Atividades litúrgicas e pastorais são retomadas no Vietnã

Bispos vietnamitas ressaltam que a participação presencial dos fiéis na vida da Igreja é indispensável

Atividades litúrgicas e pastorais são retomadas no Vietnã
Encontro do clero com os leigos na Arquidiocese de Ho Chi Minh, no Vietnã (crédito: Arquidiocese de Ho Chi Minh)

Com a situação da pandemia controlada em muitas partes do Vietnã, desde o início do mês muitas dioceses católicas reabriram suas igrejas aos fiéis, ainda que com assistência limitada e controlada. No país, as atividades industriais e comerciais também têm sido retomadas gradualmente.

Os fiéis vietnamitas estão contentes em poder voltar para participar presencialmente das celebrações eucarísticas, após mais de quatro meses de ausência em razão da atual pandemia.

Como afirma em uma carta pastoral Dom Joseph Nguyen Nang, Arcebispo de Ho Chi Minh, “para os católicos, a missa é essencial tanto na dimensão pessoal do encontro com Deus por meio do sacramento da Comunhão quanto na dimensão comunitária, da Igreja reunida em torno de um sacerdote. A missa on-line não substitui a participação presencial, mas, em caso de dificuldade, alimenta a fé de quem não pode ir à Igreja, especialmente os enfermos, os anciãos e as crianças”.

Em outubro, Mês das Missões, também se celebra o Mês do Rosário, em que as comunidades católicas recitam o canto mariano e se reza o Rosário. Nas pequenas cidades vietnamitas, as comunidades de fiéis se reúnem a cada noite em pequenos grupos de cerca de 20 pessoas de diferentes bairros ou paróquias. Além de oferecer orações à Virgem Maria, para que alivie o sofrimento de tantas pessoas durante a pandemia, a reza do Rosário recitada em comunidade e nas ruas, pretende dar testemunho da fé e do Reino de Deus aos cristãos.

Dom Alfonso Nguyen Huu Long, Bispo da Diocese de Vinh, em uma carta pastoral por ocasião do mês das missões, disse que “com a Jornada Mundial das Missões, todo o mês de outubro está dedicado à oração e evangelização. A Igreja está sempre em movimento: todos os fiéis batizados, o bispo, os sacerdotes, os religiosos, os seminaristas e os jovens devem ser conscientes de que são chamados à missão, a dar testemunho de Jesus Cristo aos que não o conhecem”.

De acordo com o bispo, a vivência deste mês missionário, deve animar a rezar, a viver e difundir ainda mais a Boa Notícia, “para que cada católico possa dar o amor de Deus aos que o rodeiam, em primeiro lugar os amigos, os companheiros e vizinhos, rezando e vivendo com caridade, segundo um estilo de vida humilde, marcado pelo amor sincero aos demais”. E Dom Alfonso conclui: “Em meio aos trágicos acontecimentos e dos efeitos negativos da pandemia, há uma grande necessidade de generosidade, benevolência e serviço. Para cada católico, esta é uma preciosa oportunidade de cumprir a missão de ajudar a amar o próximo, compartilhando a Boa Notícia do Reino de Deus aos que o cercam”.

Fonte: Agência Fides

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter