Não descuide da higienização dos alimentos e embalagens

Segundo pesquisa ‘Papel dos alimentos e da proteção individual’ mais de 50% das pessoas não limpam as frutas da forma adequada e, em casos de delivery, 30% da população não faz a desinfecção das mãos

As boas práticas e os cuidados durante a manipulação de alimentos previnem várias doenças. Este zelo deve estar inserido no dia a dia de quem prepara as refeições, e não somente durante a pandemia. O novo coronavírus necessita de um hospedeiro para se multiplicar e sua transmissão está relacionada não apenas ao contato com uma pessoa infectada, mas também de superfícies e objetos contaminados.

Até o momento não existe comprovação científica de que os alimentos sejam meio para contaminação por COVID-19. Porém, é necessário ter cuidados com a compra, preparo e manipulação dos alimentos parte da população brasileira ainda adota práticas de higienização inadequadas. É o que evidencia um estudo do Centro de Pesquisas em Alimentos (Food Research Center – FoRC), da Universidade de São Paulo (USP).

Em notícia publicada no site da FioCruz, a coordenadora do Núcleo de Alimentação, Saúde e Ambiente (Nasa) da Fiocruz, Wanessa Natividade Marinho, junto à nutricionista do Nasa, Débora Oliveira, esclarecem a questão sobre o contagio.

“A contaminação dos alimentos pode ocorrer pelo contato na superfície dos alimentos (embalados ou não), objetos e utensílios que tenham sido contaminados por pessoas que estejam sintomáticas ou não. O novo coronavírus pode continuar vivo por horas ou até dias nesses tipos de superfícies, isso continua sendo estudado, por isso, as medidas de higiene são essenciais”, recordaram.

O QUE MOSTRA A PESQUISA  

CNA/Divulgação

O estudo aponta que 52,3% das pessoas – das 3 mil que foram entrevistadas de todas as regiões do País, sendo a maioria mulheres, casadas e com alto nível de escolaridade – não higienizam as frutas de forma correta. Os índices também mostram que 45,2% delas não tomam as medidas de desinfecção na hora de higienizar verduras. Ainda: 30% dos participantes não realizam a higienização de frutas e verduras nem antes do consumo. 

Quanto aos alimentos embalados, adquiridos em supermercados e/ou entregas em domicílio, aproximadamente 16,9% das pessoas não os higienizam, no caso de embalagens flexíveis (pacotes de farinha, arroz, feijão e café) – já as embalagens rígidas (enlatados, embalagens de vidro e potes de plástico) não são desinfectadas por 13,4% dos entrevistados.

No recebimento de alimentos via delivery, 35% dos participantes não realizam a higienização das mãos antes e depois da entrega da refeição e cerca de 40% não mantêm distanciamento social seguro do entregador – de pelo menos 1,5 metro.

BOA PARTE SE PREOCUPA    

FoRC/USP

Apesar dos dados apresentados pela pesquisa apontarem para um hábito incorreto na higienização, os pesquisadores destacam que mais de 80% que responderam ao questionário on-line entre 25 de junho e 14 de julho, demonstraram preocupação com as medidas a serem tomadas na hora do consumo de alimentos.

Das 52,3% das pessoas que higienizam frutas de forma incorreta: 17,9% usam apenas água; 7%, água com vinagre; e 27,4%, água com detergente. Menos da metade – 45,2% – usa solução de água com hipoclorito de sódio, o que realmente inativa o vírus de forma segura. Segundo os pesquisadores a água e o vinagre não possuem qualquer efeito sobre o vírus. Já o detergente, embora tenha poder de inativá-lo, pode deixar resíduos tóxicos no organismo humano.

Confira íntegra da pesquisa.

NA HORA DE IR À FEIRA

Na hora de ir à feira, os cuidados precisam ser redobrados antes, durante e depois. Mas a principal questão é como realizar a higienização das frutas, verduras e legumes de forma correta. A primeira dica é preferir produtos previamente embalados, evitando tocar os que estão em exposição.

Ao chegar a sua casa com as compras, descarte imediatamente as embalagens externas, como sacolas e sacos plásticos e bandejas de isopor, higienizando as sacolas retornáveis e carrinhos de feira com álcool fator 70% ou hipoclorito de sódio em borrifador ou pano úmido.

A higienização de frutas, legumes e verduras deve ser feita em três etapas: lavagem em água para retirada de resíduos, imersão em solução com água sanitária (uma colher de sopa diluída em 1 litro de água) por 15 minutos e posterior enxágue.

NA HORA DE PEDIR O DELIVERY

FoRC/USP

Na hora de pedir o delivery os cuidados também precisam ser redobrados. Essa modalidade aumentou bastante devido as pessoas estarem mais tempo em casa. Antes de pedir, é importante o consumidor avaliar se o estabelecimento segue as boas práticas de preparação dos alimentos. Os produtos sempre devem estar bem vedados e com o lacre de segurança.

A grande maioria dos clientes opta por pedir seus alimentos por meio de aplicativos ou diretamente pelo telefone ou site do estabelecimento. Após escolher o prato desejado, deve-se priorizar o pagamento on-line no momento do pedido, para evitar o manuseio de papel moeda e também, com a maquininha de cartão, visando a segurança do cliente e do entregador.

A lavagem ou higienização das mãos com álcool fator 70% deve ser feita com frequência, antes e após a entrega do pedido, tanto pelo entregador quanto pelo cliente. O uso de máscara também é recomendado para ambos, que devem manter uma distância segura.

(Com informações de USP e Estado de Minas)

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter