Cardeal Scherer ordena três padres paulinos na Sé

Padre Mário Roberto, Francisco das Chagas e Deivid Rodrigo foram ordenados em missa na Catedral da Sé (foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

A Família Paulina estava em festa no sábado, 31 de julho. Prestes a completar 90 anos de presença no Brasil, a Pia Sociedade São Paulo (Padres e irmãos Paulinos) celebrou a ordenação de três novos sacerdotes, em missa na Catedral da Sé. 

Pela imposição do Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, os diáconos Deivid Rodrigo dos Santos Tavares, 36, Francisco das Chagas dos Santos Galvão, 35, e Mario Roberto de Mesquita Martins, 34, receberam o sacramento da Ordem no grau do presbiterato.

Participaram da celebração os padres e irmãos paulinos, além dos membros das outras congregações e institutos que compõem a Família Paulina, fundada pelo Bem-Aventurado Tiago Alberione em 1914, com o carisma do anúncio do Evangelho pelos meios de comunicação.

LEIA TAMBÉM:
Paulinos: 90 anos de presença no Brasil

Uma obra nascida no coração de um ‘apóstolo da comunicação’

Sacerdócio

Na homilia, Dom Odilo ressaltou que os candidatos, após anos de formação, estudos e discernimento, apresentavam-se diante da Igreja para responder ao chamado de Deus para o sacerdócio ministerial.  

“A Igreja, comunidade dos discípulos e discípulas de Jesus Cristo é um povo sacerdotal, que, pelo Batismo, recebe participação na missão sacerdotal de Jesus cristo, de testemunhar com a vida a santidade de Deus e as maravilhas da sua ação na vida de cada um e do mundo. Mas Deus, na Igreja, chama alguns que devem desempenhar na comunidade deste povo a missão especial de Jesus Cristo sacerdote, profeta e pastor”, afirmou o Arcebispo, completando que o sacerdócio ministerial é um dom que Deus faz tanto à pessoa que o recebe quanto à comunidade que conta com a presença sacerdotal e Cristo por meio dos padres.

Dirigindo-se aos candidatos, o Cardeal salientou: “Vocês não apenas realizarão ações sacerdotais. Vocês serão sacerdotes mediante sua vida, sinal de Cristo, sacerdote, pastor, Palavra de Deus que é testemunhada de muitas maneiras no meio da comunidade”.

Recordando o carisma especial dos padres e irmãos paulinos, o Arcebispo destacou que os novos padres poderão contribuir de maneira especial para a difusão da Boa-Nova ajudando a Igreja de Cristo chegar a todos os povos. “Que nossa comunicação, a partir do coração da Igreja, faça diferença em relação a muita comunicação vazia, que espalha o ódio, a divisão”, exortou.

Por fim, Dom Odilo invocou a intercessão de São Paulo Apóstolo, patrono da congregação, pelo ministério dos novos sacerdotes paulinos.

Arcebispo impõe as mãos sobre os diáconos, em rito de ordenação (foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

Rito

No rito de ordenação logo após a proclamação do evangelho, o superior provincial dos Paulinos, Padre Claudiano dos Santos, apresentou ao Arcebispo os candidatos ao sacerdócio. Em seguida, após serem interrogados pelo Cardeal e fazerem suas promessas sacerdotais, os diáconos se prostraram diante do altar enquanto toda assembleia invocou a intercessão de todos os santos. 

O momento central da ordenação é a imposição das mãos sobre os eleitos, seguida da prece de ordenação, na qual o Arcebispo invocou a força do Espírito Santo para constituí-los na dignidade de presbíteros.

Após serem revestidos dos paramentos litúrgicos sacerdotais, a estola e a casula, os novos padres têm suas mãos ungidas com o óleo do Crisma, que, como sublinha a oração do ritual, os reveste de poder para “a santificação do povo fiel e para oferecer a Deus o santo sacrifício”.

Em seguida, os recém-ordenados recebem o pão e o vinho que serão oferecidos a consagrados no corpo e sangue de Cristo, na missa. “Toma consciência do que vai fazer e põe em prática o que vais celebrar, conformando tua vida ao ministério da cruz do Senhor”, disse o Arcebispo, conforme previsto pelo rito.

Momento fecundo

No fim da missa, em nove dos neo-sacerdotes, o Padre Francisco das Chagas agradeceu a presença e a oração e todos. “O nosso ‘sim’, é resultado da generosidade de muitas pessoas: família, amigos, professores, nossa comunidade de origem e, claro, a nossa congregação dos padres e irmãos paulinos”. 

O novo padre ressaltou que, nos tempos difíceis vividos pela humanidade, há quem afirme que esse não fosse o melhor momento para  se tornar sacerdote. “Para nós, paulinos, que temos como propósito viver e comunicar o amor de Deus a todos os povos, sem distinção, segundo espírito do Apóstolo Paulo, este é o momento mais fecundo para sermos instrumentos de misericórdia e de compaixão”, disse.

Dar Deus aos homens

Em mensagem enviada aos recém-ordenados, o Superior Geral dos Paulinos, Padre Valdir José de Castro, manifestou a alegria de toda a congregação pela ordenação e exortou a viverem o sacerdócio como “verdadeiro serviço, segundo o coração pastoral de Jesus, o mestre, buscando sempre o encontro com ele, por meio da oração, as luzes necessárias pra levar ao povo o pão da Palavra e da Eucaristia”, sendo “incansáveis homens da misericórdia e dispensadores dos mistérios de Deus”.

“Como afirmava nosso fundador, pastoral é ‘a grande arte e dar Deus aos homens e de dar os homens a Deus em Jesus Cristo’, que veio para que todos tenham vida e a tenham em abundância (Jo 10, 10). Impulsionados pelo ‘coração pastoral’, vocês possam servir o povo, especialmente os mais pobres  necessitados, os que vivem na periferia do pensamento e do mundo”, acrescentou o Superior.

Por fim, Padre Valdir exortou os novos padres a serem “testemunhas do Evangelho, com simplicidade e entusiasmo, como verdadeiros ‘artesãos de comunhão’, a exemplo do apóstolo Paulo, utilizando na missão todas as linguagens da comunicação”.

Após serem ordenados, padres paulinos consagram seu ministério à Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos (foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

Novos padres

Padre Deivid Rodrigo dos Santos Tavares nasceu em Aracaju (SE) e sempre atuou na sua comunidade de origem na área da liturgia, catequese e comunicação, o que despertou nele o chamado para dedicar a vida ao anúncio da Palavra pela comunicação.

Lema: “Lanço-me para afrente, em direção ao chamado do alto que vem de Deus em Jesus Cristo” (Fl 3,13-14).

Padre Francisco das Chagas dos Santos Galvão nasceu em Viçosa do Ceará (CE). Aos 19 anos, após fazer sua primeira Comunhão e a Crisma, sentiu o chamado de Deus para a consagração da vida. Anos depois, conheceu a Congregação dos Paulinos e se encantou com o carisma da evangelização pelos meios de comunicação.

Lema: “No mundo tereis tribulações, mas tende coragem; eu venci o mundo” (Jo 16,33).

Padre Mario Roberto de Mesquita Martins é natural de Cantanhede (MA). Desde a infância, era engajado na vida eclesial, mas foi na Jornada Mundial da Juventude de 2011, em Madri, Espanha, que encontrou a resposta para sua inquietação interior que o levou a iniciar o discernimento vocacional com os Paulinos.

Lema: “Tudo faço pelo Evangelho” (1 Cor 9,23).

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter