Cáritas Brasileira auxilia migrantes em situação de vulnerabilidade, em Boa Vista, a vencer a fome

Cáritas Brasileira auxilia migrantes em situação de vulnerabilidade, em Boa Vista, a vencer a fome
Cáritas Brasileira

A Cáritas Brasileira em Roraima, por meio do Projeto Sumaúma: Nutrindo Vidas, auxilia milhares de pessoas migrantes em situação de vulnerabilidade a vencer a fome. Com três refeições diárias e reforço alimentar para grupos com necessidades alimentares especiais, a ação fortalece a construção do Bem Viver, compartilhando dignidade e amor em forma de alimento.

O Projeto Sumaúma: Nutrindo Vidas é fruto da união entre a rede Cáritas Brasileira, o Escritório de Assistência Humanitária (BHA) da Agência dos Estados Unidos pelo Desenvolvimento Internacional (USAID) e a Associação Mexendo a Panela, com o objetivo de continuar e ampliar o oferecimento de alimentação para as pessoas migrantes em situação de vulnerabilidade em Boa Vista.

“Hoje nós estamos desenvolvendo o Projeto Sumaúma, que é uma iniciativa que dá resposta a essa grande tragédia que o Brasil vive hoje. Atendendo mulheres, crianças, migrantes que chegam ao Brasil e precisam de uma apoio, e também pessoas que moram na rua.” diz Carlos Campos, diretor executivo da Cáritas Brasileira.

A semente da ação foi plantada com a associação Mexendo a Panela, projeto social que nasceu em 2015 na Paróquia Nossa Senhora da Consolata, em Boa Vista, por iniciativa do padre Revislande Araújo. A união de forças fez com que o cuidado com o próximo se ampliasse e fortalecesse a partilha do pão de cada dia.

“Daquilo que a gente começou, para aquilo que é hoje, a gente caminhou um pouquinho mais e a gente tem um orgulho tanto para o servir como também para os nossos voluntários que são hoje do Projeto Sumaúma”, conta padre Revislande.

Para as pessoas atendidas pelo projeto, a alimentação oferecida se tornou referência nutricional, mas também de acolhimento e afeto.

“Eu tenho 1 mês que já venho aqui e me sinto bem porque é uma grande ajuda. Como todas as pessoas que não tem o que comer, como se alimentar, também vem aqui. É um bom lugar para alimentar nossos filhos.”, diz Aurimar, migrante venezuelana atendida pelo Sumaúma.

Durante sua realização, o projeto prevê que serão preparadas 916 mil refeições, servidas para uma média de 6 mil pessoas migrantes venezuelanas em Boa Vista. A execução do projeto acontece em parceria com a associação Mexendo a Panela e com a Cáritas Diocesana de Roraima.

Fonte: CNBB

Assine nossa Newsletter

Mantenha-se informado das novidades da Igreja e do Mundo

Clique aqui para assinar!

Deixe um comentário