Parto Seguro à Mãe Paulistana completa 10 anos com atendimento humanizado

Programa é responsável pela diminuição da mortalidade neonatal precoce, morbidade materna e pelo aumento no número de partos normais

Shutterstock

Responsável por mais de 200 mil nascimentos na cidade de São Paulo, o Programa Parto Seguro à Mãe Paulistana, gerenciado pelo CEJAM – Centro de Estudos e Pesquisas “Dr. João Amorim” em parceria com a Secretaria Municipal da Saúde, está completando 10 anos de existência.

Lançado em 3 de outubro de 2011 e reconhecido por sua assistência humanizada, o Parto Seguro está presente em sete hospitais e uma maternidade pertencentes à rede municipal de saúde.

Nas regiões no qual está inserido, o programa é responsável pela redução de 44,37% da mortalidade neonatal precoce, entre 2013 e 2021; e pela considerável redução no número de segundas gestações na adolescência, por meio da inserção do DIU pós-parto. Desde 2018, foram colocados mais de 7,8 mil dispositivos intrauterinos.

O Parto Seguro também ampliou o número de partos normais no município. Em 2020, foram realizados mais de 23 mil partos, sendo 15.115 deles normais. O número corresponde a quase 66% dos nascimentos, acima da média brasileira, que, até 2018, era de 44% nos hospitais acreditados pelo Compromisso com a Qualidade Hospitalar, segundo o Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos.

“O programa tem em seu DNA o espírito da nossa Instituição, que, ao longo de 30 anos de existência, se propõe a transformar a vida das pessoas por meio de ações de promoção, prevenção e assistência à saúde”, destaca Ademir Medina, CEO do CEJAM.

De acordo com o diretor do CEGISS – Centro de Gestão Integrada de Serviços de Saúde do CEJAM, Dr. Renato Tardelli, o Parto Seguro viabiliza a transmissão de conhecimento, com planejamento, organização e valorização de todos os envolvidos, para uma assistência qualificada e cumprimento às diretrizes para atenção ao parto e nascimento.

Redução da mortalidade materna

A saúde da gestante também é um dos pilares do Parto Seguro, que tem contribuído, por meio de diversas ações, para a redução da mortalidade de mulheres. A inclusão de um protocolo de classificação e avaliação de riscos hemorrágicos – uma das principais causas de morte de parturientes-, o Plano Individual de Parto – que esclarece à gestante os direitos e serviços de humanização, preparando-a para o parto- e o acompanhamento de risco, realizado desde o momento da internação até a alta médica estão entre as principais.

Atendimento humanizado

Para a coordenadora geral do Parto Seguro, Anatália Basile, a forma como o atendimento é realizado, em todos os processos da gestação, é o maior trunfo do programa.

“Tanto o parto quanto o nascimento acontecem de forma segura e respeitosa, com acolhimento humanizado de uma equipe que utiliza práticas como massagens, banhos terapêuticos, exercícios de respiração e musicoterapia, entre outras. Incentivamos a mulher a tornar-se protagonista de seu parto”, afirma.

Conforme a especialista, que é enfermeira com ênfase em Obstetrícia, todo o trabalho é realizado com a presença de um acompanhante de escolha da futura mamãe, que permanece o tempo inteiro ao seu lado.

À frente do programa desde o início, ela destaca que, apesar da grande responsabilidade, a sensação diária é satisfatória, de missão e dever cumpridos. E ainda compartilha uma das inúmeras histórias que já presenciou ao longo destes 10 anos.

“Um parto muito marcante foi o de um casal no qual o esposo da parturiente era cego. Nossa equipe, com muita delicadeza, garantiu que a experiência do nascimento de seu filho fosse toda narrada e descrita pela mãe da paciente. Um atendimento com equidade que promoveu uma nova experiência a todos os envolvidos”, conta.

A coordenadora finaliza ressaltando as principais linhas de frente do Parto Seguro, que defende posições de parto, respeitando a escolha da mulher; a Iniciativa Hospital Amigo da Criança, que contribui para o sucesso no aleitamento materno; e o estudo de casos com foco na proposta de melhoria e segurança contínua na assistência.

Confira a lista de unidades que contam com o Programa Parto Seguro:

Hospital Municipal e Maternidade Prof. Mário Degni

Hospital Municipal Dr. Ignácio Proença de Gouvêa

Hospital Municipal Prof. Dr. Alípio Corrêa Netto – Ermelino Matarazzo

Hospital Municipal Prof. Dr. Waldomiro de Paula

Hospital Municipal Tide Setúbal

Hospital Municipal Campo Limpo – Dr. Fernando Mauro Pires da Rocha 

Maternidade Escolar Dr. Mário de Moraes Altenfelder Silva – Cachoeirinha

Hospital do Servidor Público Municipal

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter