Vacina da Janssen tem validade estendida por seis semanas

Anvisa autorizou a ampliação do prazo do imunizante que deve chegar ao País nesta semana

Getty Images

O primeiro lote com 3 milhões de doses da vacina COVID-19 da Janssen/Johnson & Johnson, que o Brasil irá receber ainda nesta semana, teve o prazo de validade estendido para 8 de agosto.

A autorização foi dada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na segunda-feira, 14, que permitiu a extensão do prazo de armazenamento da vacina da farmacêutica de três para quatro meses e meio, na temperatura de +2ºC a +8°C.

A Anvisa considerou a decisão da Food and Drug Administration (FDA), autoridade sanitária dos Estados Unidos, que já havia autorizado a alteração do prazo de validade da vacina na semana passada, como também o envio das doses ao Brasil. O contrato entre a Janssen e o ministério prevê 38 milhões de doses até o fim do ano.

A vacina da Janssen tem autorização para uso emergencial no Brasil e será a primeira a ser usada no País em dose única. O imunizante tem 85% de eficácia para casos graves de Covid-19 e 66% na forma moderada da doença.

As doses podem ser armazenadas e transportadas entre +2ºC e +8°C, temperatura mais comum nas salas de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) e que permite a distribuição e aplicação em todos os municípios do País dentro da infraestrutura e logística já existentes no Brasil.

Ritmo de vacinação

De acordo com levantamentos de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde, até às 20h da segunda-feira, 14, um total de 55.740.512 pessoas já receberam a 1a dose da vacina contra a COVID-19, o que representa 26,32% da população brasileira

Já a 2a dose foi aplicada em 23.742.688 pessoas (11,21% da população), num total de mais de 79.783.200 pessoas em todos os estados e no Distrito Federal.

A imunização em São Paulo 

Até às 20h da segunda-feira, 14, um total de 13.630.679 pessoas já tinham recebido a 1a dose da vacina contra a COVID-19 no estado de São Paulo. Já a 2a dose foi aplicada em 5.965.231 milhões de pessoas no território paulista.

A partir da quarta-feira, 16, as doses poderão ser aplicadas em qualquer pessoa na faixa de 50 a 59 anos. Pelo cronograma anterior, esta data estava definida para as pessoas com idade entre 55 e 59 anos, e agora o alcance foi expandido.

A partir do dia 23 de junho, São Paulo vai vacinar a população com idade entre 43 e 49 anos. No dia 30 de junho última quarta-feira deste mês, começa a imunização dos que têm entre 40 a 42 anos.

No dia 15 de julho, a campanha será estendida para a população de 35 a 39 anos. Depois, no dia 30 de julho, as pessoas com idade entre 30 e 34 anos também poderão ser vacinadas contra a COVID-19.

A partir de 16 de agosto, a vacinação se estende para os adultos mais jovens, com idade entre 25 a 29 anos. Por fim, a partir de 1 de setembro, todos os adultos a partir de 18 anos poderão iniciar a imunização contra o coronavírus, com término previsto de aplicação da primeira dose para o dia 15 de setembro.

A vacinação também continua para os grupos com as seguintes comorbidades:

– Insuficiência cardíaca
– Cor-pulmonale e hipertensão pulmon
– Cardiopatia hipertensiva
– Síndrome coronariana
– Valvopatias
– Miocardiopatias e pericardiopatias
– Doença da aorta, dos grandes vasos e fístolas arteriovenosas
– Arritmias cardíacas
– Cardiopatias congênitas no adulto
– Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
– Diabete mellitus
– Pneumopatias crônicas graves
– Hipertensão arterial resistente
– Hipertensão arterial estágio 3
– Hipertensão estágios 1 e 2 com lesão de órgãos alvos
– Doença cerebrovascular
– Doença renal crônica
– Imunossuprimidos
– Anemia falciforme
– Obesidade mórbida’

(Com informações de Ministério da Saúde)                

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter