COVID-19: Governo de SP anuncia datas de vacinação para idosos de 65 a 67 anos

Centro de Contingência do Coronavírus deve definir até sexta-feira sobre continuidade da fase emergencial. Tendência é de prorrogação de medidas mais restritivas

Coletiva de imprensa desta quarta-feira, 7 (foto: Reprodução da internet)

A partir de 14 de abril, pessoas com 67 anos serão vacinadas contra a COVID-19 no estado de São Paulo. Na semana seguinte, no dia 21, terá início a vacinação daqueles com 65 e 66 anos. O primeiro grupo contempla 350 mil pessoas; o segundo, 760 mil.

Este foi um dos anúncios feitos pelo governador do Estado de São Paulo, João Doria, e seu secretariado, na coletiva de imprensa realizada na tarde desta quarta-feira, 7, no Palácio dos Bandeirantes.

Até agora, mais de 7 milhões doses contra a COVID-19 já foram aplicadas na população do estado, sendo que desse total, 1,868 milhão de pessoas já recebeu as duas doses dos imunizantes.

Desde o dia 2, pessoas com mais de 68 anos de idade já podem ser vacinar. No dia 5, passaram a receber a vacina os profissionais da área da Segurança Pública e no próximo dia 12, a campanha da vacinação será extensiva aos trabalhadores da educação básica, de escolas públicas e privadas, com 47 anos de idade ou mais.

Além do site Vacina Já, as pessoas já podem fazer o agendamento da vacinação por meio do WhatsApp: para tal, deverão mandar uma mensagem para o número (11) 952202-923 e preencher o pré-cadastro.

Redução na velocidade de novos casos

O secretário de estado da Saúde, Jean Gorinchteyn, informou que após 22 dias seguidos, pela primeira vez o estado registrou taxas de ocupação de leitos de UTI inferiores a 90% nesta quarta-feira.

Ele assegurou que o crescimento do número de novos casos tem sido mais lento que o de semanas anteriores, o que, em seu entender, é fruto das medidas mais restritivas adotadas com as fases vermelha e emergencial do Plano São Paulo.

No comparativo semanal anterior, a redução no número de casos foi de 2,4%; e no de internações de 5,4%. Já o número de óbitos cresceu 15,5%.

“O número de mortes vai cair mais tardiamente. O que diminui primeiro são as internações e número de casos”, explicou o secretário, que recordou, ainda, que em março foram abertos mais de 1.200 leitos de UTI exclusivos para pacientes com o coronavírus.

Definições sobre a continuidade da fase emergencial

Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus, declarou que até a próxima sexta-feira será apresentado ao governador João Doria recomendações sobre a continuidade ou não da fase emergencial do Plano São Paulo.

“O Centro de Contingência está discutindo a situação ainda”, afirmou inicialmente, indicando, depois, a possível decisão. “É provável que continuemos com os níveis de restrições que temos hoje pelos próximos dias”.

Nova variante do vírus em Sorocaba

Dimas Covas, diretor-presidente do Instituto Butantan, respondeu a perguntas dos jornalistas sobre uma nova variante do coronavírus encontrada na semana passada em Sorocaba, no interior paulista.

Ele lembrou que o mapeamento da variante já foi realizado e que se tem feito o monitoramento sobre o surgimento de novos casos, uma vez que essa cepa se mostrou mais resistente à neutralização obtida com as vacinas atualmente disponíveis.

O diretor-presidente do Butantan confirmou, ainda, que o desenvolvimento da nova vacina, a ButanVac, não levará à interrupção dos contratos com o laboratório chinês Sinovac, que produz a CoronaVac, imunizante que passará a ser totalmente produzido em São Paulo ainda este ano.

Envio de equipamentos de oxigênio para cidades

Foto: Divulgação Governo de São Paulo

De acordo com Patrícia Ellen, secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, nesta quarta-feira começam a ser distribuídos para cidades paulistas 624 concentradores de oxigênio, usados em pacientes internados com quadros mais leves da COVID-19. Até o fim da semana serão mil distribuídos.

Também começa hoje a entrega de 540 dos 2 mil cilindros de oxigênio, que se destinam a pacientes internados com quadros graves da doença. Até o fim do mês, todos serão repassados às cidades com maior urgência deste equipamento.

Bolsa do Povo de São Paulo

O governador João Doria também anunciou o envio de um projeto de lei para a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) para a criação do programa Bolsa do Povo de São Paulo, que unificará os programas sociais já existentes no estado.

Serão beneficiadas meio milhão de pessoas, com valor mensal de R$ 500,00.

Para concretizar o plano, o valor gasto com os programas sociais já existentes, deverá ser ampliado para R$ 1 bilhão em 2021.

Como parte da iniciativa, o governo do estado irá contratar 20 mil pais e mães de alunos de escolas públicas para trabalharem, como colaboradores, na rede pública de ensino, na própria escola onde os filhos estudam. Eles receberão R$ 500,00 mensais, por quatro horas de trabalho.

“A ideia é que após a aprovação do projeto de lei na Alesp, o secretário de Educação possa contratar os pais e mães para colaborar no retorno às aulas”, disse Rodrigo Garcia, vice-governador de São Paulo.

Ainda nesta quarta-feira, João Doria informou que o governo do estado recebeu a doação de meio milhão de cestas de alimentos e já comprou outras 740 mil, que serão repassadas às famílias em situação de maior vulnerabilidade de agora até o mês de julho.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter