentou que celebrar os 50 anos da Paróquia é recordar a história vivida até aqui e renovar a fé, a adesão à Igreja e o desejo de propagar o Evangelho. “Há cin­co décadas, esta paróquia é sinal e pre­sença de caridade e esperança. Aqui tes­temunha e propaga a Boa Nova do Reino, por meio do anúncio do Evangelho e das obras de misericórdia”, disse, recordando as demais motivações para a celebração naquele domingo: o Dia Nacional dos Cristãos Leigos e Leigas e o encerra­mento do 3º Ano Vocacional do Brasil.

O Cardeal Scherer salientou que a exemplo de Cristo, Rei do Universo, a Igreja “está no mundo para ser sinal e para testemunhar, por meio da ação evangelizadora, a verdade do Evangelho”.

Dom Ângelo, no final da celebração, recordou a união e a participação da co­munidade. “Estamos celebrando o ju­bileu de ouro de uma comunidade que mantém a chama da unidade e da vida de oração ativa e dinâmica”, disse. “Sigam firmes e perseverantes, e que a Virgem do Rosário de Fátima proteja o bairro e a todos”, desejou.

Luciney Martins/O SÃO PAULO
guest
1 Comentário
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Marlebe de Souza Alvares
Marlebe de Souza Alvares
3 meses atrás

Sinto me muita agraciada por fazer parte desta paróquia.
Não era desse bairro,morava no alto do ipiranga,casei e vom morar aqui em 1985,fmeus filhos fizeram a primeira eucarista,crisma,minha filha casou nessa paróquia em 2022.
Agradeço a Deus pela dedicação de todos que faz parte desta comunidade,paroquianos dedicados e que continuemos todos unidos e orando por todos.
Deus abençoe nossa Paróquia e nosso bairro Jardim Maria Estela.