Confira nossa versão impressa

‘Ganhaste o teu irmão’ (Mt 18,15)

23º DOMINGO DO TEMPO COMUM 6 DE SETEMBRO DE 2020

O Senhor fala sobre a necessidade da correção fraterna: “Se o teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo em particular, a sós contigo!” (Mt 18,15). Não se trata de “apontar o dedo”; nem de, com ressentimento, jogar as faltas em face; tampouco de ser o “inspetor” da conduta do próximo. Cristo pede que, como decorrência do amor, desejemos sinceramente “ganhar” o irmão, ajudando-lhe a ser melhor. A motivação não é tanto a falta sofrida e seus efeitos, mas principalmente querer o bem espiritual ou corporal do próximo.

Primeiramente, é preciso ver quais faltas merecem ser corrigidas. Quando, por exemplo, os pais não deixam passar um só erro dos filhos, a convivência se torna insuportável e causa prejuízo à sua formação. Se corrigirmos insistentemente hábitos alheios que nos causam antipatia, mas nem sequer constituem pecados ou defeitos relevantes, nos tornaremos odiosos e afastaremos pessoas queridas. O amor exige que, em alguma medida, toleremos defeitos e manias do próximo.

O segundo passo é considerar bem o modo de fazer a correção. A regra é jamais fazê-la quando ainda estamos aborrecidos com a falta cometida. Se estivermos irritados ou indignados, é melhor esperar até que a alma esteja pacificada. Antes de se fazer uma correção, convém rezar pela pessoa e invocar seu anjo da guarda. Em alguns casos, a correção fraterna pode nos custar muito. Temos vergonha, sentimo-nos “sem moral” para fazê-la, ou simplesmente não queremos desagradar ao outro… Por isso, proponho duas situações:

Um homem começa a se desinteressar da vida cotidiana dos filhos; habitualmente avança o expediente de trabalho; não fica a sós com a esposa durante a semana; não brinca com as crianças; está distante dos melhores amigos; e, com outros familiares, é impaciente… E ainda: um padre sempre se atrasa ou se desinteressa dos compromissos pastorais; reza menos e com desleixo; afasta-se dos amigos sacerdotes; busca atividades e bens típicos de leigos; cultiva uma vida excessivamente privada…

Nesses dois exemplos está claro que, antes que algo pior aconteça, vários amigos ou parentes têm a possibilidade de ajudar esses irmãos. Farão isso não por meio de queixas, maledicências ou de denúncias anônimas e ilações maliciosas. Serão instrumentos de Deus se buscarem sincera e desinteressadamente ajudar: perguntando se está tudo bem, fazendo uma visita, oferecendo um café, orações e abrindo o coração. Somos livres e responsáveis por nossos próprios atos; há casos, é verdade, em que não há solução. Quantos desastres familiares e eclesiais, porém, teriam sido evitados por correções fraternas feitas a tempo!

Além disso, temos o dever de aceitar as correções que nos são dirigidas: de dar atenção e ponderar as críticas, ainda se ríspidas; de aceitar humildemente conselhos e repreensões; de tentar sorrir e dizer “obrigado” pela correção recebida. Afinal, a indiferença e o orgulho são perigos mortais para as famílias e para a Igreja. Que Deus nos livre disso?

Colunas relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

‘Que sejamos pedras vivas na edificação da Igreja’

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa nesta terça-feira, 20, na capela...

Aos 85 anos, morre o Padre Daniel Francis McLaughlin

Sacerdote norte-americano era missionário no Brasil desde 1981, e atuou em paróquias das zonas Leste e Noroeste da cidade de São Paulo

CoronaVac é a vacina em teste mais segura contra covid-19

A informação foi dada hoje pelo diretor do Instituto Butantan O diretor do Instituto...

Vândalos colocam fogo em igrejas em Santiago, no Chile

“A violência é má, e quem semeia violência consegue destruição, dor e morte. Nunca justifiquemos nenhuma violência”, afirmou o Arcebispo de Santiago,...

Número de mortes violentas aumenta 7,1% no 1º semestre, diz anuário

O maior crescimento desse tipo de crime ocorreu no Ceará No primeiro semestre deste...

Newsletter