Cartilha da ‘Turma da Mônica’ explica a classificação indicativa de programas de tevê

Projeto foi apresentado em formatos físico e digital

Cartilha da ‘Turma da Mônica’ explica a classificação indicativa de programas de tevê, Jornal O São Paulo
Foto: MJSP

A Turma da Mônica vai ajudar o público infantojuvenil a entender aspectos importantes da classificação indicativa de filmes, séries e outras obras. De Olho na Classificação Indicativa é um gibi de 20 páginas lançado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública em parceria com o Instituto Maurício de Sousa.Cartilha da ‘Turma da Mônica’ explica a classificação indicativa de programas de tevê, Jornal O São PauloCartilha da ‘Turma da Mônica’ explica a classificação indicativa de programas de tevê, Jornal O São Paulo

O objetivo da pasta é estimular crianças e adolescentes a aprender se divertindo e os personagens da Turma da Mônica são a estratégia de apoio para a inserção da temática da Política de Classificação Indicativa neste público alvo. O projeto foi lançado em formatos físico e digital.

O gibi conta a história do Cascão, que assistiu a um filme de terror sem saber a classificação indicativa e ficou aterrorizado. As crianças conversam sobre o tema e o pai da Mônica, Seu Sousa, chega para explicar como funciona a classificação indicativa das obras, da livre até a dos 18 anos.

Informação

A classificação indicativa é uma informação que o governo federal presta às famílias sobre a faixa etária para a qual obras audiovisuais não se recomendam. São classificados produtos para televisão, mercado de cinema e vídeo, jogos eletrônicos, aplicativos e jogos de interpretação (RPG).

De acordo com Ministério da Justiça, essa classificação não substitui o cuidado dos pais – é fundamentalmente uma ferramenta que pode ser usada por eles. A recomendação da pasta é que os pais e responsáveis assistam e conversem com os filhos sobre os conteúdos e temas abordados na mídia.

Fonte: Agência Brasil

Leia mais
Personalidades negras são homenageadas em exposição de grafites no MIS

Deixe um comentário