Vacina da Janssen tem validade estendida por seis semanas

Anvisa autorizou a ampliação do prazo do imunizante que deve chegar ao País nesta semana

Getty Images

O primeiro lote com 3 milhões de doses da vacina COVID-19 da Janssen/Johnson & Johnson, que o Brasil irá receber ainda nesta semana, teve o prazo de validade estendido para 8 de agosto.

A autorização foi dada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na segunda-feira, 14, que permitiu a extensão do prazo de armazenamento da vacina da farmacêutica de três para quatro meses e meio, na temperatura de +2ºC a +8°C.

A Anvisa considerou a decisão da Food and Drug Administration (FDA), autoridade sanitária dos Estados Unidos, que já havia autorizado a alteração do prazo de validade da vacina na semana passada, como também o envio das doses ao Brasil. O contrato entre a Janssen e o ministério prevê 38 milhões de doses até o fim do ano.

A vacina da Janssen tem autorização para uso emergencial no Brasil e será a primeira a ser usada no País em dose única. O imunizante tem 85% de eficácia para casos graves de Covid-19 e 66% na forma moderada da doença.

As doses podem ser armazenadas e transportadas entre +2ºC e +8°C, temperatura mais comum nas salas de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) e que permite a distribuição e aplicação em todos os municípios do País dentro da infraestrutura e logística já existentes no Brasil.

Ritmo de vacinação

De acordo com levantamentos de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde, até às 20h da segunda-feira, 14, um total de 55.740.512 pessoas já receberam a 1a dose da vacina contra a COVID-19, o que representa 26,32% da população brasileira

Já a 2a dose foi aplicada em 23.742.688 pessoas (11,21% da população), num total de mais de 79.783.200 pessoas em todos os estados e no Distrito Federal.

A imunização em São Paulo 

Até às 20h da segunda-feira, 14, um total de 13.630.679 pessoas já tinham recebido a 1a dose da vacina contra a COVID-19 no estado de São Paulo. Já a 2a dose foi aplicada em 5.965.231 milhões de pessoas no território paulista.

A partir da quarta-feira, 16, as doses poderão ser aplicadas em qualquer pessoa na faixa de 50 a 59 anos. Pelo cronograma anterior, esta data estava definida para as pessoas com idade entre 55 e 59 anos, e agora o alcance foi expandido.

A partir do dia 23 de junho, São Paulo vai vacinar a população com idade entre 43 e 49 anos. No dia 30 de junho última quarta-feira deste mês, começa a imunização dos que têm entre 40 a 42 anos.

No dia 15 de julho, a campanha será estendida para a população de 35 a 39 anos. Depois, no dia 30 de julho, as pessoas com idade entre 30 e 34 anos também poderão ser vacinadas contra a COVID-19.

A partir de 16 de agosto, a vacinação se estende para os adultos mais jovens, com idade entre 25 a 29 anos. Por fim, a partir de 1 de setembro, todos os adultos a partir de 18 anos poderão iniciar a imunização contra o coronavírus, com término previsto de aplicação da primeira dose para o dia 15 de setembro.

A vacinação também continua para os grupos com as seguintes comorbidades:

– Insuficiência cardíaca
– Cor-pulmonale e hipertensão pulmon
– Cardiopatia hipertensiva
– Síndrome coronariana
– Valvopatias
– Miocardiopatias e pericardiopatias
– Doença da aorta, dos grandes vasos e fístolas arteriovenosas
– Arritmias cardíacas
– Cardiopatias congênitas no adulto
– Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
– Diabete mellitus
– Pneumopatias crônicas graves
– Hipertensão arterial resistente
– Hipertensão arterial estágio 3
– Hipertensão estágios 1 e 2 com lesão de órgãos alvos
– Doença cerebrovascular
– Doença renal crônica
– Imunossuprimidos
– Anemia falciforme
– Obesidade mórbida’

(Com informações de Ministério da Saúde)                

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter